Formigamento na cabeça: o que pode ser?

Não é normal ter formigamento na cabeça frequentemente.

A sensação de pinicação no couro cabeludo pode ter como causas fatores locais ou sistêmicos.

Por isso, é fundamental fazer uma investigação geral e exame do couro cabeludo antes de iniciar qualquer tratamento.

Quais são as causas de formigamento na cabeça?

Parestesia é o termo médico usado para descrever a sensação de formigamento no corpo.

No couro cabeludo, a parestesia pode ocorrer isoladamente ou junto a outros sintomas como ardência, coceira, caspa ou dor.

Independente de ter ou não outros sintomas, quando a pinicação é persistente ou recorrente, é necessário se fazer uma investigação.

O formigamento na cabeça pode ter diversas causas, sendo algumas delas descritas a seguir.

Irritação ou alergia a produtos químicos

Uma das causas mais comuns de formigamento ou queimação no couro cabeludo é o eczema de contato.

A inflamação do couro, no caso, pode ocorrer tanto por irritação quanto por alergia aos produtos químicos.

A dermatite irritativa costuma ocorrer com químicas mais fortes como alisantes ou tinturas.

Mas ela também pode aparecer pelo contato acidental com compostos como alvejantes ou até pelo enxágue insuficiente de produtos capilares.

No caso da irritação, o formigamento na cabeça se inicia logo após o contato do produto com o couro.

A pele geralmente fica vermelha, podendo ainda ter coceira, dor, ardência, bolhas e até feridas.

Já na alergia ou eczema por sensibilização, há uma latência entre o uso do produto e início dos sintomas.

Isso porque o organismo leva um tempo para criar a resposta imune ao agente sensibilizante.

Dessa forma, a alergia não ocorre logo no primeiro uso do produto, mas depois de um certo tempo o usando.

As substâncias alergênicas podem estar presentes desde produtos rotineiros como shampoo, condicionador, tinturas até em tratamentos químicos.

Como quase tudo pode causar alergia, muitas vezes é necessário se fazer um teste de contato para definir o agente causal.

Doenças cutâneas

A sensação de pinicação ou formigamento na cabeça também pode ser parte de manifestações de condições dermatológicas.

Dermatite seborreica

A popular seborreia é uma das causas mais comuns de formigamento no couro cabeludo. 

No caso dessa dermatite, fatores como oleosidade e proliferação de fungos favorecem a inflamação e pinicação da pele. 

Além disso, podem aparecer manchas vermelhas, inchaço, coceira, dor e caspa.

Eczema atópico

A dermatite atópica é uma doença na qual há uma falha da barreira cutânea.

Nos pacientes atópicos, a camada de hidratação da superfície da pele é ineficaz. 

Portanto, a pele fica mais ressecada e propensa a infecções e inflamações. 

Além do formigamento na cabeça, o paciente atópico também costuma ter lesões e muita coceira em outras partes do corpo.

Psoríase

Doença inflamatória na qual há formação de manchas escamosas avermelhadas na pele, acometendo com frequência o couro cabeludo. 

As escamas costumam ser prateadas e as lesões sangram facilmente. 

Assim como na dermatite atópica, na psoríase também é comum ter lesões em outras partes do corpo.

Alopecia 

O formigamento  do couro não é um dos sintomas clássicos da calvície, mas pode ocorrer em casos de alopecia cicatricial.

Isso porque parte das condições que levam à fibrose dos folículos começa por uma inflamação dos bulbos capilares.

Na evolução do quadro inflamatório pode haver vermelhidão, inchaço, descamação e até formação de espinhas purulentas ao redor dos fios.

O sintoma mais comum e significativo da alopecia cicatricial, no entanto, é a queda seguida de perda definitiva do cabelo.

Infecções e infestações

Existem diversos microorganismos e parasitas capazes de irritar o couro.

A pele inflamada pela presença desses bichinhos pode resultar em sintomas como queimação, coceira, dor ou formigamento na cabeça.

As possibilidades são variadas, sendo as mais frequentes as causadas por bactérias, fungos e insetos.

As infecções bacterianas, sejam elas da pele ou do folículo piloso, podem causar formigamento na cabeça. 

O agente mais comum nesse caso é o Staphylococcus aureus. 

Em geral, lesões causadas por essa ou outras bactérias são purulentas, ou seja, apresentam pus.

A micose ou impinge no couro é uma infecção fúngica mais comum em crianças. 

No local, além do formigamento, costuma-se observar placas vermelhas com descamação, coceira e queda de cabelo.

A pediculose, ou seja, a infestação por piolhos, também causa o formigamento na cabeça. 

Apesar da coceira ser o principal sintoma da infestação, a pinicação e vermelhidão também costumam estar presentes.

Transtornos psiquiátricos

A sensação de ter uma formiga ou outro bicho picando a cabeça pode ser um distúrbio da mente.

No delírio de parasitose, a sensação é tão real a ponto de fazer as pessoas realmente acreditarem na existência deles.

Pacientes  com essa condição descrevem com vividez a movimentação dos supostos bichos e suas picadas.

Não raro eles retiram pequenos pedaços de pele ou casquinhas do couro, guardando-os para mostrar aos médicos.

A convicção deles é tão grande que mesmo após mostrar no microscópio a inexistência dos bichos, eles não acreditam.

Aliás, ao serem contestados sobre a existência deles ou ao receberem o diagnóstico de delírio, eles mudam de médico.

Portanto, a abordagem desse paciente com delírio de parasitose é um desafio.

Ansiedade ou estresse

A parestesia também se relaciona a mudanças do estado emocional da pessoa.

Assim, pode haver um componente de ansiedade e estresse no quadro de formigamento da cabeça.

Nesses casos, no entanto, a sensação costuma ser passageira e com ocorrências esporádicas.

Dor crônica

Alguns quadros de dor crônica, como por exemplo a fibromialgia e a enxaqueca, também podem resultar em alterações da sensibilidade.

A fibromialgia é uma condição na qual há dor ou parestesia em diversas regiões do corpo.

Assim, nesses pacientes, o simples toque da mão ou pente pode resultar em dor ou pinicação no local.

Outro quadro crônico com possível sensação de formigamento na cabeça é a enxaqueca.

Esse tipo de dor de cabeça tem entre suas características a possibilidade de haver um aviso prévio chamado aura.

Dessa forma, antes de começar a cefaleia em si, a pessoa com enxaqueca pode ter sinais premonitórios.

A aura pode se manifestar por náusea, tontura, transpiração, alterações na visão, formigamento na cabeça ou no corpo, por exemplo.

Problemas neurológicos

A parestesia no couro cabeludo também pode ocorrer por alterações neurológicas.

Ao encostar na pele, há uma série de reações químicas capazes de conduzir a informação até o cérebro.

Essa informação, chamada de impulso nervoso, pode ser, por exemplo, sensibilidade táctil, dor, calor, cócegas ou frio.

Esses impulsos viajam através de células especializadas conhecidas como neurônios.

O agrupamento de neurônios formam os nervos.

Portanto, os nervos são a ponte conectando a pele ao sistema nervoso central.

Ao chegar no cérebro, há a interpretação e reação ao estímulo cutâneo.

Assim, a parestesia pode ser consequência de uma falha em qualquer parte desse trajeto.

A sensação de formigamento na cabeça é mais comum quando há compressão dos nervos ou mesmo lesão nervosa.

Entre os quadros que também podem resultar nesse tipo de alteração da sensibilidade cutânea está a esclerose múltipla.

Além dos nervos, o problema também pode estar nos receptores cutâneos de sensibilidade ou no próprio processamento da informação no cérebro.

Formigamento na cabeça: como investigar?

Nem sempre é fácil descobrir o motivo da pinicação no couro cabeludo.

Algumas situações como piolhos, micose e até certas dermatites são mais fáceis de se perceber a olho nu.

Entretanto, algumas outras como, por exemplo, alopecia e alterações nervosas exigem mais expertise.

Para não retardar o diagnóstico e tratamento corretos, o ideal é contar com suporte médico.

Através de exames e da sua experiência profissional, o médico tem mais condições de saber o que está ocorrendo.

Na avaliação, ele deve considerar o formigamento no couro cabeludo em conjunto com outros sintomas capilares e indicativos sistêmicos.

Qual o tratamento do formigamento na cabeça?

Não há um remédio específico para tratar a pinicação na cabeça.

Como existem diversas possíveis causas para esse sintoma, também existem uma série de opções terapêuticas.

Assim, o tratamento vai depender basicamente do diagnóstico da condição por trás do formigamento.

Shampoo anticaspa, pomada de corticoide, antifúngicos, antibióticos, hidratante, derivados do alcatrão, antipsicóticos, ansiolíticos, antidepressivos e até anti-hipertensivos podem ajudar.

Para saber qual dessas ou até outras medicações são boas para o seu caso, é essencial ter a ajuda médica.

Formigamento na cabeça: o que fazer?

Sentir um certo formigamento na cabeça não é algo incomum.

Diversas condições podem gerar essa sensação.

Mas quando ela é recorrente, isso pode passar a se tornar um incômodo.

Ao notar a persistência do formigamento na cabeça, a primeira atitude deve ser procurar um médico especialista.

Com um bom exame do couro cabeludo e busca por outras condições associadas, é possível ser mais assertivo no tratamento.

Quer saber o que é esse formigamento na cabeça que está te incomodando?

Então, faça- nos uma visita!

A Clínica Doppio possui uma estrutura própria para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície.
Além disso, contamos ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Portanto, ligue para nós, faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.
blank

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Pomada para problemas no couro cabeludo: o que usar?
A escolha de uma pomada para couro cabeludo deve se basear fundamentalmente nas causas do... (Leia mais)
Vale a pena usar a escova de couro cabeludo?
Algumas pessoas têm incorporado a escova de couro cabeludo na rotina de higiene capilar A... (Leia mais)
Shampoo de cetoconazol: usos, riscos e efeitos
O shampoo de cetoconazol, seja o genérico ou o original Nizoral, é frequentemente prescrito por... (Leia mais)

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *