Por que a queda de cabelo e calvície têm se tornado mais comuns?

Por que a queda de cabelo e calvície têm se tornado mais comuns?

Mesmo sem muitos dados estatísticos a respeito, existe uma sensação de estar havendo aumento da queda de cabelo e calvície.

Mas o que poderia estar ocorrendo?

Estresse

O estresse é considerado um dos principais fatores relacionados ao aumento da queda de cabelo e calvície.

Em parte, por ser um catalisador de diversas reações no organismo associadas a essas condições.

Porém, o impacto negativo do estresse sobre a saúde vai além dos seus efeitos diretos.

O estresse também acaba levando as pessoas a adotarem hábitos de vida menos saudáveis.

Alguns deles, como a diminuição da atividade física, aumento do tabagismo e uma dieta desequilibrada podem potencializar ainda mais seus danos.

Dieta

A alimentação é um dos fatores mais mencionados pela população quando se busca por possíveis causas de doenças em geral.

De fato, as mudanças dos hábitos alimentares coincidem com o aumento da incidência de diversas condições de saúde.

Até pode ser que a importância da alimentação não seja tão grande quanto se acredita em diversas doenças.

Mas, em se tratando do aumento da queda de cabelo o fator nutricional é fundamental.

Com uma rotina mais atribulada, fica mais difícil conseguir se alimentar corretamente.

Deficiências nutricionais então se tornam mais frequentes.

Para tentar compensar as falhas na dieta, muitos optam pelo uso de polivitaminícos e alimentos fortificados.

Entretanto, essa atitude pode agravar ainda mais a queda.

Isso porque tanto a deficiência quanto o excesso de vitaminas podem estar envolvidos com a queda.

Remédios

O consumo de polivitamínicos está atrelado a outro hábito que vem se tornando cada vez mais comum: a automedicação.

O hábito de se automedicar e a maior facilidade em adquirir medicamentos contribuem para um consumo desnecessário e por vezes até excessivo.

Dentre os produtos mais procurados recentemente, destacam-se certos remédios que podem causar queda de cabelo.

Alguns exemplos são os antidepressivos, inibidores de apetite e hormônios sintéticos.

Outra classe de medicamentos frequentemente associada ao aumento da queda de cabelo e calvície em mulheres são os anticoncepcionais.

Anticoncepcionais

O uso de anticoncepcionais cresceu exponencialmente desde quando foram aprovados como método contraceptivo na década de 60.

Não por coincidência, também se intensificaram os casos de aumento da queda de cabelo e calvície feminina.

A importância dos hormônios sexuais femininos na saúde capilar pode ser percebida por período pós-parto e menopausa.

Em ambas as situações, mudanças bruscas no nível desses hormônios levam ao aumento da queda de cabelo.

Assim, é esperado que tanto a introdução, substituição ou interrupção de anticoncepcionais possam provocar queda.

Outro aspecto importante é que a progesterona dos anticoncepcionais pode tanto ajudar quanto piorar quadros de calvície feminina.

Isso porque existem progesteronas que exacerbam os efeitos dos hormônios masculinos e outras capaz de amenizá-los.

Assim, como a calvície feminina tem a participação de hormônios masculinos, o anticoncepcional pode tanto acelerar como retardar o processo.

Anabolizantes

O culto ao corpo e a busca pela melhora da performance têm aumentado muito o uso de anabolizantes e hormônios bioidênticos.

Antes de uso excepcional, eles estão se tornando cada vez mais comuns, especialmente entre adolescentes e mulheres de todas as faixas etárias.

Mascarados entre outros compostos naturais em fórmulas de manipulação, muitas vezes eles nem são notados.

Por outras vezes, alguns justificam seu uso por terem sido indicados por um médico “especialista”, em doses baixas e por pouco tempo.

No entanto, isso não é o que ocorre na maioria das vezes.

Geralmente as fórmulas contém taxas elevadas de hormônios ou similares e os médicos que prescrevem esses compostos não são endocrinologistas.

Assim, não basta ser prescrito por um médico para ser seguro.

Os riscos do uso incorreto dessas substâncias variam desde acne, aumento da pressão, impotência, até câncer e morte.

Do ponto de vista capilar, os anabolizantes podem levar tanto ao aumento da queda de cabelo quanto da calvície.

Dependendo da quantidade usada e da predisposição genética, o quadro pode evoluir rapidamente para a calvície definitiva.

Produtos e procedimentos capilares

A busca por mudanças no visual e a necessidade de acompanhar tendências fazem com os cabelos sejam talvez a parte do corpo mais submetida a procedimentos.

Nos últimos anos, tem-se verificado um aumento vertiginoso do uso de produtos e procedimentos capilares.

E a internet tem muito a ver com isso.

Em parte, pela maior exposição de celebridades ou outros formadores de opinião em redes sociais e mídias eletrônicas.

Além disso, ao divulgar informações sobre produtos, aparelhos e técnicas, a mídia acaba estimulando seu consumo.

No entanto, a maior manipulação dos cabelos pode trazer alguns riscos.

Químicas como colorações e alisamentos podem danificar o fio provocando sua quebra, além de poder provocar dermatites no couro cabeludo.

Por sua vez, apliques e penteados muito apertados podem levar à alopecia de tração.

O resultado pode ser a perda definitiva dos cabelos.

Fatores ambientais

É inegável que as condições ambientais como poluição e radiação solar têm piorado com o tempo.

Mas qual a participação desses fatores no aumento da queda de cabelo?

Apesar de se acreditar na participação dos fatores ambientais na queda de cabelo e calvície, ainda não se conhece exatamente quais e como eles agiriam.

Um dos possíveis mecanismos seria a indução do estresse oxidativo.

Segundo essa teoria, fatores agressores externos estimulariam a formação de radicais livres.

Os radicais livres são compostos altamente reativos que provocam danos à estrutura e função das células.

Os danos capilares se traduzem por fios brancos, aumento da queda de cabelo e maior progressão da calvície.

Aumento da queda de cabelo e calvície: o que fazer?

Parece que está havendo aumento da queda de cabelo e calvície na população, especialmente mulheres e adolescentes.

Assim como vem aumentando a participação de possíveis fatores causais, também aumentam o conhecimento e possibilidades de combatê-los.

Hoje em dia existem tratamentos capilares eficazes para lidar com condições antes consideradas definitivas, como a calvície genética.

Tanto a queda de cabelo quanto a calvície podem ser prevenidas e tratadas, com resultados mais interessantes quanto antes foram reconhecidas e diagnosticadas.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *