Crisina, queda de cabelo e calvície: qual a relação?
Para entender a relação entre crisina e calvície é preciso primeiro conhecer o papel dessa substância no organismo.
A crisina faz parte de um grupo de compostos naturais que vêm ganhando popularidade recentemente.
Sua presença em fórmulas de manipulação tem se tornando cada vez mais frequente e, por isso, vale a pena analisar a associação entre crisina e calvície.

O que é crisina?

A crisina é um composto flavonóide extraído da planta Passiflora caerulea, um tipo de maracujá.
Outras fontes naturais de crisina incluem o mel e o própolis.
Além disso, a crisina vem sendo usada como suplemento nutricional em fórmulas de remédios manipulados.
Por ser natural e indicada por um médico em fórmulas contendo diversos outros componentes, em geral, ela mal é percebida.
Entretanto, sua possível ação hormonal e, nesse caso, associação com queda de cabelo e alopecia faz com que ela deva ser avaliada com mais cautela, não se ignorando a relação entre crisina e calvície.

Como a crisina funciona?

A principal função atribuída à crisina é inibir a aromatase, uma enzima que catalisa a conversão de testosterona em estrógeno.
Assim, ao bloquear a degradação da testosterona, a crisina aumentaria os níveis desse hormônio masculino no corpo.
Além disso, por ser um flavonóide, ela também atuaria como antioxidante, combatendo o envelhecimento provocado pelos radicais livres.
Por fim, como outras plantas da família do maracujá, ela ainda poderia colaborar para diminuição da ansiedade.
Em resumo, na teoria, a crisina atua ao:
  • inibir a aromatase;
  • elevar a produção de testosterona, sendo um anabolizante natural;
  • ter propriedades antioxidantes e ansiolíticas;

Para que serve a crisina?

Por conta de suas possíveis características terapêuticas, a crisina tem sido testada em condições como:
  • terapia hormonal para homens e mulheres com queixas de perda de vigor, disposição e libido;
  • anabolizante natural para auxiliar a hipertrofia e ganho de massa muscular, especialmente em atletas;
  • tratamento da ginecomastia, ou seja, aumento das mamas em homens;
  • prevenção da hipertrofia e do câncer de próstata;
  • prevenção do câncer de mama em mulheres com predisposição à doença.
  • tratamento de doenças cardiovasculares e câncer;
  • terapia de controle de retirada da morfina.

Como tomar a crisina?

A crisina é um composto presente em fórmulas de suplementos e remédios manipulados.
Em geral, a dose utilizada nessas formulações varia entre 0,5 a 1 grama ao dia.
Assim, as sugestões de uso incluem cápsulas de 100, 250 ou 500 mg 1 a vezes ao dia.
O horário de ingestão, após refeições, pela manhã, antes ou após o treino, dependem da finalidade do uso e, principalmente, da indicação médica.

Efeitos colaterais da crisina

Quase não há estudos científicos avaliando o uso da crisina em humanos, quanto mais de crisina e calvície.
A maior parte dos poucos estudos existentes são in vitro, ou seja, realizados em laboratório.
Por isso, não se tem dados suficientes para estabelecer com segurança os possíveis efeitos adversos da crisina.

Crisina: contraindicações

A crisina é contraindicada em gestantes, mulheres amamentando, crianças, adolescentes e pacientes com câncer de próstata.
Além disso, pessoas com história de alergia à crisina também devem evitar seu uso.

Qual a relação entre crisina e calvície?

Após saber como a crisina age, fica mais fácil entender a relação entre crisina e calvície.
A alopecia androgenética, principal causa de calvície em homens e mulheres, é diretamente relacionada a dois fatores: genético e hormonal.
Em pessoas predispostas, a ação de hormônios masculinos, especialmente a testosterona e seu metabólito di-hidrotestosterona (DHT), leva à progressiva atrofia dos folículos pilosos e à perda de cabelo.
Portanto, qualquer medicamento ou substância que aumente os hormônios masculinos, como seria o caso da crisina, tendem a acelerar a queda de cabelo e calvície em pessoas predispostas.

Crisina faz mal aos cabelos?

Os estudos científicos ainda não conseguiram definir se crisina é mesmo capaz de inibir a aromatase e levar ao aumento da testosterona.
Como exposto anteriormente, a maior das pesquisas foram feitas em laboratório, sem participação de humanos.
Assim, a possível relação antagênica entre crisina e calvície ainda é especulativa.
Em todo caso, se ada crisina realmente funcionar, ela passaria a ser contraindicada em casos de calvície, uma vez que o aumento dos níveis de testosterona leva ao agravamento da alopecia.

Como proceder em casos de uso de crisina e calvície?

Crisina e calvície não são compatíveis.
A crisina não deve ser usada por pacientes com histórico de calvície, pois se a substância realmente funcionar, ela pode intensificar a queda de cabelo e calvície.
Se por outro lado, ela se mostrar ineficaz em inibir a aromatase, também não faz sentido utilizá-la.

Crisina e calvície: o que fazer?

A busca por melhora dos parâmetros hormonais tem aumentado a procura por compostos naturais para esse fim.
Claro que seria ótimo melhorar a disposição, vigor, massa muscular, enfim, rejuvenescer usando produtos naturais.
Entretanto, antes de usar qualquer tipo de substância para esse fim, é importante que se faça uma avaliação mais ampla de condições que possam ser alterados por esses compostos com supostas propriedades hormonais.
Dentre os aspectos a serem avaliados deve constar, por exemplo, a tendência à perda de cabelos.
Pessoas com predisposição genética para calvície ou com queda de cabelo devem ter especial cuidado ao iniciar qualquer novo composto, mesmo que natural.
Nesse caso, é sempre bom perguntar ao médico se os remédios ou fórmulas manipuladas que ele prescreveu contêm algum composto que possa agravar a calvície ou a queda de cabelo.
No caso da relação entre crisina e calvície, mais pesquisas precisam ser feitas para se estabelecer melhor o grau de comprometimento do cabelo pela substância.
Enquanto isso, é melhor que pessoas com alopecia ou queda de cabelo evitem seu uso e busquem auxílio de um médico especialista em cabelos.
A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.
 

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)
Riscos e efeitos colaterais da dutasterida para tratamento capilar
Desde a sua aprovação para tratamento da calvície masculina pela ANVISA, aumentou-se o interesse por... (Leia mais)
É bom usar Adeforte para cabelo?
Alguns sites e blogs da internet vêm incentivando as pessoas a utilizarem o Adeforte para... (Leia mais)

4 Responses

  1. Boa noite minha ginicologista me indicou para diminuir o DHT , mas já comecei com afinamento capilar e tenho pré disposição a alopecia androgenética . Estava repondo os hormônios testosterona e o Déia . Suspensão deu pois meus exames alterou ( diotestosterona) para 940 . Este seria o meu remédio para diminuir?

    1. Olá, Sônia

      A indicação de medicamentos e outras formas de tratamento dependem de uma prévia avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Portanto, sugiro que agende uma consulta para que possamos discutir possibilidades terapêuticas.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    1. Olá, Adilson

      A crisina não costuma estar associada à queda de cabelo, a menos que haja irritação do couro.
      Já no caso do transplante, é melhor checar com o médico que realizou o procedimento antes de começar a usar esse ou qualquer outro tônico capilar.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *