O que a cor dos seus cabelos pode revelar?

A cor dos cabelos é um característica pessoal que revela muito além da idade.

Ela pode ajudar a traçar aspectos da identidade e talvez até da saúde das pessoas.

Melanina: pigmento dos cabelos

O termo melanina é usado para descrever um grupo de pigmentos responsáveis pela cor dos cabelos, olhos e pele.

Apesar de existirem diversas cores e tons de cabelo, todos eles derivam de apenas dois pigmentos: eumelanina e feomelanina.

Tanto a eumelanina quanto a feomelanina são produzidas por células da pele chamadas melanócitos.

A eumelanina é um pigmento escuro, com tonalidade variando entre marrom e preto. Além da cor, a eumelanina também protege da ação do Sol por absorver as radiações UVA e UVB.

Por sua vez, a feomelanina é um pigmento claro, amarelo-avermelhado.

A combinação desses pigmentos resulta na cor final dos cabelos.

Assim, temos:

  • Moreno: variados graus de eumelanina marrom e preta;
  • Loiro: ausência de eumelanina preta e pequena quantidade de eumelanina marrom;
  • Ruivo: quantidades semelhantes de eumelanina e feomelanina.

Com o avançar da idade há diminuição de produção de ambos os pigmentos pelos folículos.

Com isso, os cabelos vão ficando gradativamente grisalhos até se tornarem totalmente brancos.

Além disso, a exposição solar contínua e prolongada também pode mudar a tonalidade e cor dos fios.

De onde vem a cor do cabelos?

Estudos com gêmeos sugerem que mais de 97% da variação na cor dos cabelos pode ser explicada por fatores genéticos.

Até pouco tempo atrás, acreditava-se que 13 genes eram responsáveis por determinar a cor dos cabelos.

Entretanto, recentemente um estudo da Nature descobriu que pode haver contribuição de mais de 120 genes.

A maioria desses genes descobertos participariam tanto da produção quanto da distribuição da melanina.

Outra constatação do estudo é que parece existir uma correlação entre o gênero e a cor dos cabelos.

Analisando o DNA de quase 300 mil europeus, descobriu-se que mulheres européias têm maior tendência a serem loiras e ruivas.

Além disso, esse estudo mostrou que européias têm 3 a 5 vezes menos chances de ser morenas do que homens.

As implicações dessas descobertas podem ir além do aspecto estético do fio.

O conhecimento dos genes responsáveis pela cor dos cabelos pode, por exemplo, ter aplicações em investigações criminais.

Dessa forma, a análise do DNA de amostras encontradas na cena de um crime possibilita determinar a cor dos cabelos dos envolvidos com quase 90% de certeza.

Cor dos cabelos e doenças associadas

Além da medicina forense, outras áreas da ciência também podem se beneficiar das descobertas desse estudo.

Isso porque a importância dos pigmentos vai além do aspecto cosmético.

Os pigmentos são importantes para o sistema imune e podem estar associados a diversas doenças.

Assim, o melhor entendimento desses genes pode proporcionar novas terapias para essas doenças.

Entre as doenças que podem se beneficiar dessa descoberta estão os cânceres de pele e doenças autoimunes como a alopecia areata.

A alopecia areata é uma condição em que há ataque aos próprios cabelos pelo sistema de defesa do organismo.

Esse ataque leva à queda abrupta dos fios, com formação de falhas arredondadas no couro cabeludo.

Na maioria dos casos, esses fios podem retornar espontaneamente ou após tratamento.

Uma das características dessa alopecia é que parte dos fios que são recuperados voltam brancos, mesmo em crianças.

Esse detalhe que poderia passar despercebido pode ser a chave para entender melhor essa alopecia, permitindo novos tratamentos.

Distribuição geográfica

A cor dos cabelos também pode ter associação com a evolução humana e sua distribuição geográfica.

Os humanos primitivos tinham pele mais escurecida, o que conferia a eles maior proteção contra radiação solar.

Um das teorias é que conforme a população começou seu deslocamento para o norte da Europa e Ásia, pessoas com pele clara foram se tornando mais frequentes.

O motivo seria que peles mais claras absorvem melhor a radiação ultravioleta necessária para produção da vitamina D.

A vitamina D é reconhecida por atuar em diversos aspectos da saúde, incluindo na queda de cabelo e alopecia areata.

Cor dos cabelos: considerações finais

O cabelo é um importante componente da imagem corporal.

Forma, comprimento, corte, penteado e cor dos cabelos são características que podem ser manipuladas e influenciadas por tendências da moda, cultura ou sociedade.

Mais do que sua personalidade, seus cabelos também podem revelar aspectos da sua saúde.

Assim, é importante procurar um médico sempre que houver suspeitas sobre seu acometimento.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

blank

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Como minimizar os danos ao finalizar o cabelo com fontes de calor?
Finalizar o cabelo com aparelhos térmicos faz parte da rotinas de muitas pessoas. Mas esse... (Leia mais)
Cabelo poroso: como identificar e tratar?
A porosidade do cabelo é um assunto ainda pouco explorado. A maior parte das pessoas... (Leia mais)
O que fazer para manter o cabelo da gravidez?
Existem muitas dúvidas sobre o comportamento do cabelo após gravidez. A mais frequente delas é... (Leia mais)

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *