O que se deve ou não fazer com o cabelo molhado?

O cabelo molhado possui algumas propriedades e características diferentes de quando ele está seco.

Por isso, a adoção de cuidados corretos é fundamental para evitar danos à saúde capilar.

Além disso, saber cuidar do cabelo molhado ajuda a prevenir quadros de quebra, queda e até dermatite.

Características do cabelo molhado

De acordo com estudos científicos, tanto o formato como as propriedades mecânicas do cabelo se alteram se houver contato com a água.

Após molhar o cabelo, por exemplo, o fio passar a assumir novamente a sua forma original.

Isso é particularmente notável em quem costuma escovar ou alisar os fios com aparelhos térmicos.

Mas não é só a conformação do fio que se modifica quando se molha o cabelo.

Um estudo publicado em 2005 aponta alterações da elasticidade e atrito da haste capilar após ela ser molhada.

Assim, uma vez úmido, o fio pode se esticar até 30% mais do que quando ele está seco.

O atrito do fio também aumenta após contato com a água.

Dessa forma,  o desgate das cutículas também tende a ser maior do que com o cabelo seco.

Como as características dos fios se modificam ao molha-los, os cuidados também devem ser diferentes.

O que fazer com o cabelo molhado?

Existem alguns procedimentos capilares para se fazer com o cabelo molhado.

Os cuidados se iniciam no banho e se estendem mesmo após sair do chuveiro.

Desembaraçar o cabelo

Uma das atividades para se fazer com o cabelo molhado, por exemplo, é retirar os nós dos fios.

Durante o banho, ainda com o cabelo úmido, inclusive, é um momento bem oportuno para isso.

A recomendação é aplicar um condicionador antes para depois desembaraçar os fios com um pente de dentes largos.

A técnica é particularmente útil para quem tem cabelos secos, com cachos ou crespos.

O condicionador, no caso, facilita o deslizamento do pente entre os fios, diminuindo o atrito e os desgate deles.

Uma dica para quem tem cabelos longos é começar a desembaraçar sempre pelas pontas, subindo em direção ao couro cabeludo. 

Além do pente, também é possível desfazer os nós usando os próprios dedos.

Após desembaraçar os fios, lembre-se de remover completamente o condicionador.

Dessa forma, evita-se o acúmulo de resíduos do produto nos fios e no couro cabeludo.

Hidratação e finalização 

Após o banho, ainda com o cabelo molhado, é um bom momento para se fazer a hidratação e finalização dos fios.

Então, caso necessário, deve ser quando se  aplica cremes para pentear, protetor térmico, creme para cachos  ou leave-in.

Se o cabelo for mais oleoso, a recomendação é usar um leave-in de consistência líquida e leve.

O uso de cremes densos pode fazer o cabelo ficar com aparência de oleoso e pesado logo em seguida.

Já para cabelos crespos, o creme de pentear atua na hidratação e também na definição dos cachos.

Produtos com óleos na composição ajudam na retenção da água na haste capilar, mantendo o fio mais sedoso e brilhante.

Independentemente do tipo de fio, recomenda-se aplicar um protetor térmico antes de usar o secador ou chapinha na finalização.

Além disso, no caso de exposição solar intensa, também é bom passar cremes com protetor solar para os fios.

O que não fazer com o cabelo molhado?

Assim como existem procedimentos  para se fazer com o cabelo molhado, também há aqueles a se evitar.

Prender o cabelo

O primeiro hábito a se evitar é prender o cabelo ainda úmido, independente do penteado.

Ao prender o cabelo molhado, o couro se torna um ambiente favorável à proliferação de fungos, agravando quadros de seborreia.

Dormir com o cabelo molhado

O mesmo ocorre ao dormir com o cabelo molhado.

Apesar de  não “apodrecer” o fio como afirmam algumas crendices, a umidade e o calor também favorecem o crescimento fúngico.

Dessa forma, aumentam-se as chances de agravar quadros de dermatite seborreica.

Além disso, a umidade aumenta o atrito entre fio e a fronha.

Assim,  a tendência é haver mais desgaste do fio, com formação de nós e quebra de cabelo

Usar pranchas e modeladores

Outro cuidado muito importante é não usar chapinha ou babyliss com o cabelo molhado.

É preciso secar bem os fios antes de usar esses aparelhos.

Isso porque o uso de pranchas e modeladores no fio úmido pode causar bolhas no interior da haste.

A deformidade, conhecida como bubble hair, leva ao aumento da fragilidade capilar, com quebra dos fios.

O único aparelho térmico para se usar no cabelo molhado é o secador.

Spray fixador de penteado

Da mesma forma, você não terá os resultados almejados usando um spray finalizador com o cabelo ainda molhado.

Nesses casos, ele tende a ficar escamoso e duro em vez de conseguir manter o penteado como se espera.

Cuidados com o cabelo molhado

Ao molhar o cabelo, ele passa a ter certas características que favorecem alguns procedimentos e outros não.

Saber o que fazer ou não com o cabelo molhado é importante para manutenção da aparência e saúde capilar.

Além da lavagem, existem diversos outros cuidados com os cabelos em todas as etapas da rotina capilar.

Quer aprender mais sobre como tratar  e cuidado do seu cabelo?

Então, faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Triconodose: como evitar?
A triconodose é uma situação literalmente embaraçante. Além de prejudicar a saúde capilar, essa condição... (Leia mais)
Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)
Vale a pena tomar ômega 3 para cabelo?
A busca por suplementos e tratamentos caseiros faz aumentar o interesse por compostos como o... (Leia mais)

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *