cabelos novos cabelinhos fios pequenos

Cabelinhos que não crescem são realmente novos?

Provavelmente você já tenha notado alguns fiozinhos curtos quando prende ou levanta os cabelos.
Mas você já se perguntou se eram cabelos novos ou algum indício de problema capilar?
Pois bem, as duas situações podem acontecer e a diferenciação entre esses quadros nem sempre é tão fácil.
Entretanto, algumas características dos cabelos e da história podem ajudar a distinguir entre essas possibilidades.

Cabelos pequenos: o que pode ser?

Existem 6 principais causas para o aparecimento de cabelinhos ou fios pequenos na linha de implantação do cabelo.
A primeira delas, é claro, é de que realmente sejam cabelos novos.
Essa é, inclusive, a melhor das hipóteses. Mas não é a única.
Os fios curtos também podem ser fios normais dessa região, os chamados pelos velus.
Nesse caso, também não há nada a se fazer ou se preocupar.
Outra boa possibilidade é a de que os fios curtos sejam cabelos cortados.
Por que não? Cabeleireiros frequentemente usam tesouras especiais para desfiar os cabelos e criar um visual mais informal.
Além de cortados, os fios pequenos também podem ser fios quebrados.
Já no campo de problemas capilares, há duas principais opções.
Uma delas é de que se trate de pelos peládicos, a outra é a de sejam fios miniaturizados.

Como diferenciar cabelos novos, velus, cortados, quebrados, peládicos ou miniaturizados?

Em certos casos, algumas características visuais dos fios somadas à história podem ser suficientes para saber o que está acontecendo.
Entretanto, nem sempre isso é suficiente. Muitas vezes a distinção entre cabelos novos, quebrados, peládicos ou miniaturizados só é feita através da tricoscopia.
A tricoscopia é um exame realizado com lentes especiais que permitem ver o fio em grande aumento, em detalhe.

Cabelos novos

Os fios estão espalhados no couro cabeludo em diferentes estágios de crescimento, de forma que, em geral, não é possível identificar os novos fios começando a crescer.
O cabelo tem um ciclo de vida marcado por fases bem determinadas.
Apesar dos fios passarem pelas mesmas etapas, cada fio tem seu próprio ritmo no ciclo, com tempo e fases independentes.
Em geral, todos os fios se encontram em uma das seguintes fases:
  • Fase anágena ou de crescimento;
  • Fase catágena ou de involução;
  • Fase telógena, de repouso ou de queda;
  • Fase quenógena ou de transição.
O normal é que após passar por todas essas etapas em sequência, o fio retome à primeira fase, reiniciando o ciclo.
Graças ao ciclo capilar, você sempre terá fios crescendo, sejam eles novos ou não.
Ainda mais porque a fase anágena ou fase de crescimento é disparada a mais longa e com maior número de fios.
Essa fase do cabelo concentra 80 a 85% dos fios e dura entre 2 e 8 anos, com média de crescimento capilar de 1 centímetro ao mês.
Isso explica o motivo de se ter a sensação de que os cabelos estão sempre crescendo e de que cabelinhos estagnados por muito tempo talvez não estejam em crescimento.

Mas como reconhecer cabelos novos?

Além, claro, da percepção de crescimento com o tempo, algumas características podem ajudar a reconhecer cabelos novos.
Assim como os fios cortados, os fios novos possuem uma haste capilar que mantém o mesmo calibre desde a sua saída do couro cabeludo pelo óstio folicular até a ponta.
A história pregressa de corte de cabelo principalmente com tesouras desfiadeiras ajuda a diferenciar cabelos novos de fios cortados.
Por sua vez, ponta do cabelo é o principal diferencial entre os fios novos e os fios quebrados.

Fios quebrados ou cabelos novos?

Os fios quebrados têm como característica apresentar pontas irregulares, desfiadas ou duplas, essa última chamada tricoptilose.
Para fazer essa diferenciação também é necessário que se faça a tricoscopia.
Mesmo sem a tricoscopia, é possível se ter uma suspeita de quebra dos fios de acordo com a história pregressa da pessoa.
Em condições normais, o cabelo não se quebra facilmente.
Entretanto, os fios passam a se arrebentar mais quando há química no cabelo, como alisamento, tintura ou luzes.
A quebra também é mais frequente em pessoas que têm hábitos capilares ruins, como o uso chapinhas ou de secador muito quente próximo ao fio.
Além disso, o ato de prender o cabelo com força ou tracionar frequentemente os fios também podem contribuir para sua queda.

O que é fio velus?

Velus é o nome que se dá para os cabelinhos de um bebê.
Trata-se de fios mais finos, curtos e macios, como uma penugem.
Além do couro cabeludo, os pelos velus estão presentes em diferentes partes do corpo, como tórax, braço e pernas.
A presença de pelos velus no couro cabeludo gera dúvidas, pois eles tanto podem ser uma característica normal como um sinal de calvície.
O fio velus desenvolve-se já na primeira infância.
Sua função, no caso, é principalmente aquecer, reter o suor e proteger a pele de irritações.
Parte desses fios se mantêm durante a adolescência, idade adulta até a velhice.
Os pelos velus eles são bem comuns na região das entradas e na linha de implantação do cabelo.
Por isso, não se assuste se você identificar uma pequena quantidade de fios mais finos que os demais nessas regiões do cabelo.
Provavelmente não se trata de cabelos novos, mas de fios velus, o que não demanda nenhuma atenção especial.
O problema é quando os a presença de pelos velus vai se tornando cada vez mais frequente.
Isso porque, além de serem uma característica normal das pessoas, o pelo velus também pode ser resultado da miniaturização, típica da calvície.

Fio miniaturizado: cabelinhos que não crescem

A miniaturização é o processo de afinamento e encurtamento progressivo dos fios até sua completa extinção.
Fios miniaturizados são típicos da alopecia androgenética, principal causa de perda de cabelos em homens e mulheres.
Por isso, a presença de uma maior quantidade de velus deve sempre levantar a possibilidade de calvície.
Nesse sentido, um estudo científico com 45 mulheres apresentando alopecia verificou que todas elas tinham um número maior de fios velus nas entradas quando comparadas à média verificada em pessoas sem alopecia.
Dessa forma, o estudo propõe que uma maior concentração de cabelo velus na linha frontal seja considerada como um sinal de alopecia.

Cabelos novos x pelos peládicos

Além dos fios miniaturizados, uma outra condição associada a quadros patológicos é a presença de pelos peládicos.
Os pelos peládicos são fios decorrentes de um processo de ataque e destruição ao cabelo, ocorrendo principalmente na alopecia areata ou pelada.
A alopecia areata é uma condição autoimune em que, por motivos desconhecidos, o organismo passa a rejeitar o próprio cabelo.
Como consequência, há uma abrupta e intensa queda de cabelo, acompanhada de aparecimento de pelos peládicos.
Diferentemente dos cabelos novos, os fios peládicos têm uma ponta mais grossa e uma base mais fina, assemelhando-se a um ponto de exclamação.
Apesar de às vezes ser difícil reconhecer essa diferença a olho nu, isso se torna bem claro através da tricoscopia realizada pelo médico especialista.

Quando buscar auxílio médico especializado?

Em geral, não é tão fácil identificar cabelos novos.
Devido ao ciclo contínuo de crescimento, repouso e queda dos cabelos, é normal que eles se misturem a outros fios e passem desapercebidos.
Além disso, a presença de pelos velus normais, fios quebrados e cortados também ajuda a se ter uma falsa impressão de normalidade.
Entretanto, quando a quantidade de fios curtos passa a chamar a atenção, o quadro deve ser visto com desconfiança pelo paciente.
Isso porque a aparente presença de muitos fios novos pode ser na verdade, sinal de alopecia.
Portanto, caso a quantidade de fios curtos esteja chamando sua atenção, não perca tempo e procure um médico especialista em cabelos!
A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.
 

Atendimento

Categorias