Densidade capilar e queda de cabelo: qual é a relação?

A densidade capilar é uma informação útil na avaliação de quadros de queda de cabelo.

Com esse dado, é possível fazer um diagnóstico mais preciso e ajustar as expectativas do paciente com relação ao tratamento.

Além disso, ele também serve como parâmetro para acompanhamento da resposta terapêutica.

Caso necessário, a densidade capilar ainda ajuda a decidir a viabilidade e escolha de técnicas no transplante capilar.

Dessa forma, é interessante saber mais sobre o assunto.

O que é densidade capilar?

Há muita confusão entre os termos volume e densidade do cabelo.

A densidade capilar representa a quantidade de fios existentes no couro cabeludo por centímetro quadrado (cm²).

Já o volume consiste na área total ocupada pelo cabelo, incluindo o espaço entre os fios.

Dessa forma, o volume leva em consideração, além da densidade, o formato e espessura dos fios. 

Até mesmo o uso de cremes, oleosidade e umidade podem interferir no volume, mas não na densidade capilar.

Qual é a densidade normal do cabelo?

O cálculo da densidade capilar leva em consideração dois parâmetros: quantidade de fios e sua área de distribuição.

O couro cabeludo normal contém entre 100 a 150 mil fios de cabelo.

Mas para saber quantos fios existem no couro por cm² é preciso se levar em conta o tamanho da cabeça.

Sendo assim, uma mesma quantidade de fios pode ter uma densidade capilar menor se a cabeça for maior.

Além disso, a densidade capilar varia nas diferentes etnias, locais do couro cabeludo e até com a idade.

Portanto, é preciso se considerar todos esses fatores na hora de se fazer uma estimativa.

Embora complexo, esse cálculo foi feito por um estudo francês da L’Oréal.

A pesquisa analisou a densidade do cabelo em diferentes populações, inclusive a brasileira.

De acordo com os resultados, no Brasil, a densidade capilar normal é de 215 fios/cm².

Além desse dado, a pesquisa ainda revelou outras informações interessantes sobre o crescimento e calibre do fio de cabelo brasileiro.

Segundo os pesquisadores, na média, o cabelo brasileiro padrão cresce 0,384 mm/dia e tem uma espessura de 75 micrômetros.

Causas de variação da densidade capilar

É normal a quantidade de cabelos mudar em diferentes populações, locais do couro cabeludo e com a idade.

Entretanto, além dessas, a queda ou perda de cabelo também modifica a densidade capilar.

Etnias

Uma das pesquisas a avaliar as variações na densidade capilar entre diferentes populações envolveu hispânicos, afrodescendentes e caucasianos.

O estudo americano contou com 166 indivíduos de saúde capilar normal. 

Para medir a quantidade de fios por cm² utilizou-se a tricoscopia quantitativa, método digital de ampliação de imagens.

Na pesquisa, os caucasianos ou europeus apresentaram a maior densidade capilar, entre 214 a 230 fios/cm².

Em seguida, vieram os hispânicos (latinos e espanhóis), já com uma densidade significativamente menor, entre 169 a 178 fios/cm².

Por fim, os indivíduos de ascendência africana tiveram a menor densidade capilar, em torno de 148 a 160 fios/cm².

Áreas do couro cabeludo

É comum se olhar no espelho e ter a sensação de ver mais cabelos em uma certa área da cabeça.

Em algumas pessoas, a parte da frente parece mais cheia, enquanto em outras o topo, a nuca ou as laterais. 

Às vezes, é notável a diferença até mesmo entre os dois lados da cabeça.

Variações individuais à parte, em geral, há uma distribuição desigual do cabelo entre as áreas do couro cabeludo.

Apesar dessa divergência, entretanto, os estudos parecem apontar o vértex ou coroa como local com mais cabelo no couro.

O artigo francês, por exemplo, revela uma diferença significativa na quantidade de fios do vértex comparado às laterais da cabeça.

Já o trabalho americano vai um pouco além, apontando o topete como segundo lugar com mais cabelo. 

Nessa pesquisa, a parte de trás da cabeça apresentou a menor densidade capilar entre as 3 áreas.

Esses dados, no entanto, variaram quando se comparou as 3 áreas nos diferentes grupos étnicos

Assim como na avaliação global, a área com mais densa nos hispânicos foi a coroa.

Já afrodescendentes e caucasianos apresentaram mais cabelo no topete.

Idade

A idade também parece influenciar a densidade capilar.

O estudo francês não registrou diferença na densidade capilar com a idade, pois avaliou apenas jovens até 35 anos.

Entretanto, como contou com participantes entre 18 e 65 anos, o estudo americano conseguiu demonstrar os efeitos da idade na densidade.

De acordo com a pesquisa, a densidade do cabelo reduziu em média 0,33 fio/cm² ao ano.

Portanto, segundo o artigo, há perda de 1 fio de cabelo/cm² a cada 3 anos de vida.

Queda de cabelo

A densidade capilar é a quantidade de cabelo por cm².

Dessa forma, todas as condições que diminuem a quantidade de fios na cabeça deixam o cabelo menos denso.

Essa redução pode ser temporária ou definitiva, a depender da causa do cabelo estar caindo.

No eflúvio telógeno, por exemplo, a queda modifica a contagem dos fios apenas por um período. Quando o cabelo volta a cair normal, a densidade também se recupera.

Já nas alopecias cicatriciais e em casos mais avançados de alopecia androgenética, há perda definitiva de densidade capilar.

Nesses casos, nem mesmo o transplante pode modificar o quadro, já que esse só muda o fio de lugar.

Densidade capilar e queda de cabelo

A densidade capilar influencia diretamente a aparência da pessoa.

Por mais volumoso que seja o cabelo, ele acaba parecendo ralo quando há redução significativa da quantidade de fios.

Embora incomode bastante, como se trata de um quadro passageiro, o eflúvio telógeno não costuma ser um problema.

Já na calvície hereditária, alopecia de tração e cicatricial a diminuição da densidade capilar é progressiva e permanente.

Aliás, no caso específico da alopecia androgenética, a redução da quantidade de fios é justamente um dos seus primeiros sintomas.

Nos homens, a perda de cabelo ocorre apenas na parte superior da cabeça, sendo mais frequente nas entradas e coroa.

Já na alopecia feminina, mesmo se iniciando pelo topo, há redução da densidade capilar em todas as áreas do couro.

Nesses casos, a miniaturização do fio leva tanto à diminuição da densidade como também à perda de volume.

Na alopecia de tração, o arrancamento dos fios, seja por penteados ou apliques, também gera redução da quantidade de cabelo.

Se houver formação de fibrose no lugar do folículo, a perda da densidade capilar é para sempre.

O mesmo ocorre em outras alopecias cicatriciais, como o líquen planopilar, lúpus, alopecia frontal fibrosante e algumas foliculites.

Nesses casos, o processo inflamatório leva à destruição gradual dos folículos, substituindo-os pela cicatriz.

Dependendo do padrão da perda, inclusive, torna-se possível sugerir qual das doenças inflamatórias se trata.

Como se vê, a densidade capilar é um importante parâmetro na investigação e compreensão das doenças capilares.

Densidade capilar nos diferentes tipos de fio

Como a etnia influencia na quantidade de cabelos, fica a dúvida se o mesmo ocorre com o formato do fio.

Para responder esta questão, o estudo americano também avaliou se a conformação do fio altera a densidade capilar.

Como resultado, eles não encontraram diferenças significativas na densidade quanto se considerou somente a textura do cabelo.

Assim, não importa o tipo de fio, seja ele crespo, ondulado, cacheado enrolado ou liso. O que muda a quantidade de cabelos é a origem, ou seja, a etnia do cabelo.

No estudo, por exemplo, mesmo hispânicos com fios crespos apresentaram uma densidade capilar superior a dos afrodescendentes.

Assim, ao avaliar um quadro de queda de cabelo, deve-se considerar fatores étnicos mais do que o formato do fio.

Densidade capilar no homem e mulher

Há poucos dados na literatura comparando o número de fios de cabelo masculino em relação ao feminino.

No estudo americano, por exemplo, a densidade capilar no homem foi semelhante a da mulher.

Já o artigo francês revelou uma pequena diferença na quantidade de cabelos entre homens e mulheres. 

De acordo com essa pesquisa, homens apresentam cerca de 19 fios a menos na coroa do que o público feminino. 

Essa observação, no entanto, ficou restrita ao vértex, não se notando diferença nas outras áreas do couro.

Quais são os produtos para aumentar a densidade capilar?

A quantidade de cabelos é um traço genético, ou seja, herdado de pais para filhos.

Sendo assim, cada pessoa tem um número máximo de fios existentes na cabeça.

Como não é possível receber fios de outras pessoas, não tem como aumentar a densidade capilar além de um limite.

Entretanto, como os fios vão diminuindo com o tempo, seja naturalmente ou por doenças, é possível recuperar a densidade anterior.

No caso, a indicação de quais produtos usar para aumentar a densidade do cabelo vai depender da causa da rarefação.

Para isso, é preciso antes passar por uma avaliação médica.

Diminuição da quantidade de cabelo: o que fazer?

É importante entender as particularidades da densidade capilar nos diferentes grupos étnicos, áreas da cabeça e idade.

As pesquisas contribuem para compreender as diferentes necessidades dos públicos, de forma a pensar em diagnósticos e abordagens mais específicas a cada grupo.

Quer saber se é possível e o que fazer para aumentar a sua quantidade de cabelo?

Então, faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Vale a pena tomar ômega 3 para cabelo?
A busca por suplementos e tratamentos caseiros faz aumentar o interesse por compostos como o... (Leia mais)
Como engrossar o cabelo?
Na internet existem diversas receitas e dicas de como engrossar o cabelo. Embora muitas delas... (Leia mais)
Erros ao usar minoxidil: por que ele não funciona?
O minoxidil é um remédio comprovadamente eficiente para tratar a alopecia. Mas existem alguns erros... (Leia mais)

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *