Quais são os nutrientes bons para o cabelo?

A saúde capilar depende diretamente da quantidade de nutrientes para cabelo presentes na dieta ou reservas corporais.

Esses influenciam em diversos aspectos como, por exemplo, a resistência, crescimento e aparência dos fios.

Que nutrientes para o cabelo são mais recomendados?

A manutenção da integridade do cabelo depende uma alimentação saudável, com quantidades corretas de vitaminas, sais minerais e proteínas.

Vitaminas

A maior parte das vitaminas necessárias aos processos metabólicos do organismo vem da dieta.

As vitaminas desempenham um papel central no funcionamento correto das células, sendo importantes nutrientes para o cabelo.

Elas participam, por exemplo, da metabolização dos alimentos, fortalecimento imunológico e produção hormonal.

Por conta essas múltiplas funções, diferentes vitaminas são necessárias para preservar a saúde capilar.

Vitamina A (retinol)

A deficiência de vitamina A não tem relação com a queda de cabelo.

Mas isso não quer dizer que a vitamina A não tem influência sobre a vitalidade capilar.

Os retinóides tem ação antioxidante, ou seja, eles diminuem a ação dos radicais livres nos fios.

Essas moléculas altamente reativas provocam a oxidação, processo base do estresse no organismo.

Por sua vez, o estresse oxidativo é responsável pelo envelhecimento celular com consequente aparecimento de fios brancos, queda e progressão da calvície.

Mas se a vitamina A impede reduz esses efeitos, por que a falta dela não causa queda de cabelo?

A resposta é simples: porque o organismo tem outros nutrientes que também exercem essa função.

Assim, na falta de vitamina A, cabe a vitamina C, vitamina E, selênio, zinco,  flavonóides e outras moléculas suprirem esse papel.

No caso da vitamina A, não é a falta, mas o excesso que causa queda de cabelo.

Por isso, é importante ter um bom controle para não exagerar no consumo desse nutriente.

A vitamina A está presente em alimentos como abóbora e cenoura, folhas verde-escuro, óleo de peixe, ovo e queijos.

Vitaminas do complexo B

O complexo B contém importantes nutrientes para o cabelo.

Nesse grupo encontram-se: tiamina (B1), riboflavina (B2), niacina (B3), ácido pantotênico (B5), piridoxina (B6), biotina (B7), ácido fólico (B9) e cianocobalamina (B12).

Graças à diversidade de vitaminas, o complexo B também participa de múltiplas funções no organismo, sendo algumas fundamentais ao cabelo.

O complexo B colabora, por exemplo, para a metabolização de alimentos e fornecimento de energia para funcionamento do corpo.

Assim como em máquinas, sem energia o corpo não funciona.

Portanto, fica fácil entender porque o déficit dessas vitaminas pode levar à queda de cabelo. 

Tamanha é a fama desses nutrientes para o cabelo, que um deles, a biotina, se tornou símbolo da saúde capilar.

Diversos suplementos de vitaminas para pele, cabelo e unhas destacam a presença dessa vitamina para impulsionar as vendas.

Apesar de estarem disponíveis em muitos multivitamínicos comerciais, esses nutrientes para o cabelo podem ser facilmente obtidos na alimentação.

Alimentos ricos em vitamina B incluem: carnes, leite, aveia e outros cereais integrais, sementes de girassol, castanhas e banana.

Vitamina C (ácido ascórbico) 

Assim como a vitamina A, a falta de vitamina C também não causa queda de cabelo.

Nesse caso, nem o excesso se relaciona à queda capilar.

Sendo assim, a importância da vitamina C é mais indireta, graças à ação antioxidante e também sua atuação na imunidade.

São boas opções para consumo desse nutriente: laranja, acerola, goiaba, espinafre, couve, pimentão, brócolis e outras frutas e vegetais.

Vitamina D (colecalciferol)

A vitamina D se tornou um dos mais populares nutrientes para o cabelo e para a saúde geral do organismo. 

Tanto é que a falta de vitamina D se relaciona à queda de cabelo.

Estudos científicos ainda indicam a relação entre os níveis de vitamina D e a evolução da alopecia areata.

A alopecia areata é doença autoimune na qual o sistema imunológico ataca os folículos pilosos e provoca queda de cabelo.

Os níveis de vitamina D dependem tanto da alimentação quanto da exposição solar.

Alimentos ricos em vitamina D incluem óleo de fígado de bacalhau, salmão e frutos-do-mar.

Vitamina E (tocoferol)

Nem a falta nem o excesso de vitamina E levam à queda de cabelo.

Mas, assim como a vitamina A e C, a vitamina E também tem ação antioxidante.

Além disso, a vitamina E atua em outros aspectos ligados à saúde capilar.

O tocoferol, por exemplo, influi na produção de hormônios, controle da oleosidade e da irrigação sanguínea.

Algumas fontes de vitamina E são abacate, sementes, castanhas e óleos vegetais.

Sais minerais

As vitaminas são talvez os mais lembrados nutrientes para o cabelo.

Não é nada incomum ouvir alguém pedindo por uma vitamina para fortalecer os fios ou deixá-los mais bonitos.

Entretanto, poucos se lembram de mencionar os sais minerais como nutrientes para o cabelo. Mas eles são fundamentais. 

Existem diversos sais minerais que participam do processo de produção, crescimento e manutenção do fio. A seguir serão descritos 3 deles, cuja falta ou excesso se relacionam à queda de cabelo.

Ferro

O ferro é essencial ao organismo.

Ele atua desde o transporte de oxigênio, geração de energia, imunidade, até a vitalidade de unhas e cabelos.

O déficit de ferro reduz os níveis de hemoglobina, proteína transportadora de oxigênio no sangue.

Esse quadro, conhecido como anemia ferropriva, pode deixar os cabelos fracos, secos, descoloridos e provocar queda.

Se por um lado a falta de ferro faz mal ao cabelo, o excesso também é prejudicial.

A hemocromatose, doença por acúmulo de ferro, também causa queda de cabelo.

As principais fontes de ferro são fígado, carne vermelha, ostras, gema do ovo, feijão, lentilha, vegetais verde escuros e cevada.

Zinco

O zinco é um mineral com ação na estabilidade capilar, sendo, portanto, um dos importantes nutrientes para o cabelo.

Tanto a falta quanto o excesso de zinco influenciam na queda de cabelo.

Por isso, é importante se ter um equilíbrio na hora de fazer a ingestão de alimentos contendo zinco.

O zinco colabora no sistema imunológico, integridade dos tecidos, coagulação sanguínea, tireoide e controle de insulina no sangue.

Além disso, ele atua como antioxidante.

Assim como acontece com a vitamina D, o zinco também parece se relacionar com a alopecia areata.

De acordo com estudos, níveis baixos de zinco poderiam contribuir para uma pior evolução da doença.

Algumas fontes de zinco incluem a carne vermelha, ovos, peixe, frango e ostras.

Selênio

Dentre os nutrientes para o cabelo, outro mineral a ser considerado é o selênio.

O selênio atua na imunidade, síntese de DNA e função tiroidiana, além de ter ação antioxidante.

Tanto o seu déficit quanto o seu excesso relacionam-se à queda.

Uma importante fonte desse nutriente é castanha do Pará, sendo seu consumo exagerado uma das causas de toxicidade pelo mineral.

Outras fontes de selênio incluem cereais integrais e frutos-do-mar.

Proteínas

Carboidratos e gorduras são fontes primárias de calorias e, portanto, de energia para o organismo.

Por isso, eles recebem o nome de alimentos energéticos.

Mas também de nada adianta ter energia, se não há material para a construção das estruturas celulares.

As proteínas são alimentos estruturais, ou seja, elas funcionam como tijolos em uma obra.

Cerca de 85% da composição do fio é de queratina, um tipo de proteína.

Por isso, as proteínas são essenciais como nutrientes para o cabelo.

As principais fontes animais de proteínas são a carne vermelha, frango, peixes, frutos-do-mar, ovos, leite e derivados.

Já em fontes vegetais as proteínas estão presentes na soja, feijão, grão-de-bico, arroz integral, quinoa, nozes, lentilha e ervilha.

Como obter os nutrientes para o cabelo?

Tanto a falta quanto o excesso de certas vitaminas e minerais podem colaborar com a queda de cabelo.

A falta de alimentos energéticos e proteínas também prejudica o desenvolvimento capilar.

Portanto, é fundamental se ter uma avaliação periódica dos níveis desses nutrientes para o cabelo em pacientes com queda crônica.

Por sua vez, a ingestão de quantidades corretas de nutrientes para o cabelo depende de uma alimentação balanceada.

Em situações especiais, a reposição de um ou outro nutriente pode ser necessária.

Nesse caso, profissionais como médicos e nutricionistas devem orientar bem a dose e o tempo da suplementação. 

O uso de suplementos nutricionais por conta própria além de não ajudar, podem agravar a situação.

Assim, se você acha que seu cabelo cai por falta de uma vitamina, faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

 

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Vale a pena tomar ômega 3 para cabelo?
A busca por suplementos e tratamentos caseiros faz aumentar o interesse por compostos como o... (Leia mais)
Como engrossar o cabelo?
Na internet existem diversas receitas e dicas de como engrossar o cabelo. Embora muitas delas... (Leia mais)
Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *