Alopecia e as diversas formas de perder cabelos

O termo alopecia tem se tornado cada dia mais familiar.

Apesar de ser frequentemente usado como se fosse uma doença específica, seu conceito é bem amplo.

Causas

Alopecia é um termo latino que quer dizer perda de cabelos.

A origem da palavra, no entanto, é grega e deriva de alópex, ou raposa.

A raposa é um animal que apresenta perda frequente de cabelos, sendo talvez esse o motivo da associação.

A alopecia não é uma doença específica. Ele engloba uma série de condições médicas que podem levar ao comprometimento capilar.

As principais serão descritas a seguir.

Alopecia androgenética

A alopecia androgenética é o nome científico da calvície, causa mais comum de perda de cabelos em homens e mulheres.

Ela se apresenta como rarefação capilar das “entradas” e da “coroa” nos homens e de uma forma mais difusa em mulheres.

A rarefação dos cabelos na calvície genética ocorre pela ação do hormônio masculino diidrotestosterona (DHT), derivado da testosterona.

Em pessoas predispostas geneticamente, o DHT leva ao afinamento e encurtamento progressivos dos cabelos, processo chamado de miniaturização.

A miniaturização pode evoluir até a extinção completa do folículo piloso, gerando áreas calvas no couro cabeludo.

Alopecia areata

Trata-se de uma condição em que ocorre queda repentina de tufos de cabelo, gerando falhas no couro cabeludo.

Acredita-se que a queda dos fios ocorra por um ataque do sistema imune aos próprios folículos pilosos saudáveis da pessoa.

O início da queda é abrupto, intenso e, geralmente localizado, formando falhas de tamanhos variados.

Apesar do couro cabeludo ser local mais frequentemente acometido, pode haver queda em qualquer área pilosa do corpo.

Também não há restrição quanto ao sexo ou idade da pessoa acometida, podendo ocorrer em homens, mulheres, adultos e crianças.

A causa dessa condição é desconhecida.

Estresse, genética e outros fatores ambientais, no entanto, podem ter alguma participação no processo.

A evolução da doença é variável, sendo na maioria das vezes temporária e autolimitada.

A apresentação mais comum é de uma falha única que melhora sem necessidade de tratamento.

No entanto, o quadro pode evoluir com queda de todo o cabelo na alopecia total ou até mesmo de todo pelo do corpo na alopecia universal.

Alopecia de tração

Essa condição ocorre em pessoas que costumam prender os cabelos com muita força, usam tranças, rastafari, corn rows ou apliques por longos períodos.

Nesses casos, a tensão excessiva exercida sobre os fios de cabelo é a responsável pela quebra, queda e até perda definitiva do fio de cabelo.

Alopecias cicatriciais

Alopecia cicatricial é um tipo de perda de cabelo em que há destruição dos folículos com substituição deles por cicatrizes.

Não se trata de uma doença específica, mas de grupo de condições cujo resultado final é a formação de cicatrizes.

Pode ocorrer formação de cicatriz após trauma, infecção, queimadura ou arrancamento do fio.

A cicatriz também pode ser resultante de processos inflamatórios do folículo ou couro cabeludo, como nas condições abaixo:

  • Liquen plano pilar e sua variante alopecia frontal fibrosante;
  • Alopecia central centrífuga;
  • Lúpus eritematoso crônico ou discóide;
  • Foliculite decalvante;
  • Foliculite abscedante;
  • Foliculite queloidiana da nuca.

Tratamento da alopecia: o que fazer?

Existem diversos tipos alopecia, com diferentes tratamentos e prognósticos.

Algumas delas são progressivas, com piora considerável das chances de recuperação com o passar do tempo.

Assim, ao notar queda, rarefação ou falhas no cabelo, o mais aconselhável é procurar o quanto antes um médico especialista.

Somente após avaliação completa de todas as possíveis causas da queda ou perda dos cabelos, é possível estabelecer o diagnóstico e determinar o tratamento mais adequado.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Riscos e efeitos colaterais da dutasterida para tratamento capilar
Desde a sua aprovação para tratamento da calvície masculina pela ANVISA, aumentou-se o interesse por... (Leia mais)
Fototerapia capilar: ações, indicações, efeitos e resultados
As diversas possibilidades de uso da fototerapia capilar justificam seu crescente emprego na medicina. O... (Leia mais)
Foliculite queloidiana da nuca: causas, sintomas, prevenção e tratamento
Embora não apresente riscos à saúde, a foliculite queloidiana da nuca pode gerar um incômodo... (Leia mais)

2 Responses

  1. Tive um acidente com velas quando bebê e queimei minha cabeça e ficou uma cicatriz do tamanho de uma laranja e nesse lugar nunca mais nasceu cabelo e isso me angustia muito, será que meu problema tem solução?

    1. Olá, Elaine

      Existem opções bem interessantes para alopecias como a sua.
      Entre em contato conosco pelo número (11) 38539175 para obter mais informações.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *