cabelo na gravidez gestação

Mudanças e cuidados com os cabelos durante a gestação

Entender as alterações no organismo e os cuidados com os cabelo na gravidez ajuda a manter os fios mais bonitos e saudáveis.

O que acontece no corpo durante a gravidez?

Após a fecundação e implantação do embrião na parede do útero, a placenta começa a produzir o hormônio gonadotrofina coriônica.

Esse hormônio é responsável por estimular os ovários a manter os níveis de progesterona e estrógeno acima do normal.

Com isso, há início uma série de alterações que afetarão todos os aspectos da vida da mulher nos nove meses seguintes.

Hormônios e gestação

A progesterona inibe as contrações uterinas, garantindo a manutenção da gravidez.

Além disso, ela atua juntamente com os estrogênios na promoção de diversas mudanças observadas no período gestacional.

Dentre elas estão, por exemplo, retenção de líquidos, ganho de peso, cansaço, alteração vasculares, sensoriais, do humor e do próprio formato do corpo.

Além da progesterona, estrógeno e gonadotrofina, outro hormônio que se eleva na gestação é a prolactina.

Esse hormônio é fundamental na lactação, uma vez que ele atua desenvolvendo as glândulas mamárias.

As alterações promovidas pelos hormônios da gravidez também afetam pele, unhas, pelos e cabelos.

As alterações cutâneas mais observadas na gravidez são:

  • Hiperpigmentação, principalmente da areola mamária, dobras e genitais;
  • Linha nigra: aparecimento de linha escura no abdome próxima ao umbigo
  • Manchas na face como o melasma ou cloasma
  • Estrias
  • Varizes
  • Assim como a pele, também ocorrem alterações de pelos e cabelo na gravidez.

Mudanças dos pelos na gestação

A maior parte das gestantes nota algum grau de aumento de pelos pelo corpo. Esse quadro pode ser classificado como hirsutismo ou hipertricose. As condições consistem em:

  • hipertricose: aumento dos pelos em qualquer área do corpo, podendo ser local ou generalizada.
  • hirsutismo: aumento de pelos em locais não habituais ou mais comuns em homens, como por exemplo a barba.

Após o parto, os fios finos tendem a desaparecer em seis meses, enquanto fios mais grossos são mais persistentes.

O que ocorre com o cabelo na gravidez?

É muito comum que mulheres notem melhora da qualidade dos cabelos e diminuição da queda durante a gestação.

Para entender os motivos que levam a essa percepção, é preciso esclarecer algumas mudanças que ocorrem nos cabelo na gravidez.

Alopecia na gestação

A alopecia androgenética, principal causa de calvície feminina, é caracterizada pela perda progressiva dos cabelos devido à miniaturização dos fios.

Através desse processo, os fios vão se tornando cada vez mais finos e curtos, até desaparecerem.

O quadro, que costuma ser mais lento e difuso nas mulheres do que nos homens, tende a ser percebido por elas através da diminuição do volume capilar, mudança na textura e formato do fio ou por falhas nos cabelos com exposição progressiva do couro cabeludo.

Esse quadro comum pode afetar até 40% da população feminina durante as diferentes fases da vida.

Apesar de ser uma condição de piora progressiva, mulheres com calvície tendem a ter seu quadro amenizado na gestação.

Isso porque dentre as alterações provocadas pelas altas taxas de hormônios femininos na gestação, está o aumento da espessura do fio de cabelo na gravidez.

Esse ganho de calibre é relatado por alguns estudos científicos, como um publicado em 2003.

Assim, mulheres que vinham sofrendo com afinamento progressivo do fios, tendem a ter uma recuperação do calibre, peso e formato do cabelo na gravidez.

Queda de cabelo na gravidez

Apesar das mulheres encararem com naturalidade as alterações da gestação, a queda de cabelo não deve ser considerada normal.

Isso porque durante esse período as mudanças hormonais levam a uma alteração do ciclo do cabelo, favorecendo a redução da queda.

O ciclo capilar é dividido em três fases:

● Anágena: consiste no período de crescimento dos fios. 90% dos fios costumam estar nessa fase;

● Catágena: fase de repouso, que dura cerca de 3 semanas e concentra menos de 1% dos fios;

● Telógena: fase na qual ocorre a queda do fio para que um novo fio comece a crescer. Corresponde a quase 10% dos fios e dura em média 3 meses.

Na gestação, as mudanças hormonais prolongam a fase anágena do ciclo capilar, fazendo com que os fios permaneçam mais tempo crescendo.

Como consequência do aumento do tempo da fase de crescimento, há uma redução proporcional dos fios nas outras fases, inclusive na fase telógena, em que ocorre a queda do fio.

Portanto, é esperado que se observe cabelos mais longos e volumosos no final da gravidez.

Não é porque o corpo da mulher se adapta para manter os cabelos na gravidez, que a queda capilar não pode ocorrer nesse período.

Ela pode ser ocasionada por outros fatores, associados ou não à gravidez.

Uma dessas possibilidades é o desenvolvimento de carências alimentares provocadas pela maior demanda de nutrientes devido ao crescimento do bebê.

A queda de cabelo, nesse caso, pode ser um indicativo de que está faltando nutrientes, seja para o desenvolvimento do bebê ou manutenção da saúde materna.

Portanto, ao apresentar queda de cabelo na gravidez é importante investigar possíveis causas, incluindo aspectos nutricionais e hormonais.

Como prevenir a queda de cabelo na gravidez?

Os cuidados corretos durante a gestação e amamentação contribuem para fios mais saudáveis e bonitos.

 1. Cuidar da alimentação

Independente da gravidez, a alimentação saudável é sempre uma aliada para se ter cabelos mais resistentes.

Nessa fase é ainda mais importante investir em uma dieta que inclua frutas, verduras e legumes, pois eles contêm vitaminas e sais minerais.

Alimentos ricos em proteínas também devem fazer parte da alimentação, como ovos, leite e carnes magras.

O ferro é um mineral fundamental na gestação para evitar a anemia materna.

As gestantes ainda devem evitar a ingestão de alimentos crus, principalmente peixes, para evitar infecções.

A dieta da gestante deve ser dividida em pequenas refeições distribuídas durante o dia e com cumprimento dos horários estabelecidos.

Esse cuidado é importante para se ter um aporte contínuo de nutrientes e evitar azia e refluxo, comuns na gestação.

2. Usar os suplementos indicados

A suplementação alimentar não é usada como rotina para queda de cabelo na gravidez, mas, caso indicada, ajuda a evitá-la ao prevenir deficiências de nutrientes no organismo. Em geral, são indicadas:

  • ferro para prevenção de anemia;
  • ácido fólico para evitar má-formação fetal;
  • vitamina D para ajudar na absorção e fixação do cálcio. O cálcio ajuda a prevenir câimbras, além ser importante para a formação de ossos e dentes do feto.

Mesmo que possam parecer benéficos, esses compostos só devem ser tomados com a recomendação médica.

3. Evitar o estresse

 O estresse também afeta a saúde capilar nessa fase.

Portanto, sempre que possível é importante evitar situações estressantes.

Cada mulher reconhece as situações estressantes do dia a dia e desenvolve estratégias para lidar com elas.

Algumas medidas que podem ajudar a combater o estresse incluem:

  • realização de atividades físicas relaxantes, como ioga e pilates;
  • fazer exercícios respiratórios;
  • garantir boas noites de sono;
  • ter momentos de autocuidado todos os dias, entre outros.

4. Cuidado com o xampu para cabelo na gravidez

Durante a gestação o cabelo pode passar por mudanças, como ficar mais ou menos oleoso, o que exige alterar o xampu utilizado.

As gestantes devem ficar atentas aos produtos usados durante a gestação, inclusive o xampu.

Alguns deles têm substâncias, como por exemplo o ácido salicílico, que devem ser evitadas na gravidez, devido a riscos para o bebê.

5. Não utilizar químicas no cabelo na gravidez

As alterações hormonais e metabólicas da gravidez podem modificar a estrutura do fio, deixando-o mais liso ou crespo.

Com tantas mudanças, a aplicação de químicas pode ser um complicador a mais durante essa fase.

Procedimentos que usam substâncias como amônia (tintura), formol e guanidina (alisamentos) não devem ser realizados nesse período.

Além de danificarem o fio, essas substâncias são danosas ao feto, podendo levar ao aborto ou má-formação fetal.

6. Procurar ajuda especializada sobre cabelo na gravidez

Não é normal ter afinamento dos fios ou queda de cabelo na gestação.

Caso você suspeite que a queda ou mudanças nos fios estão exageradas, é preciso consultar um médico especialista em cabelos.

Esse profissional realizará exames para verificar se a queda está relacionada às mudanças hormonais ou se pode ser influenciada por outros fatores.

As opções de tratamento para queda de cabelo também são diferentes durante a gestação, o que exige acompanhamento com um profissional especializado.

A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados sobre o cabelo na gravidez.

Atendimento

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido.