Bebida alcoólica e queda de cabelo

Bebida alcoólica e queda de cabelo

Bebida alcoólica e queda de cabelo são de alguma forma relacionadas?

O consumo de bebidas alcoólicas é um traço da cultura de povos e nações, exercendo papel como agente de sociabilidade individual e comunitário.

Dados do relatório global de 2014 da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que consumo de álcool no Brasil é de 8,7 litros por pessoa, superior à média mundial de 6,2 litros.

Álcool

O álcool é uma substância psicoativa com potencial para gerar dependência. Ele pode causar efeitos a curto e longo prazos para o corpo, estilo de vida e saúde mental do indivíduo.

Segundo a OMS, o álcool é responsável por 5,9% das mortes em todo o mundo. Se considerado apenas o grupo de indivíduos entre 20 a 39 anos, esse valor pode chegar a 25%, ou seja, 1 em cada 4 mortes de jovens ocorre por consequência do abuso de bebidas alcoólicas.

Ainda segundo a OMS, o álcool está relacionado a mais de 200 doenças ou condições prejudiciais ao organismo.

A partir dessa concepção, até cultural, de que o álcool causa danos à saúde é natural que surjam dúvidas sobre seus possíveis efeitos nos cabelos.

Bebida alcoólica e queda de cabelo

O álcool em si não causa queda de cabelo ou calvície diretamente, não havendo evidência científica suficiente para tal associação.

Dessa maneira, o consumo esporádico e moderado de bebidas alcoólicas não deve ser correlacionado a danos capilares.

Entretanto, o abuso do consumo de bebidas alcoólicas gera uma série de condições que podem ter impacto nos cabelos.

Desidratação

O alcoolismo leva à desidratação crônica.

O álcool é diurético, fazendo com que o indivíduo urine com mais frequência. Isso ocorre porque ele diminui a quantidade do hormônio anti-diurético (ADH), responsável por manter a hidratação natural do organismo. Com a queda desse hormônio aumenta a vontade de urinar, fazendo com que o corpo perca mais líquido.

A desidratação faz com que os fios de cabelo se tornem mais ressecados e frágeis, aumentando a quebra e queda de cabelos.

Déficits nutricionais

Além de causar desidratação, o alcoolismo também pode reduzir a quantidade de alguns nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento dos cabelos, levando ao aumento da queda.

Entre as vitaminas, o abuso do consumo de bebidas alcoólicas está associado à diminuição dos níveis de vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C e vitamina D.

Já entre os minerais, destacam-se as deficiências de zinco e ferro, dois elementos fundamentais na dinâmica capilar.

Um dos quadros nutricionais associados ao aumento da queda de cabelos é a anemia. A anemia em alcoólatras pode ser causada tanto pela deficiência de ferro, como de folato (vitamina B9) ou vitamina B12.

Estresse

Indiretamente, o estresse causado pelo alcoolismo ou situações a ele relacionadas podem levar a um aumento da queda de cabelos através do eflúvio telógeno.

O eflúvio telógeno é uma condição temporária caracterizada pela entrada precoce de uma maior quantidade de fios de cabelo na fase telógena, ou de repouso. Durante essa fase, há interrupção da produção e queda do fio de cabelo.

Bebida alcoólica e queda de cabelo: o que fazer?

O alcoolismo é uma doença crônica causada por uma combinação de fatores individuais, psicossociais e ambientais. Ele acarreta uma série de problemas para a saúde, podendo inclusive contribuir para a queda de cabelos.

Entretanto, o consumo esporádico de vinho, cerveja ou outras bebidas alcoólicas não devem causar aumento da queda ou rarefação dos cabelos. Caso isso ocorra, outras condições devem ser investigadas. Nesse caso, é recomendado procurar um médico.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias