Ferimento no couro cabeludo: o que fazer?

É importante saber como proceder com um ferimento no couro cabeludo após sofrer trauma ou acidente com pérfuro-cortante.

O primeiro problema costuma ser estancar o sangramento, geralmente abundante.

Cuidados com a higiene do local também são fundamentais, pois a ferida aberta é porta de entrada para infecções.

Além disso, o machucado após bater a cabeça é um sinal de alerta para possíveis lesões cerebrais mais graves.

Por fim, a cicatriz após ferimento no couro cabeludo pode resultar em perda definitiva de cabelos no local.

Dessa forma, vale a pena saber como lidar com a ferida na cabeça para minimizar suas consequências.

Por que é comum ter ferimento na cabeça?

O couro cabeludo tem algumas características que o tornam especialmente propenso a acidentes.

O primeiro deles é o próprio cabelo.

Os fios ajudam a proteger a pele da radiação solar, mas também podem expor o couro a acidentes.

Esse é o caso, por exemplo, de lacerações por escalpelamento.

As lacerações ocorrem quando forças abruptas e intensas provocam lesões abertas como rasgo na pele e tecidos subjacentes.

Os quadros de laceração são mais comuns em quedas ou acidentes com objetos pontiagudos, perfurantes ou cortantes.

Além disso, a laceração também pode ser decorrente de tração como no caso do escalpelamento.

Nesse quadro, observa-se um arrancamento parcial ou total dos fios e do couro cabeludo após os cabelos ficarem presos a máquinas ou motores.

Assim, ter cabelos longos é um fator de risco para esse tipo de acidente.

Anatomia do couro cabeludo

A anatomia do couro cabeludo também ajuda a entender porque seu ferimento tem características distintas de outras partes do corpo.

De fora para dentro, o couro cabeludo tem os seguintes extratos:

  • pele;
  • tecido conectivo denso: traves fibrosas e gordura;
  • aponeurose ou gálea aponeurótica: tecido fibroso que conecta músculo;
  • tecido conjuntivo frouxo;
  • periósteo: região junto aos ossos rica em vasos sanguíneos;
  • osso.

Como se pode perceber, o couro cabeludo tem não tem músculos abaixo da pele. A camada de gordura também é fina.

Dessa forma, ele tem menos capacidade de absorver impactos, tornando batidas na cabeça um risco para traumas e hemorragias internas.

Além disso, o fato da pele ficar esticada no osso, sem tecidos para amortecer batidas, faz o couro ser mais suscetível a lacerações.

Orientações de cuidados com o ferimento no couro cabeludo

Ao se deparar com um ferimento no couro cabeludo é importante seguir corretamente os seguintes passos:

1) garantir a segurança da vítima e do socorrista. Isole o local do acidente para diminuir a exposição a mais riscos;

2) avalie a consciência e sinais de alerta como:

  • dor de cabeça;
  • rigidez da nuca;
  • sonolência;
  • tontura;
  • convulsão;
  • fala arrastada ou confusa;
  • desmaio;
  • vômitos;
  • pupilas (parte preta no centro do olho) de tamanhos diferentes;
  • sangramento pelo nariz, orelhas ou olhos.

Esses são indícios de possível trauma intracraniano. Nesse caso, avisar o serviço de urgência SAMU ligando 192;

3) cheque a respiração da pessoa. Se ela não estiver respirando normalmente, chame o SAMU e inicie a ressuscitação cardiorrespiratória;

4) se a pessoa estiver respirando, mas inconsciente no chão, estabilize o pescoço segurando a cabeça da vítima com as 2 mãos. Mantenha cabeça e coluna alinhadas. Não tente levantar ou carregar a pessoa. Chame o SAMU;

5) em caso de sangramento, comprima o ferimento com um pano, toalha, faixa ou atadura. Atenção: se houver possibilidade ou suspeita de fratura do crânio, não comprimir nem mexer na ferida;

6) procure por assistência médica o quanto antes. 

No hospital ou serviço de saúde, o médico deve avaliar:

  • a necessidade de cirurgia ou sutura para fechamento do ferimento no couro cabeludo;
  • exames de imagem complementares como raio X ou tomografia computadorizada para avaliação de fraturas ou formação de coágulos intracranianos;
  • necessidade de internação para observação da evolução do quadro;
  • uso de antibióticos e vacinas como a do tétano e antirrábica.

Crescimento capilar após ferimento no couro cabeludo

Uma dúvida comum após lesões no couro cabeludo é se e quando o cabelo vai crescer depois do acidente.

Para responder esta questão, o médico precisa examinar a ferida e, às vezes, até esperar ela cicatrizar.

Isso porque nem sempre feridas no couro cabeludo vão resultar em cicatrizes e perda definitiva de cabelo.

Tudo depende do tipo e profundidade do ferimento.

Cortes lineares, se suturados corretamente, deixam cicatrizes finas e quase imperceptíveis.

Já machucados por laceração, ralado ou avulsão, dependendo da profundidade, podem deixar marcas com perda capilar definitiva.

Apesar da literatura médica não definir, acredita-se que ferimentos com mais de 2 mm de profundidade podem causar alopecia cicatricial.

Isso porque a maioria das células-tronco foliculares se posicionam entre 3 a 5 mm da superfície, nos chamados bulges capilares.

Nesse caso, os folículos atingidos pelo ferimento no couro cabeludo são substituídos por cicatriz, ou seja colágeno.

Com formação de tecido fibroso, há interrupção do crescimento capilar naquele local.

Portanto, para não haver perda capilar após ferimento no couro cabeludo, é fundamental se preservar o bulge capilar do fio.

Sendo assim, ralados, escoriações, queimaduras ou machucados superficiais não levam à perda do cabelo.

Em geral, ele costuma voltar a crescer entre 4 a 6 meses após a cicatrização da ferida.

Tratamento para perda de cabelo 

Mesmo quando se formam cicatrizes após queimaduras ou um ferimento no couro cabeludo, ainda é possível se reparar a área calva.

Dentre as opções de correção, encontram-se as seguintes abordagens cirúrgicas e não-cirúrgicas:

  • Tricopigmentação ou micropigmentação capilar: tatuagem do couro cabeludo com aplicação de pigmentos de tinta para cobrir a área sem cabelo. Pode ser uma boa opção para cicatrizes pequenas;
  • Cirurgia reparadora: técnica de retirada da cicatriz e fechamento do defeito com sutura simples ou retalho cutâneo;
  • Transplante capilar: permite transferir folículos pilosos de uma área com crescimento capilar normal à região com alopecia. Ele pode ser feito através das técnicas FUT ou FUE. Por ser uma área com fibrose, costuma haver comprometimento na pega do implante;
  • Prótese capilar: quadros mais extensos e graves podem obter resultados naturais com uso de próteses. As opções variam desde as básicas perucas até modelos mais modernos e seguros.

Por que procurar um médico após ferimento no couro cabeludo?

A abordagem correta de um corte na cabeça diminui a exposição a riscos e possíveis sequelas, inclusive algumas fatais.

Isso porque dependendo do trauma, pode também haver formação de hematoma subdural ou epidural, com compressão cerebral e morte.

Portanto, é fundamental procurar um médico o mais rápido possível após notar ferimento no couro cabeludo de qualquer natureza.

Após receber os primeiros socorros, atendimento médico e alta com orientações para tratamento em casa, é hora de pensar no cabelo.

Nesse momento, é bom contar com o auxílio do médico especialista em cabelos.

Após avaliação do quadro, ele pode orientar sobre quais cuidados tomar para recuperar os fios.

Além disso, nos casos de alopecia, ele pode apresentar as alternativas terapêuticas para cada caso.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

 
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Peeling capilar: indicações, benefícios e riscos
O peeling capilar faz parte do protocolo de tratamento de diversas patologias envolvendo o cabelo... (Leia mais)
Foliculite dissecante: causas, diagnóstico e tratamento
Alguns tipos de foliculite do couro cabeludo podem cursar com alopecia cicatricial. Esse é o... (Leia mais)
Irritação no couro cabeludo: o que pode ser?
Não é incomum escutar alguém se queixando de sintomas de dermatite do couro cabeludo como... (Leia mais)

14 Responses

  1. Olá boa noite, estou uma coceira na cabeça e acabo cosando e gera machucado e fica saindo uma aguinha e fica ardendo tipo queimadura que tipo de remédio é indicado pra este tipo de lesão

    1. Olá, Adriana

      A primeira recomendação é evitar de coçar e de arrancar a casca que forma sobre a ferida.
      Só isso deve ser suficiente para cicatrizar a lesão.
      Se, no entanto, ela persistir, sugiro que procure um médico especialista para avaliação.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  2. meu filho ele nasceu prematuro e devido a isso ele teve q ficar na encubadora, e teve lesões por pressão na cabeça e formou uma ferida ,ele tem 1 ano hoje e ainda nasceu cabelo ,ainda nasce ou tem que fazer tratamento pra nascer ?

    1. Olá, Natália

      Ainda é muito cedo para saber. Melhor aguardar mais um ano para ver se há crescimento de cabelo no local.

  3. oii, então, eu fiz um penteado e ficou apertado demais, e acabou que o meu cabelo cortou o meu couro cabeludo, e agora o meu cabelo não para de cair, o que eu faço?

    1. Olá, Estefany

      Existem muitas causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/causas-de-queda-de-cabelo-feminino/), mas pequenos cortes no couro não costumam ser um delas.
      Provavelmente tem outros fatores envolvidos.
      Entretanto, para determinar o motivo da sua queda é preciso antes passar por uma avaliação médica especializada.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é que se pode esclarecer o que está ocasionando a queda.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    1. Olá, Fabiana

      Sugiro que siga as seguintes orientações:

      • evitar tomar banhos muito quentes para não piorar a dor e desconforto. Ao sair do banho secar a cabeça levemente;
      • evitar usar xampus ou produtos capilares que possam agravar a irritação como, por exemplo, esfoliantes, ou anti-resíduos;
      • após um ferimento no couro cabeludo não é um bom usar produtos no cabelo como cremes ou gel, pois eles podem irritar mais a região afetada;
      • secadores também não devem ser usados nesse período, pois eles também podem intensificar os danos;
      • em caso de dor, pode-se tomar um analgésico de costume;
      • não se deve aplicar chás, produtos caseiros, água oxigenada, cremes ou pomadas na pele afetada, sem orientação médica;
      • não aplicar gelo ou qualquer objeto gelado no couro;
      • não tente tirar as casquinhas ou cabelos que ficaram grudados;
      • se tiver pus ou a dor persistir por muitos dias, procure um médico dermatologista.

  4. fiz uma progressiva que machucou a frente do meu cabelo , n consigo nem mexer que dói, uma parte da testa está machucada tbm , seria queimadura da progressiva ou alergia a ela ?

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *