Exossomos capilares: como eles podem contribuir para o tratamento da calvície e queda de cabelo?

O uso dos exossomos capilares para tratar os diferentes tipos de alopecia parece promissor.

As características dessa nova técnica criam uma série de novas possibilidades e perspectivas terapêuticas.

Por isso, vale a pena ter mais informações sobre o assunto

O que são exossomos?

Os exossomos são minúsculas vesículas derivadas de membranas celulares secretadas para transportar moléculas bioativas como DNA, RNA, metabólitos, lipídios e proteínas. 

Essas pequenas micelas, com diâmetro entre 40 a 120 nanômetros, são constantemente liberadas pelas células durante suas atividades normais.

Mas nem toda micela que circula entre as células é um exossoma. Parte dessas vesículas são, não verdade, ectossomos. 

A diferença básica entre ectossomos e exossomos vem da origem dessas estruturas. 

Enquanto os ectossomos se formam a partir da membrana de revestimento das células, os exossomos derivam de organelas intracelulares. Assim, a cápsula dos exossomas se forma a partir da fusão das membranas de estruturas internas das células.

Para que serve o exossoma?

Por serem produtos das próprias células, os exossomos circulam livremente dentro e entre os tecidos do organismo.

Dessa forma, eles conseguem transportar informações e componentes de um local para outro, sem haver rejeição. Assim, praticamente não haveriam contraindicações ao tratamento com os exossomos.

Além disso, graças a sua estrutura vesicular, os exossomas conseguem proteger proteínas e ácidos nucleicos da degradação.

Justamente por conta dessas propriedades, os exossomos têm atraído o interesse de pesquisadores do campo da medicina e engenharia genética.

Uma das propostas de uso dessas estruturas, por exemplo, seria usá-las para direcionar remédios somente às células-alvo. 

Desse modo, ao agir exclusivamente nas células doentes, o tratamento ganha muito em especificidade, eficácia e segurança.

Além disso, ao isolar os exossomas de células-tronco também se cria a possibilidade de induzir a diferenciação e formação tecidual.

Outra possível aplicação dos exossomos seria na reparação de tecidos e de material genético com danos. 

Nesse caso, através dos exossomos, seria possível enviar sondas e incorporar pequenos fragmentos de DNA, modificando os genes. Com isso, as possibilidades passariam a ser quase infinitas.

Embora a composição e conteúdo dos exossomas sejam semelhantes, cada tecido contém informações diferentes.

Desse modo, os exossomos capilares, por exemplo, carregam informações e componentes essenciais para o folículo capilar.

Quais são as ações dos exossomos capilares?

Os exossomas participam de importantes processos celulares, como diferenciação, formação de estruturas, remodelamento, reparação e manutenção.

Os exossomos capilares, por exemplo, carregam proteínas como a Wnt, capaz de ativar a via Beta-catenina.

O sistema Wnt-catenina colabora na formação e remodelação do fio a cada ciclo. Além disso, sua ativação prolonga a fase de crescimento do folículo, resultando em cabelos mais longos, fortes e com menos queda.

Através da ativação dessa e de outras vias de sinalização intracelular, os exossomos capilares podem, portanto, regular o folículo piloso.

Desse modo, com o isolamento, seleção e direcionamento dos exossomos capilares seria possível, na teoria, controlar o desenvolvimento do cabelo.

Na área tricológica, essa possibilidade revolucionaria o tratamento dos diferentes tipos de alopecia e causas de queda de cabelo.

Regeneração capilar no tratamento da calvície

A alopecia androgenética é uma das queixas mais frequentes em consultórios dermatológicos.

Trata-se da causa mais comum de perda de cabelo, afetando cerca de 85% dos homens e 50% das mulheres.

Embora não interfira diretamente na expectativa de vida, a alopecia tem um significativo impacto psicológico negativo nos pacientes.

Por isso, há uma busca constante por novos e efetivos tratamentos para a calvície.

Entretanto, a tarefa não é fácil. Isso porque a alopecia androgenética é uma condição na qual há perda progressiva dos folículos capilares por miniaturização.

Nesse processo, ocorre um afinamento e encurtamento progressivos dos fios até sua completa extinção.

Como as células-tronco do folículo também se perdem no processo, não há como recuperar esses fios em estágios mais avançados.

Além disso, alguns dos medicamentos com aprovação do FDA e ANVISA, como a finasterida e minoxidil, também têm suas restrições.

Além de uma certa limitação em promover o crescimento capilar, há ainda problemas na adesão dos pacientes ao uso desses remédios. Parte da dificuldade vem da necessidade de uso diário dessas medicações, mas também pela intolerância e receio de possíveis efeitos colaterais.

Nesse cenário, terapias regenerativas se tornaram uma emergente área de interesse de pesquisas científicas.

Estudos experimentais envolvendo exossomos capilares 

Vários cientistas investigam as ações e possíveis aplicações dos exossomos capilares.

A maior parte deles tem como foco exossomas provenientes da papila dérmica, região na base do folículo.

As células mesenquimais da papila desempenham um papel crítico no crescimento, formação e regulação do ciclo do cabelo.

Um dos trabalhos científicos a colaborar com essa hipótese foi uma pesquisa experimental de 2018.

No estudo, a injeção de exossomos capilares da papila dérmica em camundongos promoveu resultados interessantes.

Após as aplicações, houve um aumento de sinalizadores intracelulares com consequente proliferação de células do bulbo capilar e de células-tronco.

Um outro estudo de 2019 também constatou prolongamento da fase de crescimento folicular após inoculação dos exossomos capilares em ratos. Nesse experimento, os exossomos foram provenientes de culturas de células da papila dérmica de folículos humanos.

Em 2021, outra pesquisa constatou redução da queda de cabelo e inflamação em modelos animais com alopecia areata.

E as descobertas não param por aí. 

Em um experimento de 2022, exossomos capilares foram capazes de transformar células-tronco do tecido adiposo em células da papila dérmica folicular.

Além da gordura, células-tronco da pele, líquido amniótico e medula óssea também parecem ter exossomos capazes de estimular o crescimento capilar.

Enfim, tudo indica que os exossomos capilares podem ter significativos efeitos na formação, desenvolvimento e regeneração do cabelo.

Estudos clínicos com exossomos capilares

Embora existam diversos testes em animais, na prática, ainda não há tanta evidência de bons resultados com exossomos capilares.

Uma das poucas pesquisas envolvendo humanos é a publicação coreana de 2019 presente na conceituada revista da Academia Americana de Dermatologia.

Participaram da pesquisa 20 voluntários, entre homens e mulheres, com alopecia androgenética

Nesse estudo piloto, observou-se melhora da espessura e densidade do cabelo após 12 semanas de terapia com exossomos capilares.

Riscos, complicações e efeitos colaterais da terapia com exossomos capilares

Diversos estudos com exossomas em outras áreas da medicina reivindicam a segurança do método.

Por outro lado, a agência americana de saúde FDA lançou em 2019 e 2020 alertas sobre riscos envolvendo essa terapia.

No comunicado, o FDA descreve 5 casos de graves complicações, como infecção e sepse, após 2 meses de tratamento com exossomos.

Além disso, a agência divulgou pareceres não reconhecendo essa forma de tratamento, tornando-a, portanto, experimental.

O conhecimento da atuação de exossomas na área capilar é ainda mais restrito. Pouco se sabe sobre os seus riscos e possíveis efeitos adversos a curto e, principalmente, a longo prazo.

Vale a pena tratar a alopecia com exossomos capilares?

Os exossomos capilares podem ser uma ferramenta útil no tratamento da calvície e queda de cabelo.

Suas possíveis ações vão desde a regeneração capilar, com crescimento de novos fios, até a transferência de moléculas bioativas ao folículo.

Nesse sentido, os resultados de testes em laboratório são promissores. 

Contudo, ainda são necessários mais estudos científicos para avaliar a real eficácia e segurança dos exossomos no tratamento da alopecia.

Existem diversos pontos a se resolver antes de tornar os exossomos viáveis. 

Um deles é a diversidade de vesículas, seja em tamanho, conteúdo ou função.

Outros pontos críticos são, por exemplo, a proveniência das micelas, otimização do mecanismo de entrega, dose e, principalmente, segurança.

Enquanto ainda existirem essas questões, o tratamento com exossomos capilares continuará sendo especulativo, ou seja, sem quaisquer garantias.

Como tratar a calvície?

A ciência constantemente traz inovações e soluções para a área da saúde.

Por isso, cada vez mais surgem possíveis novos remédios e tratamentos para a alopecia. 

Entretanto, diante dessa situação, é fundamental saber distinguir o que realmente é eficaz e seguro.

Portanto, se você quer se manter atualizado e saber mais sobre esses e outros tratamentos capilares, faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio  possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, contamos ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Como engrossar o cabelo?
Na internet existem diversas receitas e dicas de como engrossar o cabelo. Embora muitas delas... (Leia mais)
Erros ao usar minoxidil: por que ele não funciona?
O minoxidil é um remédio comprovadamente eficiente para tratar a alopecia. Mas existem alguns erros... (Leia mais)
Riscos e efeitos colaterais da dutasterida para tratamento capilar
Desde a sua aprovação para tratamento da calvície masculina pela ANVISA, aumentou-se o interesse por... (Leia mais)

11 Responses

  1. Artigo ótimo e esclarecedor. Que tenhamos logo novas opções de tratamento com eficácia e segurança. Vai nos atualizando sobre o assunto. Obrigada!

  2. Olá, Dr. fiquei sabendo sobre o tratamento do exossomos na alopécia areata, minha filha 12anos vai passar por sessões, pois tem tido pouca melhora e progressão do quadro com o tratamento convencional, o Sr acha conveniente essa tentativa? Estou confiante!

    1. Olá, Luciana

      A indicação de medicamentos e outras formas de tratamento dependem de uma prévia avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Portanto, sugiro que agende uma consulta para que possamos discutir possibilidades terapêuticas.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  3. Gostaria de saber se já houve casos de alopécia areata tratados com exossomos no seu consultório e se os resultados foram positivos, ficaria grata em responder

  4. bom demais, o problema é que cada sessão com exssomo custa 3 mil reais né…o pobre morre careca. mas parabéns pelo site, amo sua informações.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *