Cisto pilar: definição, causas, diagnóstico e tratamento

É relativamente frequente as pessoas notarem uma ou mais elevações na cabeça quando passam a mão nos cabelos. Em boa parte dos casos, trata-se de um cisto pilar.

O que é um cisto pilar?

O cisto é uma cavidade sacular fechada, coberta por um epitélio e com conteúdo líquido ou semi-sólido. 

À palpação, sente-se um caroço móvel e de consistência fibroelástica presente no subcutâneo.

Assim, o cisto no couro cabeludo é uma pequena bolsa contendo massinha dentro da pele.

Trata-se de um tipo de cisto epidérmico, presente em cerca de 10% da população. Mulheres são mais afetadas, mas homens também podem apresentar esse tipo de lesão.

Quando localizado no couro cabeludo, o cisto epidérmico recebe o nome de cisto pilar ou triquilemal.

Causas de cisto pilar

O cisto no couro cabeludo ocorre devido a um erro no processo de queratinização do cabelo. 

A queratina é uma proteína responsável pela estrutura do fio. 

Dessa forma, ela responde por cerca de 85% da constituição da haste capilar. Em outras palavras, é como se ela fosse os tijolos de uma casa.

No caso do cisto pilar, há uma falha no processo de queratinização do fio. Ao invés queratina ficar na haste capilar, ela passa a se depositar dentro da pele próximo ao folículo.

Como não é normal haver acúmulo de queratina nesse local, o organismo então cria uma cápsula para envolver o material.

Assim, vai ocorrendo um acúmulo progressivo da queratina, formando um caroço de conteúdo espesso, branco e fétido no couro cabeludo.

Mas por que se forma o cisto pilar?

Em geral, fatores genéticos determinam o erro de queratinização responsável pelo aparecimento do cisto no couro cabeludo.

Sendo assim, a ocorrência do cisto pilar é mais comum quando se tem familiares com o problema.

Quais os sintomas do cisto no couro cabeludo?

O cisto triquilemal não é um quadro grave, sendo na maior parte dos casos até mesmo assintomático.

Geralmente ele se manifesta como uma saliência na superfície do couro cabeludo, assemelhando-se a um galo por trauma.

Entretanto, ao contrário do galo ou de outras lesões elevadas, o cisto normalmente apresenta um orifício, dificilmente visível. 

Além disso, o cisto triquilemal não dói, queima e nem solta pus. 

Como a lesão é subcutânea, sua superfície costuma ser lisa, redonda e da mesma cor do couro. 

Quando um cisto no couro cabeludo está vermelho, doendo ou saindo pus, é porque provavelmente ele está infeccionado. 

Cisto pilar é perigoso?

A evolução da  maior parte dos quadros de cisto no couro cabeludo é benigna.

No entanto, segundo dados da literatura médica, em cerca de 3% das vezes pode haver transformação maligna.

Nesses casos, os cistos se tornam tumores triquilemais proliferantes, de crescimento rápido. 

Como diferenciar o cisto pilar de outros caroços no couro cabeludo?

O cisto pilar pode causar confusão com outros tipos de caroço no couro cabeludo, como:

  • cicatriz ou queloide;
  • abcesso;
  • foliculite dissecante;
  • foliculite queloidiana na nuca;
  • lipomas: tumores benignos de tecido adiposo no subcutâneo;
  • galo, ou seja, inchaço por trauma;
  • linfonodomegalia ou íngua;
  • berne:  bicheira por depósito de ovos de mosca;
  • câncer de pele.

Apesar do cisto pilar ser característico, é importante diferenciá-lo de outras condições que resultam em caroço no couro cabeludo.

Diagnóstico

É comum as pessoas demorarem um pouco para identificar o cisto pilar devido ao seu crescimento lento.

Normalmente, ele passa a ser perceptível ao tomar banho ou pentear os cabelos.

Apesar de não ser uma ocorrência grave, em geral, o cisto pilar pode vazar e infeccionar, demandando assistência médica.

O diagnóstico do cisto pilar é clínico, ou seja, a partir das características da lesão. 

Exames complementares, como por exemplo ultrassom, raramente são necessários.

Tratamento do cisto pilar: cirurgia

O interesse em eliminar o cisto no couro cabeludo se dá por conta de possíveis complicações ou por incômodos estéticos.

O tratamento do cisto pilar é cirúrgico, com remoção total da lesão.

Não adianta apenas drenar o seu conteúdo, pois ele tende a voltar a se encher com o tempo.

Portanto, para prevenir a recorrência é fundamental remover a lesão em bloco,  incluindo sua cápsula.

O material então pode ser enviado ao laboratório para confirmar sua natureza benigna.

Cisto no couro cabeludo: o que fazer?

A presença de elevações no couro gera desconforto na hora de lavar, pentear ou até mesmo ao mexer nos cabelos.

Em pessoas calvas ou com cabelo raspado, pode haver ainda incômodo visual.

Além de crescer, o cisto também pode se infeccionar e até virar câncer, mesmo que raramente.

Portanto, não é interessante ficar com cistos na cabeça.

Assim, ao notar uma protuberância no couro cabeludo, procure um médico!

A Clínica Doppio  possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, contamos ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Arrepio na cabeça: o que pode estar acontecendo?
Parestesia é o termo médico para designar a sensação de arrepio na cabeça ou formigamento... (Leia mais)
Triconodose: como evitar?
A triconodose é uma situação literalmente embaraçante. Além de prejudicar a saúde capilar, essa condição... (Leia mais)
Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)

15 Responses

    1. Olá, Maria das Graças

      Sugiro que procure um médico para retirá-lo através de cirurgia.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

      1. Olá, Simone

        É normal ter dor no local da cirurgia por um tempo devido ao processo de cicatrização.
        Se a dor persistir, procure o médico para reavaliação.

          1. Olá, Meire

            É bem variável e pessoal esse tempo.
            Pode durar até alguns meses.

  1. Tenho tipo um galo na cabeça. Nao dói se passar a mao, apertar…
    Mas sempre q mexo nele após algumas horas eu tenho uma dor de cabeça forte.
    O que pode ser?

    1. Olá, Ana

      Existem algumas possibilidades para o quadro descrito por você.
      Para saber exatamente o que está acontecendo é preciso passar por uma avaliação médica.
      Somente após avaliação completa, com análise do couro cabeludo e talvez exames de imagem, é que se pode esclarecer o que está ocasionando esse galo.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  2. Tenho um cisto triquilemal,mas tenho medo fazer a remoção ele e na parte esquerda da cabeça proximo a minha orelha,uma médica falou que era um remoção que poderia gerar um grande sangramento.isso e vdd?

    1. Olá, Eli

      É difícil opinar sem examinar.
      Em geral, quando se trata de um cisto pilar, a cirurgia é feita no próprio consultório, com anestesia local, sem grandes sangramentos.
      Mas cada caso é um caso e para saber se o seu também é assim, eu precisaria examinar.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *