Queda de cabelo após COVID: o que fazer?

A queda de cabelo após COVID tem incomodado muitas pessoas.

Em grande parte dos casos, a quantidade de cabelos caindo assusta.

A impressão nesse momento é de que não vai restar nenhum fio.

Diante dessa situação, entender as causas da queda ajuda não só a tranquilizar quem está enfrentando o problema como também facilita seu tratamento.

Causas de queda de cabelo após COVID

Além da possível relação entre calvície e COVID-19, outras condições capilares também vem sendo associadas à doença. É o caso da queda de cabelo pelo eflúvio telógeno e da alopecia areata.

Eflúvio telógeno

O eflúvio telógeno é a principal causa de queda de cabelo entre homens e mulheres.

Essa condição ocorre quando há alteração do ciclo normal de renovação do fio de cabelo.

Em geral, o fio passa por 3 fases a cada ciclo, na sequência: anágena, catágena e telógena.

A fase anágena é a fase de crescimento do fio, sendo de longe a mais longa delas.

Ao passar para a fase catágena, o fio começa a se preparar para a queda, que ocorre na fase telógena. Esse processo de preparação e queda dura em média 4 meses.

No eflúvio telógeno, o folículo capilar que deveria estar em fase de crescimento passa precocemente para a fase de repouso, antecipando sua queda. Assim, quanto mais fios passarem para a fase telógena, maior será a queda de cabelo.

O eflúvio telógeno pode ser um processo natural no caso de mulheres no período pós-parto.

Entretanto, ele também pode ser desencadeado por diversos outros fatores, como:

  • estresse;
  • problemas hormonais;
  • falta ou excesso de vitaminas e minerais;
  • medicamentos;
  • cirurgia;
  • doenças inflamatórias;
  • infecções, entre outros.

Estudos apontam a COVID como uma das possíveis infecções associadas à queda de cabelo pelo eflúvio.

A queda de cabelo após COVID deve-se aos efeitos da doença no organismo, principalmente mas não somente nos casos prolongados da doença.

Mesmo pacientes com doença leve ou assintomáticos podem apresentar queda de cabelo após a infecção.

O mecanismo exato ainda não foi identificado.

A taxa de queda de cabelo após COVID tem variado entre 10% a quase 30%, ou seja, 1 em cada 4 pessoas que pegam COVID-19 costumam ver seus cabelos caindo muito.

Um dos estudos a identificar a queda de cabelo após COVID, inclusive, coloca essa queixa entre os sintomas mais comuns após a doença.

Segundo essa pesquisa, as principais complicações a longo prazo do COVID-19 são:

  • fadiga em 58% dos casos;
  • dor de cabeça em 44%;
  • dificuldade de atenção em 27%;
  • queda de cabelo em 25%;
  • falta de ar em 24%.

Apesar de frequente, a queda de cabelo após COVID costuma ser temporária.

Em geral, ela se inicia algumas semanas após a infecção, podendo perdurar por até 4 a 6 meses.

Alopecia areata

A alopecia areata é uma doença autoimune caracterizada por queda de cabelo intensa e repentina.

Nessa condição, o organismo passa a não reconhecer o próprio cabelo, passando, portanto, a atacá-lo.

Com a queda em tufos, costuma-se observar falhas lisas sem cabelo na cabeça.

Além do couro cabeludo, quadros mais extensos podem acometer ainda cílios, sobrancelhas, barba e pelos corporais.

Quando há queda de todos os cabelos e pelos do corpo tem-se a alopecia universal.

Alguns relatos de caso têm associada a queda de cabelo após COVID à progressão de quadros de alopecia areata.

Nos casos identificados, a infecção ou o estresse associado à pandemia foram os fatores associados à rápida progressão da doença.

Queda de cabelo após vacina para COVID

Diversas vacinas foram desenvolvidas para se imunizar contra COVID-19.

Elas podem ser divididas em 3 grupos, de acordo com seus mecanismos de ação:

  • inserção de pedaços do coronavírus em um outro vírus mais fraco (adenovírus): vacina da AstraZeneca, Jansen e Sputinik;
  • parte do material genético do vírus (mRNA): Pfizer/Biontech, Moderna;
  • vírus SARS-COV-2 inativados, ou seja, mortos: CoronaVac.

Alguns efeitos colaterais das vacinas têm sido descritos, principalmente com as do grupo do adenovírus.

A mais preocupante é a ocorrência de trombose, com alguns casos de óbito após vacina.

Sintomas mais leves como mal-estar, fraqueza febre e sintomas gripais também são relatados com mais frequência.

Apesar de haver estudos sugerindo a associação entre queda de cabelo e a infecção pelo coronavírus, no entanto, não há dados na literatura sobre uma possível associação entre queda de cabelo e vacina para COVID.

Como parar a queda de cabelo após COVID?

Não existe um tratamento único e específico para a queda de cabelo após COVID.

Ela é uma das manifestações mais comuns pós infecção pelo coronavírus e faz parte do processo.

Entretanto, isso não quer dizer que se deve ficar parado olhando os cabelos caindo muito.

Existem recursos diagnósticos e terapêuticos para se controlar a queda com mais rapidez.

Quer saber como? Faça-nos uma visita!

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Erros ao usar minoxidil: por que ele não funciona?
O minoxidil é um remédio comprovadamente eficiente para tratar a alopecia. Mas existem alguns erros... (Leia mais)
Hemoglobina, ferro, ferritina e queda de cabelo: qual a relação?
É comum médicos dermatologistas conversarem com seus pacientes sobre a relação entre ferritina e queda... (Leia mais)
Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)

7 Responses

  1. Meu cabelo tá caindo de mechas depois que tive covid e não sei oq fazer já que moro no interior e aqui não tem tricologista não sei oq fazer

  2. 2 meses após segunda dose AstraZeneca, meu cabelo ficou muito fraco, como se tivesse perdido toda sua composição. Ñ Fiz nada nele, nem troquei nenhum produto. Está quebrando e caindo tbm na raíz, de forma assustadora. Era bem comprido e muito cheio, Tive que cortar curtinho e está raminho em 1 mês de queda. Fui ao médico e só me passou 9 injeções de ceteunerim. Já tomei 4 e nada, desesperada, nem diminuiu . Não tenho condições de tratar em salão e sou Sus. Leva meses aqui pra conseguir uma consulta especializada. O que eu faço?

    1. Olá, Roselene

      Evite fazer química, passar chapinha e usar produtos que danifiquem os fios.
      Procure lavar o couro cabeludo diariamente ou em dias alternados. Seque bem após lavar.
      Cuide da sua saúde e tente ter uma alimentação balanceada.
      Dessa forma, seu cabelo deve se recuperar.

  3. Eu tomei as duas doses da vacina Astrazeneca e meu cabelo também está caindo aos tufos. A queda começou após a segunda dose da mesma. Já faz 6 meses que estou lutando, remédios aplicações, dinheiro gasto, e mais dinheiro gasto e o cabelo continua caindo. Os médicos dizem que é estresse mas nunca eu tive isso, acho muito coincidência aparecer logo após as doses da vacina e para mim que foram as vacinas 1ue causaram isso.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *