Dormir com o cabelo molhado faz mal?

É muito comum se ouvir falar que dormir com o cabelo molhado faz mal.

Avós, pais e cabeleireiros repetem isso com frequência.

Mais do que só matar a curiosidade, é importante esclarecer essa dúvida, uma vez que a maioria das pessoas lavam os cabelos à noite.

Dormir com o cabelo molhado: hábito ou necessidade?

A rotina de estudos, trabalho e atividades faz com que boa parte da população tome banho à noite.

Seja pelo calor, comodidade ou falta de tempo, algumas pessoas que lavam os cabelos mais tarde optam por não secá-los.

Isso é especialmente válido para quem tem cabelos longos, volumosos ou cacheados.

Geralmente essas pessoas apenas retiram o excesso de água dos cabelos com a toalha para depois amarrá-los.

Quem tem cabelos cacheados costuma deixar os cabelos soltos e ainda passar um creme leave in ou ativador de cachos. Esses produtos feitos para hidratação dos fios tendem a prolongar ainda mais o tempo que o cabelo leva para secar completamente.

Com isso, a tendência é que cada vez mais as pessoas durmam com os cabelos úmidos.

Por essa razão, é importante que elas conheçam os riscos que esse hábito pode acarretar à saúde e aos cabelos.

Dormir com cabelo molhado faz mal à saúde?

Uma das maiores preocupações de quem não gosta de dormir com a cabeça molhada é o medo de ficar doente.

Essas pessoas acreditam que dormir com o cabelo úmido pode aumentar as chances de desenvolver resfriado, gripe ou sinusite.

Estudos científicos sobre o tema, no entanto, não conseguem comprovar essa relação.

O que uma pesquisa médica sugere é que apesar de não aumentar a chance de ter resfriados, dormir com o cabelo molhado possa causar dor atrás do olho.

O quadro, confundido com sinusite, seria a razão para justificar o mito de que dormir com cabelo molhado faz mal à saúde, causando dor de cabeça, resfriado ou sinusite.

Segundo os pesquisadores, os cabelos molhados e o frio podem levar a alterações dos seios da face responsáveis pelo sintoma.

Essas alterações seriam uma reação do corpo ao frio, na tentativa de conter uma mudança brusca de temperatura no cérebro.

Os seios da face fazem parte do sistema de regulação térmica do sistema nervoso central, sendo responsáveis em parte, por evitar o aquecimento ou resfriamento abruptos do cérebro.

Apesar das explicações terem lógica, há necessidade de mais estudos para verificar a relação entre cabelo molhado ao dormir e dor de cabeça.

Enquanto isso, por precaução, é melhor escutar seus pais e avós e não arriscar de ficar no frio com os cabelos molhados.

Dormir com o cabelo molhado faz mal pro cabelo?

É preciso ficar bem claro que a água do banho por si só não apodrece nem danifica os fios.

Pelo contrário, manter o fio hidratado é fundamental para que ele fique sedoso e menos propenso à quebra.

Entretanto, também é importante explicar a diferença entre o cabelo hidratado e úmido.

O cabelo molhado não significa hidratado, pois a água que está no fio úmido vai evaporar.

Para ser considerado hidratado, é preciso reter a água no fio, o que costuma ocorrer com o uso correto de condicionadores, máscaras e cremes capilares.

Mas se por um lado a umidade não apodrece o fio, por outro dormir com o cabelo molhado faz mal aos cabelos.

Ao dormir com o cabelo molhado, há um aumento do atrito entre os fios e o travesseiro.

Esse atrito causa abrasão e desgate da superfície do fio.

Por isso, dormir com o cabelo molhado aumenta as chances de danos e quebra dos fios.

Além disso, fios úmidos embaraçam mais enquanto se dorme por grudarem mais uns nos outros.

Os nós formados no cabelo dificultam para pentear e desembaraçar, intensificando a tração e a quebra.

Dessa forma, conclui-se que apesar da água não prejudicar o fio, o ato de dormir com o cabelo molhado faz mal aos cabelos.

Como dormir com o cabelo molhado faz mal ao couro cabeludo?

Se tratando de couro cabeludo, o problema de dormir com o cabelo molhado está diretamente associado à dermatite seborreica.

Ao deitar com o cabelo úmido, o travesseiro prolonga o tempo em que o couro cabeludo leva para secar.

Além disso, o contato com o travesseiro dificulta a dissipação do calor, criando um ambiente úmido e abafado.

Essas condições são favoráveis à proliferação de fungos no couro cabeludo.

Como forma de tentar controlar esse crescimento excessivo dos fungos, o organismo mobiliza suas células de defesa gerando inflamação.

O quadro inflamatório que se desenvolve, chamado dermatite seborreica, é o responsável por sintomas como coceira, dor, caspa e queda de cabelo. 

Dessa forma, dormir com o cabelo molhado faz mal ao couro cabeludo por aumentar as chances de sintomas inflamatórios e queda de cabelo.

Qual o tempo para o couro cabeludo secar completamente?

Apesar de ser dito que o couro cabeludo leva 2 horas para secar, isso pode variar muito de pessoa para pessoa.

O tempo vai depender, por exemplo, tanto do tipo, comprimento, volume e densidade do cabelo, como também de condições ambientais como calor, umidade e vento, por exemplo.

E ninguém melhor para saber isso do que a própria pessoa.

Assim, considerando-se que dormir com o cabelo molhado faz mal, é melhor sempre que possível secar com secador.

Vale a pena dormir com os cabelos molhados?

Os motivos para não secar os cabelos antes de se deitar são diversos. Dentre eles estão a falta de tempo, de disposição, o calor ou a necessidade de se passar produtos de finalização.

Mesmo levando-se em consideração todos esses fatores, é importante também ressaltar que dormir com o cabelo molhado faz mal.

Sendo assim, recomenda-se que pessoas que lavam os cabelos à noite optem por secá-los com o secador antes de se deitar.

No caso de pessoas com cabelos enrolados ou cacheados, é interessante avaliar a possibilidade de lavar os fios pela manhã ou mais cedo para que eles possam secar naturalmente antes de dormir. O secador com difusor também pode ser útil.

Quer saber mais sobre como cuidar da saúde do cabelo e couro cabeludo?

Siga-nos ou faça-nos uma visita.

A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelo e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

blank

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Esfoliação do couro cabeludo: indicações, benefícios e riscos
A esfoliação do couro cabeludo pode ser necessário para deixá-lo mais saudável. Mas por que... (Leia mais)
Como minimizar os danos ao finalizar o cabelo com fontes de calor?
Finalizar o cabelo com aparelhos térmicos faz parte da rotinas de muitas pessoas. Mas esse... (Leia mais)
Cabelo poroso: como identificar e tratar?
A porosidade do cabelo é um assunto ainda pouco explorado. A maior parte das pessoas... (Leia mais)

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *