Dano térmico capilar: quebra e queda de cabelo por chapinha ou modeladores

Dano térmico capilar: quebra e queda de cabelo por chapinha ou modeladores

A possibilidade de moldar os cabelos e dar um estilo próprio ao penteado tornaram as pranchas e modeladores populares. Mas seu uso causa dúvidas frequentes sobre haver quebra e queda de cabelo por chapinha.

Quebra e queda de cabelo por chapinha, babyliss, escova rotativa de cerâmica e outros modeladores

A alteração do formato dos cabelos por pranchas e modeladores ocorre pela modificação de ligações químicas existentes no interior do fio. 

Essas ligações, chamadas pontes de hidrogênio, são responsáveis em parte pelo formato do fio. 

Determinadas temperaturas são capazes de romper essas pontes de hidrogênio, possibilitando, assim, a modificação e mudança temporária da forma do fio.

Ao atingir essas temperaturas, alguns aparelhos danificam os fios, deixando-os opacos e desgastados.

Além disso, os danos térmicos provocados pelo calor podem causar uma série de alterações estruturais na haste capilar, dentre elas:

  • Tricorrexe nodosa: nódulos no fio de cabelo que vão se esgarçando até quebrar.
  • “Bubble hair”: bolhas dentro da haste capilar, aumentando sua fragilidade.
  • Tricoptilose: ruptura da extremidade do fio, que se divide formando as conhecidas “pontas duplas”.

Essas alterações decorrentes do dano térmico enfraquecem os fios, tornando-os mais propensos à quebra.

Ao quebrar, os fios partidos tendem a ficar com um aspecto de frizz ou de pontas duplas.

Dessa forma, a maior parte da queda de cabelo observada em quem usa pranchas e modeladores é decorrente da quebra do fio pelo calor do aparelho.

Dificilmente a queda ocorre desde a raiz. 

Uma das possibilidade disso ocorrer, por exemplo, é no caso de se encostar o aparelho quente no couro cabeludo, causando queimadura.

Dependendo da gravidade e profundidade da queimadura, pode haver substituição do bulbo capilar por uma cicatriz, resultando em perda definitiva dos cabelos.

Estudos científicos sobre a quebra e queda de cabelo por chapinha ou modeladores

Estudos têm demonstrado que temperaturas entre 175ºC e 215ºC por 5 minutos são suficientes para danificar a maioria dos cabelos.

Segundo esses estudos, nem mesmo aparelhos teoricamente mais seguros, como a escova cerâmica Conair, são isentos de riscos.

Além da quebra e queda de cabelos por chapinha, o risco de queimaduras também é relatado, especialmente em crianças.

Dados na literatura médica têm demonstrado um número relevante de crianças com queimaduras provocadas por aparelhos que podem chegar a mais de 220ºC.

Segundo uma pesquisa científica, as queimaduras geralmente ocorrem com o aparelho ligado ou até 44 minutos após ele ser desligado, devido ao tempo necessário que alguns modelos levam para esfriar.

Fatores de risco para a quebra e queda de cabelo por chapinha ou outros modeladores

A condição do cabelo é um fator importante: quando mais fino, maiores as chances de quebra e queda de cabelo por chapinha.

A frequência com que se lavam os cabelos também influencia na manutenção da saúde do cabelo e do couro cabeludo.

O intervalo ideal depende da oleosidade e suor do couro e tipo de cabelo da pessoa, considerando-se ainda variações individuais.

Em geral, cabelos caucasianos e asiáticos devem ser lavados diariamente ou a cada 2 dias. Por outro lado, cabelos afro devem ser lavados com menos frequência, pela menor oleosidade e maior risco de quebra.

Cabelos longos tendem a quebrar mais do que curtos quando submetidos ao mesmo processo de modelagem.

Isso porque quanto mais longo o cabelo maior foi o tempo de exposição e agressão que fio já foi submetido.

Além disso, quanto mais química como luzes, tintura, progressiva, relaxamento ou alisamento, maior o risco de quebra.

Como prevenir a quebra e queda de cabelo por chapinha e modeladores

Para preservar melhor os cabelos, é aconselhável, quando possível, deixá-lo secar naturalmente.

Caso seja necessário usar o secador, procure antes tirar o excesso de água com a toalha.

Outra dica é usar protetores térmicos antes de secar ou modelar os cabelos com secadores, pranchas ou outros modeladores. Eles diminuem os danos às fibras capilares e ajudam a preservar o fio.

Também é importante usar a o secador na temperatura média ou respeitar uma distância de pelo menos 15 centímetros do cabelo.

Deve-se ainda restringir ao máximo tanto a duração quanto a periodicidade do uso de pranchas e modeladores.

Quando for preciso usar, é bom se certificar de que os fios estejam bem secos antes de passar os aparelhos. Usar chapinha com fios úmidos ou molhados aumenta a chance de ocorrer alterações como o “bubble hair”.

Quebra e queda de cabelo por chapinha ou modeladores: o que fazer?

O uso da chapinha, babyliss, escova alisadora e outros modeladores tem se tornado cada vez mais comum.

O aumento da popularidade desses aparelhos térmicos, no entanto, acompanha a maior preocupação com potenciais riscos associados ao seu uso.

A melhor maneira de se evitar esses riscos é  restringir ao máximo o uso deles.

Mesmo pessoas que fazem uso esporádico desses aparelhos devem sempre tomar os cuidados necessários.

A aplicação correta e ocasional não costuma causar problemas, especialmente em pessoas que têm fios sem alterações como afinamento, ressecamento ou química.

A quebra pode ser um sinal de que os fios estejam finos e fracos.

Portanto, ao notar quebra e queda de cabelo por chapinha, escova rotativa ou outros modeladores, procure um médico especialista.

Assim, você pode evitar ficar literalmente com a cabeça quente.

A Clínica Doppio, além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

4 respostas

  1. Bom dia! Me chamo Fabiana, tenho 45 anos, moro em Recife,.

    Quanto aos meus cabelos são crespos e finos, uma ou duas vezes ao ano faço “inteligente” e uma vez ao mês pinto (tintura) a raiz para cobrir os fios brancos. E Semanalmente faço escova para modelar os cabelos.

    Além disso, uso um DIU de Mirena (progesterona) para evitar gravidez.

    Devido às químicas, meu cabelo está com aspecto de “bucha, chiclete” e tem caído muito, inclusive estou com áreas no couro cabeludo bastante rareadas (com pouco cabelo).

    Como faço para marcar uma consulta, qual o valor da consulta de avaliação, e quais exames já posso levar daqui de Recife?

    1. Olá, Fabiana

      Obrigado pelo interesse.
      Entraremos em contato por email assim que possível para esclarecer suas dúvidas sobre o agendamento da consulta.

    1. Olá, Cristinane

      É muito comum notar o aumento da queda quando se lava o cabelo (https://clinicadoppio.com.br/queda-de-cabelos-no-banho-o-que-fazer/).Isso muitas vezes até leva a pessoa a pensar que o banho está fazendo o cabelo cair.
      Entretanto, existem diversas causas de queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/queda-de-cabelo-em-mulheres/), que precisam ser avaliadas.
      Somente após avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é possível determinar os motivos da sua queda de cabelo.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *