entradas no cabelo

Entradas no cabelo: estou ficando careca?

A presença de entradas no cabelo é um dos primeiros sinais da calvície tanto em homens quanto em mulheres.

Mas nem sempre o recesso capilar é sinal de que está se ficando calvo.

Como diferenciar os diferentes tipos de entradas no cabelo?

A linha de implantação do cabelo é o limite entre os fios do couro cabeludo e o restante da cabeça.

Dessa forma, a linha de implantação frontal é o limite anterior do cabelo, ou seja, entre a testa e o couro.

Quando ocorre avanço dessa linha em direção ao couro, formam-se as famosas entradas no cabelo, em inglês “receding hairlines”.

Esses recuos do cabelo geralmente não ocorrem de forma semelhante dos dois lados da cabeça. Na maior parte dos casos, há um lado com mais entrada do que o outro.

Tidas como um dos sinais mais clássicos de calvície, as entradas nem sempre significam perda progressiva de cabelos.

Existem diversos tipos de entradas no cabelo, com diferentes causas e tratamentos.

Diferenciar cada uma delas é o primeiro e mais importante passo na busca por formas de prevenir sua piora.

A seguir, serão descritas as principais causas do recuo da linha de implantação frontal dos cabelos.

1. Entradas no cabelo normais do desenvolvimento

É esperado que conforme as crianças vão crescendo o formato do frontal do couro cabeludo vá se modificando.

Esse processo faz parte do desenvolvimento, sendo mais evidente na adolescência e início da idade adulta.

Durante esses períodos, o frontal é mais arredondado, em forma de “U”.

Com o tempo, a linha de implantação capilar vai ficando mais reta, assumindo o formato de “V” ou de “M”.

Com isso, fica mais evidente uma ponta bem no meio testa conhecida popularmente como bico da viúva ou, em inglês, “widow’s peak”.

Mesmo sendo normal, há variações nesse recuo do cabelo associado ao amadurecimento.

Essas variações dependem de diversos fatores como idade, sexo e herança genética.

2. Alopecia androgenética

A alopecia androgenética é de longe a causa mais frequente de entradas no cabelo masculino e feminino.

Também chamada de calvície genética, essa forma de alopecia pode acometer até 85% dos homens e 40% das mulheres.

Trata-se de uma condição de perda progressiva de cabelos em pessoas com predisposição hereditária a ficarem calvas.

Na calvície genética, os fios vão ficando cada vez mais finos e curtos até desaparecerem por completo.

Esse processo é conhecido como miniaturização e ocorre por influência de hormônios masculinos chamados andrógenos.

Os principais hormônios envolvidos são a testosterona e seu metabólito diidrotestosterona (DHT).

Eles estão presentes tanto em quanto em homens quanto em mulheres e em todas as fases da vida.

Na infância, eles têm valores bem reduzidos, com rápido e expressivo aumento após a puberdade.

Isso explica o motivo da calvície começar a se expressar na adolescência e progredir durante a vida adulta.

Além disso,prevalência de hormônios masculinos com queda dos hormônios femininos progesterona e estrógeno durante a menopausa justificam a piora mais rápida da calvície em mulheres idosas.

O aumento dos níveis dos hormônios masculinos e piora da calvície também costumam ocorrer após uso de reposição hormonal com gel de testosterona, anabolizantes, hormônios bioidênticos ou creatina.

Alguns tipos de anticoncepcionais como o DIU Mirena e o chip da beleza, dentre outros, são outros exemplos de causas cada vez mais frequentes de formação de entradas no cabelo feminino.

3. Alopecia triangular congênita: entradas no cabelo de nascença

A alopecia triangular congênita, ou alopecia triangular temporal, é uma causa de recessos capilares bem particular.

Trata-se de uma perda de cabelos não progressiva e bem localizada somente nas entradas.

Segundos dados da literatura, em 80% dos casos, a falha é de um lado só, sendo bilateral em cerca de 18% das vezes. Em 2% das pessoas acometidas, a falha aparece na nuca.

Na alopecia triangular não há formação de cicatrizes na pele nem sinais inflamatórios como coceira, dor ou vermelhidão.

Apesar de ser uma doença congênita, ou seja, de nascença, ela pode aparecer já ao nascimento, mas também pode só ficar evidente mais tardiamente.

Os motivos que levam à queda dos cabelos nessa condição são desconhecidos.

Mas sabe-se que não tem ligação com nenhuma doença interna e nem é contagiosa e, portanto, não passa nem pega de ninguém.

4. Alopecia de tração

A alopecia de tração é uma das causas mais comuns de entradas no cabelo de mulheres afrodescentes.

Não se trata de uma questão associada à raça ou ao tipo de cabelo, mas à maior tendência em usar penteados muito apertados como corn rows, rabos de cavalo, coques, tranças e apliques como dreads e rastafari.

Mulheres que usam extensões capilares como Mega hair também podem ser acometidas.

Na alopecia de tração há uma perda lenta e gradual dos cabelos de toda a franja e laterais.

É típico dessa condição a presença de uma estreita faixa de fios curtos na frente das áreas de rarefação capilar.

A perda de cabelo, no caso, é provocada pela força intensa e prolongada que é feita sobre os folículos capilares.

Os fios de cabelo aguentam uma certa tensão, mas quando ela é muito forte e repetida, ela vai danificando suas raízes.

Dessa forma, elas vão ficando mais fracas até o ponto de não conseguirem mais segurar os fios.

Dependendo da intensidade e duração desse tracionamento, pode haver cicatrização do local, com perda definitiva do cabelo.

5. Alopecia frontal fibrosante

A alopecia frontal fibrosante é uma rara causa de entradas no cabelo.

Nessa condição, há um avanço da linha de implantação frontal para dentro do couro.

A perda de cabelos em faixa é acompanhada de típicas alterações na pele do couro cabeludo do local acometido.

Por se tratar de uma doença inflamatória, é esperado que se observe um pequeno halo de vermelhidão e descamação na pele ao redor dos fios acometidos.

Essa inflamação leva à destruição dos folículos com perda dos fios e consequente substituição por cicatrizes.

A pele passa a ficar lisa, mais brilhante e fina nas bordas do cabelo.

Além do couro cabeludo, sobrancelhas também são frequentemente acometidas com rarefação progressiva.

Boa parte dos pacientes ainda notam pequenas “bolinhas” na pele do rosto, frequentemente descritas com grosseira.

A alopecia frontal fibrosante acomete mais mulheres, principalmente após a menopausa.

Sua causa não é conhecida, mas fatores como genética, vírus, alimentos, remédios e até protetores solares têm sido investigados.

6. Alopecia areata

A alopecia areata é uma doença autoimune em que o corpo, por razões desconhecidas, passa a “rejeitar” o próprio cabelo.

Por não reconhecer os fios, o sistema de defesa ataca e derruba os folículos de qualquer parte do corpo, em especial do couro cabeludo.

Esse ataque gera falhas arredondadas e bem lisas no couro.

Quanto as falhas acometem a linha de implantação frontal, elas podem se apresentar como entradas no cabelo.

Geralmente há aparecimento de um único “buraco”, mas múltiplas falhas também podem ser vistas no restante do couro cabeludo ou em áreas pilosas como sobrancelhas, barba ou qualquer outro lugar com pelos do corpo.

A alopecia areata acomete tanto homens quanto mulheres de qualquer faixa etária.

O início geralmente é súbito, com rápida e intensa queda de cabelo.

7. Outras causas de entradas no cabelo: traumas e cirurgias

Existem diversas outras situações que podem levar a falhas no couro cabeludo.

Essas incluem, por exemplo:

  • traumas: acidentes, escalpelamento, queimaduras
  • cirurgias para retirada de tumores
  • cirurgias plásticas como o face ou brow lifting
  • transplante capilar

Como reverter as entradas no cabelo?

O tratamento das entradas no cabelo depende da sua causa e do seu grau de acometimento.

Algumas condições que causam queda de cabelo são definitivas, mas a maior parte dos casos é reversível.

Há também aqueles que não precisam ser tratados.

As entradas provocadas pelo desenvolvimento, por exemplo, são normais e não costumam ser corrigidas.

No entanto, pessoas que ficam muito incomodadas com o formato do cabelo nesses casos podem avaliar uma reconstrução cirúrgica através de transplante.

O transplante capilar também é uma opção de tratamento para casos selecionados de alopecia triangular congênita, alopecia frontal fibrosante, alopecia de tração, cicatrizes por trauma ou queimadura e, claro, a alopecia androgenética.

Até pela frequência muito mais elevada que as demais causas de entradas no cabelo, a calvície genética é a indicação mais comum de transplante capilar.

O transplante cirúrgico é uma boa opção terapêutica, mas nem sempre é o tratamento de escolha.

Medicamentos e outros tratamentos não cirúrgicos como minoxidil tópico, laser capilar, finasterida, dentre outros, podem ter resultados bem interessantes, sem ser necessário passar por uma cirurgia.

Tudo depende da causa, da intensidade e da extensão das entradas no cabelo.

Um caso particular, por exemplo, é o da alopecia areata.

Em grande parte dos casos de alopecia areata ocorre melhora espontânea da falha, com crescimento normal dos cabelos dentro de alguns meses.

Entretanto, quando a falha é persistente ou se ocorre aumento dos buracos, tratamentos devem ser feitos para que os cabelos voltem.

Entre os tratamentos mais usados para as entradas no cabelo provocadas pela alopecia areata estão os corticóides tópicos e injetáveis.

Entradas no cabelo: o que fazer?

Independente da causa, quando as falhas que formam as entradas no cabelo estão muito visíveis, é mais difícil conseguir reverter o quadro.

Portanto, para aumentar a chance de recuperar os cabelos é fundamental procurar um médico assim que se notar a rarefação capilar no local.

A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido.