Queratina: a proteína do cabelo

Queratina: a proteína do cabelo

A queratina do cabelo é uma proteína responsável por diversas características dos fios.

Composição da queratina do cabelo

O cabelo é constituído aproximadamente de 85% de proteínas, 12% de água e 2% de lípideos, sendo 1% de outros elementos como pigmentos.

A principal proteína do cabelo é a queratina, responsável pela espessura e rigidez do fio.

A queratina é uma proteína formada por aproximadamente 20 aminoácidos, podendo esses serem divididos em essenciais e não essenciais.

No cabelo, eles se dividem da seguinte forma:

  • Essenciais: triptofano, valina, fenilalanina, treonina, lisina, isoleucina, leucina, histidina, metionina
  • Não essenciais: cisteína, ácido cisteico, citrulina, glicina, prolina, tirosina, alanina, serina, ácido aspártico, ácido glutâmico, arginina

Apesar da denominação, esses dois grupos de aminoácidos são igualmente importantes para o organismo.

Assim, os nomes essencial e não essencial não derivam da importância deles, mas da forma como eles são obtidos pelo organismo.

Aminoácidos essenciais são aqueles que o organismo não produz. Portanto, eles necessitam ser adquiridos através da alimentação.

Segundo a ANVISA, adultos devem fazer a ingestão de 50 gramas de proteína ao dia.

Em gestantes e lactantes o valor sobe para 71 gramas ao dia.

A ingestão diária recomendada é calculada para suprir necessidades básicas dos adultos, gestantes e lactantes.

No entanto, dependendo das necessidades energéticas de cada pessoa, esses valores podem ser maiores.

Algumas fontes ricas em aminoácidos essenciais incluem carnes, ovos e leite.

Por outro lado, aminoácidos não essenciais são aqueles que o organismo é capaz de produzir.

Dentre os aminoácidos componentes da queratina do cabelo, alguns precisam ser destacados pela sua importância em determinar diversas características e propriedades do fio.

Cisteína: para que serve?

A cistina e cisteína são os aminácidos mais presentes na queratina do cabelo, correspondendo de 7 a 12% do total.

Apesar de produzirmos cisteína, ela também pode ser adquirida pela alimentação.

As principais fontes alimentares de cisteínas são: carnes, ovos, leite, brócolis, aveia, alho e cebola.

A cisteína é o principal aminoácido não essencial presente na queratina associado  ao formato ondulado ou encaracolado do cabelo.

A molécula de cisteína possui em sua fórmula o enxofre, responsável por fazer a ligação entre as moléculas de cisteína através das pontes dissulfeto.

As pontes dissulfeto são ligações que ocorrem no interior da queratina e entre queratinas próximas, mantendo-as compactas.

Essas ligações são tão fortes que são capazes de retorcer  não somente queratina como todo o fio.

No caso do cabelo, o número de pontes dissulfeto é determinado pelo número de cisteínas que o cabelo tem.

Assim, quanto  mais pontes dissulfeto  tiver o cabelo, mais enrolado ou ondulado ele será.

Cistina: o que é e para que serve?

Muitas vezes usada como sinônimo de cisteína, a cistina é o conjunto de 2 moléculas de cisteínas, ligadas por pontes dissulfeto.

A cisteína pode se converter à cistina e vice-versa.

Ambas estão presentes nos organismos,  sendo a cistina a forma mais estável.

Como possuem a mesma estrutura, as funções da cistina são semelhantes às das cisteínas.

Propriedades da queratina do cabelo

A queratina é responsável pela estrutura, rigidez, solubilidade, força e formato do fio de cabelo.

Boa parte dessas características é determinada pela força da ligação entre moléculas de cistina ou cisteína.

Além dessas propriedades, as pontes dissulfeto também são determinantes para a durabilidade e resistência do cabelo à degradação por agentes externos.

A queratina do cabelo pode ser degradada por produtos químicos, calor e radiação ultravioleta.

As pontes dissulfeto são particularmente sensíveis a soluções básicas, ou seja, de ph alto.

Essas soluções básicas são o principal componente de alguns produtos usados em alisamentos e permanentes.

Ao quebrar as pontes dissulfeto, esses agentes básicos permitem modificar o formato do fio, moldando os cabelos.

Os principais agentes básicos utilizados são: tioglicolato de amônio, hidróxido de sódio, lítio, cálcio e guanidina.

No entanto, Além de modificar o formato, a destruição das pontes dissulfeto também deixam os fios mais fracos e ressecados.

Queratina do cabelo: considerações finais

Alguns fabricantes de cosméticos anunciam que seus produtos capilares contém queratina para o fortalecimento e crescimento dos fios.

A queratina é principal proteína do cabelo, sendo necessária para a produção do fio.

Apesar disso, é improvável que sua reposição interrompa a queda ou recupere fios perdidos em pessoas saudáveis.

A aplicação de produtos tópicos contendo queratina tampouco surte efeito, uma vez que essas moléculas não são absorvidas e acabam sendo removidas ao se lavar os cabelos.

Por outro lado, existem produtos e procedimentos capazes de aumentar a força e crescimento dos fios.

Para saber mais sobre o assunto, procure um médico especialista.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *