Olumiant (baricitinibe): aprovado o primeiro remédio para alopecia areata

Enfim há um remédio para alopecia areata.

A agência de saúde americana FDA (Food and Drug Administration) aprovou no dia 13/06/2022 o baricitinibe para tratamento dessa condição.

Dessa forma, o Olumiant passa a ser o primeiro remédio para alopecia areata com regulamentação no órgão americano.

Alopecia areata

A alopecia areata é uma doença autoimune na qual há queda de cabelo abrupta e intensa.

A queda leva ao aparecimento de falhas circulares sem cabelo no couro cabeludo.

Dependendo da intensidade, pode cair todo o cabelo da cabeça.

Apesar de ser mais comum no couro, ela também pode acometer outras áreas corporal

Assim,  pode haver queda de cílios, sobrancelhas, barba ou pelos de qualquer parte do corpo.

A alopecia areata é comum, afetando cerca de 2% da população mundial.

Trata-se da condição autoimune mais frequente no mundo, sendo a segunda principal causa de calvície.

A doença acomete igualmente homens e mulheres, sendo mais prevalente entre a terceira e quarta décadas de vida.  Mas pessoas de qualquer idade podem apresentar a doença.

Na alopecia areata, há uma falha no sistema de reconhecimento de defesa do organismo.

Por motivos ainda não totalmente claros, o corpo da pessoa passa a não reconhecer e, portanto, atacar os próprios folículos pilosos.

A consequência é a queda de fios de cabelo e pelos corporais.

Quando há queda de todo o cabelo do couro cabeludo, fala-se em alopecia areata total.

Se além da cabeça, também há queda dos pelos corporais, têm-se a alopecia universal.

Essas formas extensas de alopecia areata são de difícil manejo terapêutico e psicológico.

A perda dos cabelos, cílios e sobrancelhas se associa ao aumento de ansiedade e depressão entre os pacientes.

Apesar de não ter cura, a doença tem tratamento.

O novo remédio para alopecia areata se chama baricitinibe.

Para que serve o baricitinibe?

O Olumiant é nome comercial do medicamento original contendo baricitinibe. Ele pertence ao laboratório farmacêutico Eli Lilly.

Esse remédio é capaz de alterar a resposta imune da pessoa.

Por isso, a indicação do baricitinibe inclui o tratamento de doenças inflamatórias como a artrite reumatóide e a dermatite atópica.

Aliás, o tratamento da artrite reumatoide foi a primeira indicação com aprovação do baricitinibe no FDA em 2018.

O medicamento também tem aprovação para tratamento de casos graves de infecção pelo coronavírus, ou seja, a COVID-19.

Em 13/06/2022, ainda houve a regulamentação no FDA do baricitinib como remédio para alopecia areata.

Como o Olumiant age na queda de cabelo?

O baricitinibe faz parte do grupo de medicamentos imunobiológicos.

Esses remédios se caracterizam por modular etapas da resposta imune envolvidas no desencadeamento da doença.

No caso do baricitinibe, essa modulação ocorre pelo sistema Janus Kinase (JAK).

Assim, o mecanismo de ação do Olumiant envolve o bloqueio seletivo e reversível das enzimas JAK1 e JAK2.

Ao inibir essas enzimas, esse remédio para alopecia areata ajusta etapas do processo de reconhecimento e ataque responsáveis pela queda do cabelo.

Dessa forma, ele passa a regular e organizar as respostas imune e inflamatória do corpo contra o folículo capilar.

Em resumo, o Olumiant modera a resposta imune para que ele não provoque a queda de cabelo.

Quais as vantagens do remédio para alopecia areata baracitinibe?

Além de ser o primeiro medicamento aprovado para o tratamento da alopecia areata, o baracitinibe parece ter alguns benefícios.

Um deles é ser um medicamento oral, ou seja, em comprimidos.

Dessa forma, torna-se possível se fazer o tratamento em casa, sem a necessidade de ir periodicamente em clínicas de infusão.

Além disso, o fato de ser o primeiro remédio para alopecia areata a ter aprovação do FDA também conta.

Com isso, há uma maior tendência a ele também ser aprovado pela ANVISA como remédio para alopecia areata.

No momento, ele tem regulamentação no Brasil somente para tratamento da artrite reumatoide, dermatite atópica e COVID graves.

Ao ter a regulamentação da agência brasileira de saúde também como remédio para alopecia areata, ele passa a fazer parte da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

A ANS é o órgão do Ministério da Saúde responsável por intermediar a disponibilização de medicamentos por convênios.

Se a medicação fizer parte da lista de tratamentos da ANS, os convênios são obrigados a custear o tratamento.

O remédio para alopecia areata Olumiant funciona?

O baracitinibe tem apresentado bons resultados em pesquisas para tratamento da alopecia areata moderada a grave.

Esses casos incluem a alopecia areata total e a universal.

Um desses estudos foi publicado na revista científica The New England Journal of Medicine (NEJM), uma das mais importantes do mundo.

Aliás, esses foram os dados usados pelo FDA para avaliar a segurança e eficácia desse remédio para alopecia areata.

No trabalho, os pacientes foram divididos em 2 grupos:

  • BRAVE-AA1: 654 pacientes;
  • BRAVE-AA2: 546 pacientes.

Os critérios de inclusão para participar dos testes era ter alopecia areata com grau de acometimento moderado ou grave.

Para medir a perda de cabelo foi usada a escala SALT (Severe of Alopecia Tool).

No SALT, o 0 indica a ausência de qualquer perda de cabelo e 100 a queda completa dos fios.

Todos os pacientes do estudo tinham comprometimento de pelo menos 50% do couro cabeludo (SALT 50).

O objetivo do pesquisa era atingir um grau menor ou igual ao SALT 20, ou seja, ter perda de apenas 20% do cabelo.

Para isso, os grupos receberam aleatoriamente baricitinibe 4 mg, 2 mg ou placebo (composto sem efeito terapêutico) na proporção 3:2:2.

Assim, por exemplo, no grupo BRAVE-AA1 281 pacientes tomaram baricitinbe 4mg, 184 tomaram 2 mg e 189 placebo.

Ao fim de 36 semanas de tratamento, 38,8% dos pacientes do grupo BRAVE-AA1 e 35,9% do BRAVE-AA2 atingiram o SALT 20.

Considerando-se que os pacientes da pesquisa tinham pelo menos 50% de perda do cabelo antes do tratamento, esse ganho foi significativo.

Como tomar baricitinibe para alopecia areata?

O Olumiant está disponível em embalagens contendo 30 comprimidos, com 2 dosagens: 2 e 4 mg.
O tratamento proposto do Olumiant como remédio para alopecia areata seria de 1 comprimido de 4 mg ao dia.

A duração do tratamento nos testes foi de 9 meses, mas pode ser maior dependendo da evolução da doença.

Efeitos colaterais do baricitinibe

A lista de efeitos adversos do Olumiant inclui:

  • infecções do trato respiratórios como resfriado, dor de garganta e pneumonia, por exemplo;
  • acne;
  • aumento do colesterol;
  • elevação da enzima CK (creatine kinase), marcador de lesão muscular;
  • infecção urinária;
  • elevação de enzimas hepáticas;
  • foliculite;
  • cansaço;
  • candidíase genital;
  • anemia;
  • neutropenia, ou seja, redução dos neutrófilos, certo tipo de célula de defesa do organismo;
  • dor abdominal;
  • herpes zoster;
  • ganho de peso.

Além disso, na bula ainda consta a possibilidade de tromboembolismo pulmonar, eventos cardiovasculares, perfuração intestinal, linfoma e outros cânceres.

Contraindicações ao uso de baricitinibe

O remédio  não foi testado em gestantes ou em mulheres amamentando, assim como crianças e adolescentes.

Portanto, esses grupos não são elegíveis para tratamento com esse remédio para alopecia areata.

O medicamento também não deve ser usado em pacientes com alergia ao composto, tuberculose, úlcera gástrica ou intestinal, hepatite ou uso de outros imunossupressores.

Além disso, é preciso ter cautela em casos de infecção ativa aguda ou crônica, como, por exemplo, herpes zoster recorrente.

Por fim, o uso de vacinas de vírus vivos atenuados não é recomendado em pacientes em uso de baricitinib.

Olumiant, remédio para alopecia areata: quando usar?

A alopecia areata afeta 147 milhões de pessoas no mundo, gerando diferentes graus de comprometimento psicológico.

Assim, a aprovação do baricitinib como primeiro remédio para alopecia areata é um marco histórico.

Mesmo que possa não ser a cura para essa condição que aflige tanta gente, ele com certeza é um grande passo.

Até então não existia nenhuma opção de tratamento para casos de alopecia areata moderada a grave. Mas agora tem.

Quer saber mais sobre esse novo remédio para alopecia?

Então faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Remédio para calvície: como escolher?
A todo momento surgem propostas de um novo remédio para calvície. As opções de medicamentos... (Leia mais)
Falha na cabeça: o que pode ser?
A presença de uma falha na cabeça costuma assustar muito quem se depara com a... (Leia mais)
Controvérsias no uso da flutamida para alopecia feminina
O tratamento com a flutamida para alopecia ou queda de cabelo é controverso. Indicada por... (Leia mais)

10 Responses

  1. Boa tarde. Meu filho diagnosticado com foliculite decalvante com queda de cabelo no couro cabeludo, a clínica trata essa doença e esse medicamento pode ser usado. Obrigado. Aguardo resposta.
    Jocilio Vieira – Brasilia DF

  2. Boa noite minha filha tem 15 anos e a 5 anos esta tratando alopecia areata ,ela pode usar esse medicamento ?
    Qual o valor do tratamento?

  3. Olá, Dr. Nilton

    Boa notícia e uma excelente explicação.

    Gostaria de saber, por favor, se existe alguma estimativa de tempo para que este medicamento possa ser aprovado pela ANVISA e incluído na lista de tratamentos da ANS.

    1. Olá, Arthur

      Obrigado pelo comentário.
      Por enquanto ainda não existe nenhuma previsão para aprovação do medicamento na ANVISA para posterior inclusão na lista da ANS.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *