É bom tomar Spirulina para queda de cabelo?

Existe uma certa discussão sobre o uso de Spirulina para queda de cabelo.

Embora o consumo do composto pareça ter benefícios, seu emprego como tratamento capilar precisa de uma análise mais crítica.

O que é a Spirulina?

A Spirulina ou espirulina é um grupo de microorganismos azul-esverdeados presentes em águas alcalinas ricas em minerais.

Seu aspecto e cor fizeram com que eles fossem classificados como microalgas.

Mas essas algas cianofíceas são, na verdade, cianobactérias da família Microcoleaceae, cujos nomes científicos são Arthrospira platensis e Arthrospira maxima.

Trata-se, portanto, de seres unicelulares, procariontes e fotossintetizantes, mais presentes em águas com temperatura ambiental entre 35 a 40°C.

Atualmente, a Spirulina está entre as substâncias em alta tanto para aplicações farmacológicas como na indústria alimentícia.

Composição

Parte da fama da Spirulina vem do fato de astronautas da NASA usarem a Spirulina em suas missões espaciais.

A Spirulina é uma fonte alimentar rica em macro e micronutrientes, recebendo, dessa forma, a classificação de superalimento.

O perfil nutricional da Spirulina inclui:

  • macronutrientes como as proteínas (50–70%), carboidratos (15–20%) e lipídios (7–16%);
  • vitaminas: incluindo carotenos, biotina, ácido fólico, niacina, riboflavina, tiamina, vitamina E, B12 e K;
  • minerais e eletrólitos: potássio, sódio, fósforo, cálcio, magnésio e outros;
  • fitonutrientes: ficocianina, clorofila A e beta-caroteno.

Quais são os benefícios Spirulina?

Graças a sua composição, a Spirulina se tornou um suplemento alimentar com algumas possíveis atividades benéficas à saúde.

Ação anti-inflamatória e antioxidante

Estudos in vitro e com animais de laboratório têm demonstrado alguns possíveis efeitos da Spirulina.

Segundo eles, a presença de componentes como a ficocianina e β-caroteno conferem à Spirulina um alto poder anti-inflamatório e antioxidante.

Dessa forma, o uso do superalimento seria capaz de reduzir em partes o dano do estresse oxidativo no corpo.

Além disso, ela também reduziria a inflamação por inibir a formação de moléculas pró-inflamatórias.

Apesar das evidências científicas desses estudos, no entanto, a ação do suplemento em humanos ainda carece de mais comprovação.

Sendo assim, por enquanto não se justifica usar Spirulina para queda de cabelo ou outras patologias inflamatórias do couro cabeludo.

Microbiota intestinal

Cada vez mais os probióticos são alvo de pesquisas envolvendo imunidade, quadro alérgicos e outras condições de saúde.

Por ser um conjunto de bactérias, a Spirulina também parece ter ação positiva no controle da flora intestinal.

Sua ação, no caso, seria a de inibir o crescimento de algumas bactérias prejudiciais ao corpo.

Além de regular a flora, as bactérias cianofíceas também fornecem alguns micronutrientes.

Inclusive, estudos apontam que, teoricamente, essas cianobactérias produzem compostos capazes de diminuir a sensação de cansaço.

Dessa forma, além de equilibrar a flora intestinal, a Spirulina ainda aumentaria a disposição das pessoas.

Controle do metabolismo

O sistema cardiovascular também parece se beneficiar do uso da Spirulina

De acordo com fontes científicas, a Spirulina contribui no controle de marcadores metabólicos, como colesterol e triglicerídes.

Assim, ela colaboraria na redução do colesterol total, LDL (ruim) e triglicerídeos, com melhora dos níveis de colesterol HDL (bom).

Além de regular os níveis das gorduras, a ação antioxidante da Spirulina contribuiria para reduzir a peroxidação lipídica. 

Dessa forma, ela ajudaria a reduzir as chances de desenvolver doenças cardíacas e acidentes vasculares.

Aplicações oncológicas

Em tratamento oncológicos, a Spirulina tem sido testada como transportador natural para entrega guiada de fármacos, inclusive na quimioterapia.

Também está em estudo se a Spirulina tem efeito antiproliferativo contra linhagens de células tumorais.

Usos oftalmológicos

A Spirulina está em testes tratamentos oftalmológicos, como, por exemplo, doenças da córnea decorrentes de neovascularização e inflamação.

A longo prazo, novas pesquisas devem avaliar se a Spirulina apresenta resultados para prevenção da perda de visão decorrente do estresse oxidativo.

Spirulina serve para queda de cabelo?

Com tantas sugestões de benefícios à saúde, é natural se indagar sobre possíveis efeitos da Spirulina para queda de cabelo.

Devido ao seu alto teor nutricional, esse superalimento poderia se tornar uma boa opção para suplementação alimentar, por exemplo.

Em pacientes com déficit de vitaminas e minerais, o uso da Spirulina para queda de cabelo até faria sentido.

Da mesma forma, a sua ação anti-inflamatória também poderia ajudar no controle de dermatites do couro, como a seborreia.

Já que a dermatite seborreica colabora para o fio cair, tomar Spirulina para queda de cabelo também seria uma boa.

Além disso, teoricamente, a ação antioxidante do suplemento protegeria os folículos da ação dos radicais livres.

Assim, ela diminuiria efeitos como queda de cabelo, aparecimento de fios brancos e progressão da calvície.

Apesar de todas essas múltiplas possíveis ações e benefícios da Spirulina para queda de cabelo, na prática não é bem assim.

Não há estudos clínicos suficientes com humanos para atestar a eficácia e segurança da Spirulina para queda de cabelo.

Dessa forma, por enquanto não se justifica seu uso para tratamento capilar.

Quais os riscos de se usar a Spirulina para queda de cabelo?

Tentativas envolvendo o uso de compostos como a Spirulina para queda de cabelo acabam por retardar o diagnóstico e início do tratamento.

O resultado disso é a redução progressiva das chances de sucesso posteriormente.

Quando se trata de cabelo, não vale a pena arriscar.

Por isso, procure um médico especialista!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)
Finasterida ou minoxidil: qual é a diferença?
Parte dos pacientes com problemas capilares ficam em dúvida se devem usar finasterida ou minoxidil.... (Leia mais)
Erros ao usar minoxidil: por que ele não funciona?
O minoxidil é um remédio comprovadamente eficiente para tratar a alopecia. Mas existem alguns erros... (Leia mais)

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *