ILIB: Laserterapia intravenosa para tratamento da queda de cabelo e calvície
A curiosidade sobre a laserterapia intravenosa tem atraído pacientes com diferentes condições, incluindo queda de cabelo e calvície.
Por se tratar de um procedimento associado à saúde, é importante se informar sobre suas possíveis indicações, resultados e limitações.

O que é a laserterapia intravenosa?

A sigla ILIB significa Intravascular Laser Irradiation of Blood, traduzido do inglês como terapia de irradiação do sangue a laser.
O método, criado em 1988, consiste na aplicação de luz de baixa potência em vasos sanguíneos superficiais.
Geralmente, o local escolhido para esse fim é o punho.

Como funciona o laser intravenoso da ILIB?

Segundo alguns estudos sugerem, a irradiação do pulso com o laser de 630-640 nm seria capaz de agir diretamente em diversos parâmetros como:
  • células sanguíneas;
  • plasma;
  • parede dos vasos;
  • enzimas do sangue;
  • hormônios.
Ainda segundo esses estudos, essa irradiação do sangue com o laser seria responsável por efeitos locais e sistêmicos como:
  • melhora da oxigenação das células;
  • otimização da atividade enzimática;
  • aumento da biossíntese de proteínas, carboidratos e material genético;
  • vasodilatação, com melhora da microcirculação e da circulação periférica;
  • formação de novos vasos sanguíneos;
  • melhor controle da permeabilidade vascular, com redução do extravasamento de fluído intravascular e diminuição do inchaço;
  • regularização do sistema linfático, o que também colaboraria para a redução do edema;
  • aumento do tônus parassimpático do sistema nervoso;
  • aumento da concentração de neuro-hormônios;
  • imunomodulação e atividade anti-inflamatória;
  • maior produção de anticorpos e melhora da resposta imune, ocasionando maior capacidade de cicatrização de úlceras e machucados.

Para que serve a ILIB?

A laserterapia intravenosa está sendo testada em diversas condições como:
  • doenças cardíacas;
  • problemas vasculares;
  • dislipidemia: colesterol alto;
  • diabetes mellitus;
  • doenças autoimunes;
  • hepatite crônica;
  • síndrome da dor crônica;
  • artrite reumatoide;
  • polineuropatias;
  • doenças intestinais inflamatórias crônicas;
  • fibromialgia;
  • asma;
  • hipertensão arterial;
  • degeneração macular;
  • esclerose múltipla;
  • síndrome de esgotamento (Burnout);
  • alergias e eczemas.

O tratamento da queda de cabelo e calvície com laser funciona?

O laser é um dispositivo já bem estabelecido no tratamento capilar.
O uso de fontes de laser de baixa potência no couro cabeludo tem respaldo científico, com aprovação e regulamentação pelo FDA (U.S. Food and Drug Administration) e pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
Dentre os possíveis mecanismos de ação do laser capilar no couro cabeludo estão:
  • aumento da produção de energia e da taxa de proliferação celular, possibilitando crescimento rápido dos fios;
  • ativação das células-tronco e de fios de cabelo dormentes;
  • melhora da irrigação sanguínea, aumentando o aporte de nutrientes aos cabelos;
  • modulação da resposta imune;
  • atividade anti-inflamatória;
  • diminuição da queda de cabelo por aumentar o tempo de fase de crescimento (fase anágena) do fio.

Como é feita a laserterapia intravenosa?

Apesar de também usar o laser de baixa potência como fonte de luz, a proposta da ILIB é um pouco diferente.
Nessa modalidade utiliza-se uma pulseira específica na qual se acopla o aparelho de laser.
Depois de acoplado, o aparelho começa a emitir luz sobre a artéria radial.
O tempo de aplicação, bem como a frequência e quantidade de sessões variam de acordo com a patologia tratada.
Como não há protocolos de estudo da laserterapia intravenosa para cabelos, não se tem esses parâmetros bem definidos.
Uma outra forma de aplicação menos comum é através de dispositivos como cateteres, usados para infusão endovenosa de remédios.
Por essa técnica, a ponteira do laser é posicionada dentro do vaso usando-se um cateter periférico como guia.

Efeitos colaterais da laserterapia intravenosa para cabelo

A técnica mais utilizada, ou seja, a não-invasiva realizada no pulso não apresenta efeitos colaterais significativos.
Caso a aplicação seja feita com catéteres inseridos dentro da veia, as complicações são aquelas associadas ao procedimento de punção da veia: sangramento, equimose, hematoma e flebite, mais raramente.

Resultados do tratamento da queda de cabelo e calvície com ILIB

A laserterapia intravenosa não tem comprovação científica de eficácia e segurança para terapia capilar.
Além disso, o método não tem regulamentação para tratamento da queda de cabelo e calvície por órgãos de saúde como a FDA e Anvisa.
Dessa forma, não é possível avaliar resultados e nem segurança da prática no ramo capilar.

Laserterapia intravenosa no tratamento capilar: informações finais

O laser de baixa potência é uma tecnologia bem estabelecida para tratamento da queda de cabelo e alopecia masculina e feminina.
Os diversos estudos que dão embasamento ao laser, no entanto, são restritos ao seu uso direto no couro cabeludo.
Por outro lado, o uso da laserterapia nos vasos sanguíneos não tem sua ação e segurança comprovadas para tratamento capilar.
Assim, o uso da laserterapia intravenosa no tratamento da queda de cabelo e calvície não é recomendado.
Para saber mais sobre outras possíveis opções de tratamento, incluindo aquelas envolvendo tecnologias, faça-nos uma visita.
A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.
 

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)
Riscos e efeitos colaterais da dutasterida para tratamento capilar
Desde a sua aprovação para tratamento da calvície masculina pela ANVISA, aumentou-se o interesse por... (Leia mais)
É bom usar Adeforte para cabelo?
Alguns sites e blogs da internet vêm incentivando as pessoas a utilizarem o Adeforte para... (Leia mais)

Uma resposta

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *