Dissecando a estrutura do fio de cabelo

Dissecando a estrutura do fio de cabelo

Conhecer a estrutura do fio de cabelo ajuda a entender suas características e aprender como lidar melhor com ele.

Do que é feito o fio de cabelo?

O cabelo é composto por proteínas, lipídeos ou gorduras e pequena quantidade de água.

A principal proteína do cabelo é a queratina.

A queratina é uma molécula grande formada por unidades menores chamadas aminoácidos, que se agrupam para formar uma cadeia.

Essa proteína é responsável, por exemplo, pela força do cabelo e unhas, além de estar presente na camada mais superficial da pele.

A caspa nada mais é do que lamelas de células mortas preenchidas por queratina que se desprendem do couro cabeludo.

Dissecando o fio de cabelo

Ao falar sobre o fio de cabelo, é importante saber que ele possui diferentes camadas, partes e estruturas anexas.

De acordo com alguns estudos, tanto a estrutura do fio de cabelo quanto as camadas, partes e estruturas anexas são a mesma nas diferentes raças e tipos de cabelo.

O conjunto formado pelo fio mais essas estruturas que o cercam é conhecido como unidade pilossebácea.

Unidade pilossebácea

Dentro da pele do couro cabeludo, além do fio, existem glândulas sebáceas e o músculo piloeretor compondo a unidade pilossebácea.

As glândulas sebáceas são responsáveis pela produção do óleo que lubrifica os cabelos e o couro cabeludo.

A quantidade de sebum produzido por essas glândulas é determinante, por exemplo, para o brilho e hidratação dos fios.

Por sua vez, o músculo piloeretor é um pequeno grupamento muscular que se liga ao fio e o levanta de acordo com alguns estímulos.

Aliás, esse músculo é o que faz com que as pessoas fiquem arrepiadas ou literalmente de cabelos em pé.

Estrutura do fio de cabelo

Quando se considera apenas o fio de cabelo, ele pode ser dividido em 2 partes: a haste e o folículo capilar.

Haste capilar

A haste capilar é a parte visível do cabelo, ou seja, é o fio que fica para fora do couro cabeludo.

Ela é composta de células mortas, preenchidas com queratina, ligadas entre si por um material de adesão.

Esse material que existe entre as células, conhecido como cimento intercelular, é formado por proteínas e lipídeos ou gorduras.

O fato da haste capilar ser constituída somente por células mortas, sem inervação ou irrigação explica o fato de não se sentir dor quando se corta o cabelo.

A estrutura do fio de cabelo pode ainda ser dividida em 3 camadas, sendo elas:

  • Medula: porção mais central do fio, sendo vista somente em fios longos e grossos.
  • Córtex: camada intermediária. É a parte mais espessa do fio, sendo responsável, por exemplo, pela força, cor e textura do cabelo. Nessa camada, as células estão dispostas em fibras paralelas à superfície do fio.
  • Cutícula: camada fina e incolor que cobre o fio de cabelo externamente. A cutícula é composta por células mortas que se sobrepõem umas às outras formando escamas. Sua função principal é proteger o córtex de agentes agressores externos.

Colorações, alisamento, relaxamento, permanente e chapinha podem danificar a cutícula e expor o córtex, fragilizando a estrutura do fio de cabelo e predispondo sua quebra.

Folículo piloso

Quando se fala em fio de cabelo é preciso considerar que há uma parte do fio que fica dentro da pele.

Essa parte, chamada folículo piloso, serve de ancoragem para a haste capilar.

A extremidade inferior do folículo é onde se localiza o bulbo capilar.

No bulbo, por vezes conhecido como raiz do cabelo, existem células de crescimento ativas, responsáveis pela produção de fibras capilares finas, longas e cilíndricas.

Assim, o bulbo capilar é o lugar onde o fio de cabelo é produzido e, portanto, é responsável pelo seu crescimento.

Além disso, o bulbo também contém células chamadas melanócitos, capazes de produzir o pigmento melanina que dá cor aos cabelos.

Com o tempo, os melanócitos vão morrendo e os cabelos vão se tornando progressivamente mais grisalhos até finalmente se tornarem brancos.

Outras 2 áreas do folículo piloso precisam ser mencionadas: a papila dérmica e o bulge de células-tronco.

Papila dérmica

A papila dérmica é o local onde nutrientes e hormônios provenientes da corrente sanguínea chegam e passam para o bulbo capilar.

Ela fica localizada logo abaixo do bulbo.

Ao chegar ao bulbo, os hormônios se ligam a receptores que se encontram na superfície das células.

Esses receptores hormonais estão envolvidos, por exemplo, no desenvolvimento da calvície ou alopecia androgenética em pessoas predispostas.

Bulge de células-tronco

Ainda na região do folículo, próximo à inserção do músculo piloeretor, fica um reservatório de células embrionárias conhecido como bulge de células-tronco.

As células-tronco ou stem cells são células indiferenciadas capazes de se transformar em qualquer célula do organismo. Elas são responsáveis pela capacidade de regeneração dos tecidos e fundamentais para manutenção de estruturas como o fio de cabelo.

As células-tronco capilares podem se diferenciar não somente em células da raiz do cabelo, mas também em glândulas sebáceas e células da pele.

A diferenciação em células capilares é responsável pela reposição do fio a cada ciclo do cabelo.

 Renovando a estrutura do fio de cabelo: ciclo capilar

Os fios de cabelo não crescem continuamente.

O crescimento do cabelo é cíclico, mas cada fio funciona como uma unidade independente.

Portanto, os cabelos de humanos não caem todos de uma vez, como na maioria dos outros animais.

Cada fio tem ciclos de atividade e queda.

Esses períodos são divididos em fases, a saber:

  • Anágena: a maioria dos fios de cabelo se encontra nessa fase. É a fase de crescimento pleno do fio, sendo sua duração proporcional ao comprimento final do cabelo. Geralmente cada fio fica nessa fase por anos.
  • Catágena: período de algumas semanas em que há diminuição do ritmo de produção do fio, com encolhimento do folículo piloso.
  • Telógena: nessa fase, que dura alguns meses, o cabelo para de crescer e o fio se solta do couro cabeludo. No processo, um novo fio começa a nascer empurrando e substituindo o velho fio que cai.

Problemas no ciclo ou estrutura do fio de cabelo: o que fazer?

Conhecer a estrutura do fio de cabelo e o o ciclo capilar permite entender melhor aspectos relacionados a sua vitalidade.

Assim como fatores que alterem o ciclo provocam queda, modificações em sua estrutura predispõem à quebra.

Para saber quais as razões para queda ou quebra excessiva dos fios, procure um médico especialista.

A Clínica Doppio, além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *