Pantogar: análise médica da composição e efeitos

Pantogar: análise médica da composição e efeitos

Um dos produtos mais populares na mídia eletrônica, o Pantogar se tornou uma das referências quando o assunto é unha ou cabelo.

Associado ao fortalecimento e crescimento capilar, tem sido descrito como um adjuvante no combate à queda de cabelos e alterações estruturais do fio.

Composição

Segundo a bula, cada cápsula de Pantogar contém:

  • Pantotenato de cálcio: 60 mg
  • Cistina: 20 mg
  • Nitrato de tiamina: 60 mg
  • Levedura medicinal: 100 mg
  • Queratina: 20 mg
  • Acido p-aminobenzóico: 20 mg
  • Excipientes: celulose microcristalina, talco, estearato de magnésio, povidona, dióxido de silício.

 

Antes de saber como funciona o Pantogar, é preciso analisar como agem cada um de seus componentes na formação e desenvolvimento capilar.

Queratina

O cabelo é constituído de 65% a 95% de proteínas, sendo a queratina seu principal componente proteico.

Responsável pela espessura e rigidez do fio, a queratina do cabelo humano é formada por 20 a 22 aminoácidos. Entre os aminoácidos mais frequentes está a cisteína, fundamental para determinar quão encaracolado é o cabelo.

Além da cisteína, a queratina possui também aminoácidos que o organismo não produz, sendo necessário adquiri-los através de alimentos ricos em proteínas como carnes, ovos, leite ou através de suplementos.

Cistina

A cistina é uma molécula composta por 2 unidades do aminoácido cisteína. Tanto a cisteína quanto a cistina são capazes de se converter uma na outra de acordo com a necessidade do organismo.

Por ser mais estável, a cistina acaba sendo a forma mais encontrada, inclusive na formação de proteínas como a queratina.

No cabelo, o número de moléculas de cistina determina o formato dos fios. Isso ocorre porque o grau de ondulação depende da quantidade de um tipo de ligação química chamada ponte dissulfeto. As pontes dissulfeto são interações entre átomos de enxofre contidos na cisteína. Como a cistina é formada por 2 moléculas de cisteína, quanto mais cistina, mais enrolado ou ondulado é o cabelo.

Apesar da cisteína ser produzida no corpo, sua quantidade nos fios também pode ser influenciada pela alimentação. Entretanto, quando não há deficiência nutricional, a suplementação de compostos com cistina não aumenta a sua quantidade nos cabelos.

As fontes alimentares de cistina ou cisteínas são: carnes, ovos, leite, brócolis, aveia, alho e cebola.

Pantotenato de cálcio

Sal derivado da junção do ácido pantotênico, ou vitamina B5, e o cálcio.

A vitamina B5 participa dos processos de quebra de carboidratos, proteínas e gorduras para fornecimento de energia para o organismo. Além disso, participa na ativação da vitamina B2, importante para proteger o corpo e os cabelos da ação dos radicais livres, substâncias responsáveis por danos aos fios e implicadas no envelhecimento celular presente no surgimento de fios brancos, calvície e queda de cabelos.

Suas principais fontes alimentares são:  fígado, semente de girassol, abacate, gema do ovo, carne vermelha, de porco e de frango.

Nitrato de tiamina

A tiamina, ou vitamina B1, assim como outras vitaminas do complexo B, atua nos processos de obtenção de energia.

A tiamina está presente em alimentos como: gérmen de trigo, carne de porco, peixe, feijão, levedo de cerveja, castanhas, sementes.

Ácido p-aminobenzóico

Também chamado de ácido para-aminobenzóico ou PABA, atua como antioxidante na proteção do organismo e dos cabelos da ação dos radicais livres.

Os radicais livres são substâncias altamente reativas formadas a partir de situações que provocam estresse.  Esses compostos reagem com o DNA e outras estruturas das células, provocando danos que levam ao envelhecimento celular.

O envelhecimento celular é um dos processos responsáveis pelo aparecimento de fios brancos, queda de cabelos e calvície.

Levedura medicinal

Também conhecida como levedo de cerveja, é fonte de proteínas, vitaminas do complexo B e minerais, como crômio, selênio, zinco, ferro, dentre outros.

Assim, o levedo de cerveja contém importantes minerais envolvidos no processo de desenvolvimento e crescimento capilar.

Apesar de ser rica em vitaminas do complexo B, a levedura medicinal não contém quantidades significativas de vitamina B12. As principais vitaminas B contidas no levedo são: tiamina, niacina, ácido pantotênico, piridoxina, ácido fólico e biotina.

Quem pode tomar Pantogar?

Segundo informações contidas na bula, o Pantogar deve ser evitado nas seguintes situações:

  • Menores de 12 anos
  • Quando houver alergia a qualquer um dos componentes da fórmula
  • Primeira metade da gestação

 

Pacientes em uso de antibióticos contendo sulfas (os mais comuns são o sulfametoxazol e a sulfadiazina), devem informar ao médico sobre o uso concomitante com Pantogar, pois é possível que a interação entre os produtos possa prejudicar o efeito do antibiótico.

À principio, não há restrições de uso para pessoas com intolerância à lactose.

Como funciona o Pantogar?

O Pantogar auxilia no tratamento de condições em que há comprometimento capilar por deficiência de algum dos componentes presentes na sua fórmula. Uma vez deficientes, esses compostos podem afetar o desenvolvimento e crescimento normal dos cabelos.

Entretanto, não há evidência científica de que o seu uso de maneira isolada garanta o fortalecimento ou crescimento acelerado dos fios em pessoas que tenham dietas equilibradas, sem carências nutricionais.

Além disso, apesar de haver evidência científica de que o envelhecimento celular seja responsável pelo aparecimento de fios brancos, queda de cabelos e calvície, não há comprovação de que as vitaminas tiamina e ácido pantotênico, presentes no Pantogar, possam evitar ou mesmo retardar esses efeitos.

Mesmo classificado como medicamento, com venda sob prescrição médica, o Pantogar não deve ser utilizado como tratamento isolado para problemas capilares sem a orientação médica.

A própria bula da medicação orienta que o Pantogar não é indicado como tratamento único para alopecias cicatriciais, alopecia androgenética ou por fatores hormonais.

Assim, o uso do Pantogar deve sempre ser orientado por um médico.

Quais os efeitos colaterais do Pantogar?

O Pantogar é seguro e geralmente bem tolerado quando utilizado na dose usual de até 03 cápsulas ao dia. Por conter em sua fórmula apenas vitaminas e outros compostos de baixa valor energético, o Pantogar não engorda.

Na prática clínica, a queixa mais comum, ainda que infrequente, é de intolerância gástrica, com sintomas como azia, queimação, dor abdominal, náusea e gases. Acredita-se que parte desses sintomas possam ser relacionados à presença da levedura medicinal na composição.

Para diminuir as chances de ocorrer desconforto gástrico, recomenda-se que as cápsulas sejam ingeridas junto às refeições.

Segundo a bula, outras possíveis reações adversas são: tontura, cefaléia (dor de cabeça), palpitação, aumento repentino do suor e lesões cutâneas como eritema (ou vermelhidão), urticária ou coceira.

Não são conhecidos efeitos adversos relacionados à superdosagem.

Queda de cabelo e outros problemas capilares: o que fazer?

Como informado na bula, o Pantogar não é considerado um remédio para alopecia, cicatricial ou androgenética.

O uso de Pantogar, seja original ou manipulado, deve ser condicionado a indicações precisas, por tempo determinado. Assim, cabe ao médico orientar tanto a indicação quanto a duração do uso de Pantogar.

A queda de cabelos e a calvície são condições que necessitam de uma ampla investigação médica, com exames específicos e seguimento adequado.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

7 respostas

  1. Os resultados são mesmo muito bons, eu tinha uma queda de cabelo tão terrível que tinha falhas no couro cabeludos visíveis e sumiram quando comecei a tomar o remédio. Tomei por um mês e no final dele meu cabelo já estava muito mais bonito, no entanto eu engordei TANTO que decidi parar de tomar as cápsulas, afinal, na minha humilde opinião é melhor ficar careca do que gorda, hahah. Mas como você disse, se você conseguir tomar o remédio sem engordar terá bons resultados. No meu caso devo ter engordado pouco mais de um quilo por semana, porque o resultado na minha barriga se sobressaiu e muito ao resultado na minha cabeça, hahahah.

  2. Dr Nilton, é possível que o Pantogar cause problemas gástricos? Eu o uso há uns 4 anos consecutivos, 2x ao dia. Fiz uma endoscopia na qual foram retirados pólipos. Tem alguma associação? Desde já obrigada.

    1. Olá, Carla

      O Pantogar pode causar mal estar gástrico, mas entre os efeitos colaterais se não incluem pólipos.
      Assim, para esclarecer os seus sintomas sugiro que procure um médico gastroenterologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *