Piolho em adultos: quando suspeitar?

Piolho em adultos: quando suspeitar?

Apesar de ser muito mais comum em crianças, a presença de piolho em adultos deve ser considerada em casos de coceira no couro cabeludo.

Pediculose: piolho em adultos e crianças

A pediculose é o nome do quadro causado pela infestação de piolhos, cujo nome científico é Pediculus humanus capitis.

O piolho é um pequeno inseto que se alimenta de sangue do couro cabeludo em humanos.

A pediculose é mais comum em crianças em idade escolar, sendo ocasional o encontro de piolho em adultos.

Ao contrário do que muitos acreditam, piolhos não são sinal de má-higiene pessoal. É um mito acreditar que eles prefiram cabelos sujos.

Eles também não são transmitidos por cachorros ou outros animais de estimação, sendo passados somente de pessoa para pessoa.

Piolhos não saltam nem voam. A transmissão ocorre mais facilmente pelo contato direto com a cabeça do infectado.

Também pode ocorrer contágio por compartilhamento de roupas, boné, capacete, chapéu, travesseiro, pente ou escova.

Os piolhos da cabeça costumam ficar restritos ao couro cabeludo e cabelos, principalmente na nuca e atrás das orelhas.

O piolho adulto mede 3 a 4 milímetros, podendo ser visto a olho nu.

Seus ovos, chamados de lêndeas, também podem ser reconhecidos a olho nu como pequenos pontos brancos fortemente aderidos aos fios.

A adesão ocorre através de uma substância aderente produzida pela fêmea do piolho.

As lêndeas costumam ser fixadas nos fios próximas ao couro cabeludo, a cerca de 4 milímetros da pele.

A essa distância encontra-se uma temperatura ideal para incubação dos ovos.

Constantemente confundidas com caspa, dificilmente elas ou mesmo os piolhos são reconhecidos antes do aparecimento de outros sintomas.

Os sintomas da pediculose geralmente começam poucas semanas após o contágio, sendo a coceira a principal queixa.

Coceira na cabeça por piolhos

A coceira da pediculose não é causada pelo movimentação ou picada do piolho no couro cabeludo.

A cabeça coça por causa da reação alérgica provocada pela saliva do piolho.

Por essa razão, em pessoas que nunca tiveram piolhos, a coceira pode começar entre 2 a 6 semanas após a infestação.

A coceira pode ser ainda mais intensa e prolongada em casos de infecção secundária do couro cabeludo.

Quando a cabeça começa a coçar, é natural que a pessoa coce e é justamente aí que começam os problemas.

Ao coçar o couro cabeludo, pode-se machucar a pele, facilitando a contaminação por bactérias e infeção secundária.

Piolhos e queda de cabelo

Por se alojarem nos fios e couro cabeludo, piolhos não afetam a raiz dos cabelos, onde o fio é produzido.

Assim não é esperado que a presença de lêndeas e piolhos provoque queda de cabelos.

Uma rara situação que pode ocorrer associada à pediculose é a quebra e mesmo queda provocada pela manipulação dos cabelos.

A coceira intensa da infestação por piolhos pode levar ao constante ato de coçar a cabeça.

Dependendo da força, frequência e duração desse hábito, pode ocorrer quebra dos fios e danos ao couro cabeludo, gerando queda.

Talvez essa seja uma possível explicação para o caso de alopecia publicado pela revista Pediatric Dermatology em 2012.

Eles relataram um caso de uma menina de 10 anos com falhas nos cabelos 1 mês após contrair piolhos.

Tratamento de infestação de piolho em adultos

Quando se encontra piolho em adultos, deve-se investigar pessoas próximas como familiares ou pessoas de convívio íntimo.

O tratamento da pediculose envolve medicamentos tópicos, orais e remoção das lêndeas.

O uso de medicações que matam os piolhos podem não matar todos seus ovos. As lêndeas recentes podem resistir.

Assim, sugere-se repetir o medicamentos cerca de nove dias após primeiro ciclo de tratamento, garantindo a morte de possíveis piolhos que acabaram de eclodir.

Dessa forma, também se tem a certeza de que eles não tenham tempo de se reproduzir.

As lêndeas podem ser removidas com pente fino após passar umedecê-los com vinagre branco.

O vinagre dissolve a substância que faz a adesão das lêndeas aos fios, facilitando sua remoção.

Piolho em adultos: considerações finais

Existem diversas causas de coceira no couro cabeludo, sendo a presença de piolhos uma das mais comuns e intensas.

Assim, eles devem ser considerados durante exame cuidadoso dos fios e couro cabeludo de pessoas com coceira na cabeça.

Piolhos não costumam causar queda de cabelos.

Quando se observa aumento da queda ou mesmo falhas nos cabelos após infestações por piolhos é preciso que outras condições sejam investigadas.

Para isso, um médico especialista deve ser procurado.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *