Eflúvio telógeno: troca de cabelo

O eflúvio telógeno é uma das causas mais comuns de queda de cabelo em homens e mulheres.

Essa condição ocorre por alteração do ciclo natural dos cabelos.

Troca de cabelo: ciclo do pelo

O ciclo de cada fio de cabelo pode ser dividido nas seguintes fases:

  • Anágena: fase de crescimento do fio, em que há constante produção de cabelo;
  • Catágena: fase em que ocorre involução da raiz capilar, com preparação para queda;
  • Telógena: fase em que há interrupção da produção e do crescimento do fio, seguida de queda.

Após a queda, há ainda um breve intervalo para que ocorra a substituição do fio que caiu por um novo. Esse período é chamado de fase quenógena.

Cada fio de cabelo tem seu ciclo natural, sendo a troca esperada a cada 2 a 8 anos.

Para que todos os fios sejam trocados nesse período, é preciso cair cerca de 100 a 150 fios por dia.

Esses fios que caem, no entanto, não são perdidos, mas substituídos por outros fios.

Em pessoas sem alopecia, os novos fios tendem a ser semelhantes àqueles que caíram.

Dessa forma, há uma reposição constante de fios no couro cabeludo, garantindo a manutenção das características dos cabelos.

O eflúvio telógeno caracteriza-se por uma ruptura desse ciclo natural do cabelo.

Eflúvio telógeno agudo e crônico

Os fios de cabelo de um adulto se distribuem no couro cabeludo de acordo com a seguinte proporção:

  • Fase anágena: 80 a 90%;
  • Fase catágena: 1 a 2%;
  • Fase telógena:  10 a 20%.

O eflúvio telógeno ocorre quando há alteração dessa proporção, com mais de 25% dos fios na fase de queda ou telógena.

No eflúvio, a queda de cabelo ocorre de forma difusa, passando a ser comum a queixa de maior quantidade de fios após banho, no travesseiro ou no trabalho.

O eflúvio costuma começar cerca de 8 a 12 semanas após a ocorrência de eventos que comprometem a saúde.

Geralmente, os fatores desencadeantes do eflúvio costumam ser múltiplos, podendo, no entanto, haver um fator mais determinante.

A duração da queda a partir do início dos sintomas depende tanto desses fatores desencadeantes quanto da resposta do organismo a eles.

Esse tempo de recuperação é o que determina se o eflúvio é chamado de agudo ou crônico.

Eflúvio telógeno agudo

O eflúvio telógeno agudo é aquele que se resolve dentro de 6 meses.

Geralmente esse é o tempo necessário para que ocorra a troca de todos os fios que caíram precocemente por um evento agudo.

Como era de se esperar, as principais causas de eflúvio telógeno agudo são fatores pontuais, geralmente graves e de curta duração.

Dentre as principais causas de eflúvio telógeno agudo temos:

  • Pós-parto;
  • Cirurgia;
  • Infecções agudas graves como, por exemplo, dengue, febre amarela, pneumonia, meningite, pielonefrite ou hepatite;
  • Vacinas;
  • Remédios;
  • Anticoncepcionais: introdução, troca ou interrupção;
  • Estresse: após situações como separação, perda de emprego ou morte de entes queridos;
  • Couro cabeludo: queimaduras, irritação ou alergia por produtos químicos como alisantes e colorações.

Como se tratam de eventos de curta duração, muitas vezes fisiológicos como o período pós-parto e amamentação, a tendência é de que haja resolução espontânea do quadro, com reposição dos fios dentro de alguns meses.

Quando o fator causal é persistente, a queda pode perdurar por mais tempo, caracterizando o eflúvio telógeno crônico.

Eflúvio telógeno crônico

O eflúvio telógeno crônico ocorre quando a queda de cabelo persiste por mais de 6 meses.

Nesses casos, geralmente a queda evolui em ciclos, com períodos de queda mais intensa intercalados com outros de melhora.

Ao longo do tempo, a tendência é de que se perceba diminuição do volume do cabelo e pontas finas.

A sensação é de que os fios não crescem como antes e que eles ficam fracos nas pontas.

Existem diversas causas relacionadas a essa condição, como por exemplo:

  • Carências nutricionais: deficiências de vitaminas, proteínas e minerais;
  • Distúrbios hormonais;
  • Medicamentos;
  • Estresses prolongados;
  • Doenças crônicas;
  • Dermatites do couro cabeludo.

Tratamento do eflúvio telógeno

O eflúvio telógeno, seja agudo ou crônico, é uma condição em que há queda de cabelo como reflexo de distúrbios do organismo ou do couro cabeludo.

A natureza desses distúrbios e a forma como o corpo reage a eles determina a duração da queda.

Assim, para controle da queda provocada pelo eflúvio é fundamental que suas causas sejam reconhecidas e tratadas.

Como terapêutica medicamentosa, o minoxidil pode ser considerado.

O minoxidil é um remédio primariamente usado como anti-hipertensivo, mas que também se mostrou capaz de atuar nos cabelos.

Comprovadamente eficaz para tratamento da alopecia androgenética, o minoxidil ainda pode melhorar a queda provocada pelo eflúvio.

Isso porque ele tem a propriedade de aumentar o tempo da fase anágena dos fios.

O prolongamento da fase anágena faz com que os fios permaneçam mais tempo crescendo e caiam menos, controlando, dessa forma, o eflúvio.

A forma mais comum de uso de minoxidil para queda de cabelo é a de solução tópica.

No entanto, alguns estudos têm sugerido ainda a possibilidade de tratamento com minoxidil oral.

Tempo de recuperação

O período de recuperação do eflúvio varia de acordo com o tempo para se identificar e tratar as suas causas.

Uma vez que todas as causas foram reconhecidas e tratadas, é esperado que a queda se regularize em até 6 meses.

Como o fio de cabelo cresce em média 1 centímetro por mês, pessoas de cabelo longo podem demorar mais de um ano para notarem melhora do volume capilar.

Em pessoas com alopecia androgenética, esse tempo pode ser ainda mais longo, sem recuperação total dos cabelos perdidos.

Eflúvio telógeno: o que fazer?

O eflúvio telógeno ocorre quando há interrupção do ciclo normal do cabelo.

Nesse caso, observa-se um aumento da proporção de fios na fase de queda, também chamada de fase telógena.

A queda do eflúvio pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade, sendo um pouco mais comum em mulheres.

O tratamento da queda provocada pelo eflúvio requer o pronto reconhecimento e tratamento de seus fatores desencadeantes.

Dessa forma, para controlar o eflúvio o mais aconselhável é que se procure por um médico especialista assim que se perceba aumento da queda.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

blank

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Lúpus e cabelo: qual a relação?
A queda de cabelo por lúpus é uma queixa frequente dos portadores da doença. Ao... (Leia mais)
O que fazer para manter o cabelo da gravidez?
Existem muitas dúvidas sobre o comportamento do cabelo após gravidez. A mais frequente delas é... (Leia mais)
Queda de cabelo após vacina: qual é o risco?
Parece absurdo, mas algumas pessoas cogitam não se imunizar pelo receio de ter queda de... (Leia mais)

19 Responses

  1. Me interessei, meu cabelo ta caindo demais… já estou com pouco cAbelo na frente da pra notar e quando lavo e penteio cai demais… tenho até medo d lavar 😢😢

  2. Tomei corticoide ( prednisona ) por dois anos seguidos por causa da Urticaria crônica espontânea de um ano pra cá estou com menos de 80 % do meu cabelo que eu tinha estou desesperada parece que meu cabelo esta solto na cabeça, so de passas a mão ele se solta com facilidade o que fazer?

  3. Dr boa noite!

    Recentemente meu primo fez uma cirurgia FUE na Turquia e não conhecíamos seu trabalho. Assistindo algumas matérias inclusive sua, vi que você falou que após o Incisão dos fios eles começam a cair no primeiros dias da base, ocorrendo a quebra da haste, isso gerou dúvidas e eu por que os dele caiu com os bulbos já tem 2 meses, gostaria de enviar umas fotos, mas Os fios caem com um pontinha preta ou a ponta torta em
    Varios formatos diferentes Estava pensando em marcar na clínica dele mas acho que vou desistir.

    1. Olá, Higor

      A queda de cabelo após transplante capilar (https://clinicadoppio.com.br/shock-loss-queda-de-cabelo-apos-transplante-capilar/) pode ter inúmeras causas.
      Portanto, é preciso passar por uma avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, para determinar os motivos da sua queda de cabelo.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

    1. Olá, Sheila

      Desde que a pessoa esclareça e trate todas as causas do eflúvio, a tendência é que o volume se recupere gradualmente.
      O tempo vai depender do comprimento dos fios de cada um, lembrando que o fio cresce em média 1 cm/mês (https://clinicadoppio.com.br/crescimento-dos-cabelos/).
      Caso isso não ocorra, é preciso investigar outras patologias associadas.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  4. Olá, sou de BH e gostaria de saber se vcs indicariam uma clínica ou um especialista nesta área, aqui na minha região. Venho tentando tratar deste problema de queda de cabelo há mais de 1 ano e não tenho visto melhora. Meu cabelo cai muito em todos os momentos e na hora do banho, aos montes. É desesperador. Tenho lido muito mas, muita informação para quem é leigo no assunto, acaba trazendo ansiedade.
    Uso minoxidil, usei o espironolactona por 3 meses, a médica suspendeu e receitou vitamina (Tacitá) que tomei por um curto período e tbem n vi resutados. Agora, de novo, voltei para o espironolactona e me indicou por 6 meses e o Pantogar por 3 meses. Comecei agora em novembro este novo ciclo de tratamento.

    ESpero que possam me dar alguma orientação…obrigada!

    1. Olá, Rozana

      Infelizmente não tenho nenhuma indicação de profissional em Belo Horizonte.
      Mas caso venha a São Paulo, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estaremos à disposição para poder ajudá-la.

      1. Oi Doutor Nilton, eu tive um efluvio telogeno e usei minoxidil por 1 mes, nasceram novos cabelos e parou a queda, mas já tem 3 semanas que eu não uso mais, os cabelos novos caem quando para o minoxidil? Não quero ficar dependente deste medicamento.
        Desde já, obrigada

        1. Olá, Lúcia

          Parte dos efeitos do minoxidil cessa quando se interrompe o tratamento, como você pode ver nesse artigo: https://clinicadoppio.com.br/minoxidil-funciona/.
          Um desses efeitos é o aparecimento de pequenos fios novos, que tendem a cair dentro de alguns meses.
          Entretanto, se o seu diagnóstico for realmente eflúvio, não deve haver aumento da queda de cabelo após interrupção do tratamento com minoxidil.
          Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
          Estamos à disposição para ajudá-la.

  5. Olá, Dr Nilton! Não tenho dúvidas que a minha queda de cabelos é por causa de estresse. Minha dúvida é: Depois que ocorre o início da queda é possível cessá-la no momento em que se trata a causa do problema ou é inevitável?

  6. tenho 22 anos… a uns 2 messes fiz progressiva, meu cabelo é curto, então o formol entrou em contato com o couro da cabeça, eu já cortei o cabelo pq comecei a ver uma queda a qual eu nunca tive de fato, sempre após progressiva ou relaxamento…
    agr que cortei vi que caiu alguns fios significativos para deixaram uns espaços na cabeça (detalhe os fios caem com aquela pontinha branca a mucina)

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *