Cabelo e anabolizantes: consequências para saúde

A relação entre queda de cabelo e anabolizantes pode ser literalmente uma bomba.

A atual percepção de imagem corporal ideal tem provocado o aumento do desenvolvimento e uso de suplementos e substâncias capazes de aumentar a performance e o ganho de massa muscular.

Anabolizantes

Os esteróides androgênicos anabólicos, ou anabolizantes, têm sido usados de forma indiscriminada por um número cada vez maior de pessoas.

Um estudo de 2007 revelou que o principal perfil de usuário de anabolizantes no mundo é o homem de 30 anos, com renda alta e estudo.

Dessa forma, não é de se assustar com o fato de que estudos científicos têm apontado o uso de esteróides como a principal causa de redução dos testículos em jovens.

Outro fato que chama a atenção é o aumento do uso dessas substâncias por mulheres.

Os anabolizantes são hormônios sintéticos com efeito similar ao da testosterona. Por isso, são usados na medicina para tratar situações como atraso da puberdade ou outros problemas de saúde provocados por baixas quantidades de testosterona.

Testosterona

A testosterona é um hormônio androgênico, ou seja, um hormônio masculino, produzido principalmente pelos testículos nos homens.

Ela também é encontrada em mulheres, mas em concentrações bem menores. Nas mulheres, ela é produzida principalmente nos ovários.

A produção da testosterona é regulada pela glândula hipófise e pelo hipotálamo, estruturas que se encontram no cérebro. O hipotálamo controla a hipófise que, por sua vez, controla a produção de testosterona nos testículos e ovários.

Sua produção aumenta no início da adolescência com redução após os 60 anos de idade.

A testosterona é convertida em diidrotestosterona (DHT) e estriol, hormônio encontrado em maiores quantidades em mulheres.

A testosterona é responsável pelas características visuais atribuídas à masculinidade, como voz grossa, aumento da massa muscular e aumento dos pelos na região da barba, axilas e região genital. Além disso, ela contribui para a saúde física geral e o bom funcionamento do organismo, uma vez que atua em diversos outros aspectos como gordura corporal, fertilidade, potência sexual, humor e bem-estar.

Através do seu derivado diidrotestosterona (DHT), também tem papel fundamental no desenvolvimento do quadro de perda de cabelos e calvície em pessoas com predisposição genética.

Queda de cabelo e anabolizantes

A alopecia androgenética, também conhecida como calvície, ocorre por ação do DHT nos folículos pilosos. Em pessoas com predisposição genética, esse hormônio leva ao afinamento e encurtamento dos fios de cabelo, processo conhecido como miniaturização.

O uso de anabolizantes ou de outros compostos com efeito androgênico pode acelerar e agravar esse processo de perda de cabelos por aumentar o dano provocado pelo efeito androgênico ao fio de cabelo.

Assim, em pessoas predispostas, a relação entre queda de cabelo e anabolizantes é inversamente proporcional. Quanto mais anabolizante a pessoa usa, mais rápida é a evolução da calvície.

Anabolizantes: formas de apresentação

Existem diversas formulações de hormônios sintéticos no mercado. As mais conhecidas são: Stanozolol (Winstrol), Nandrolona (Deca Durabolin), Testosterona cristalina (Durateston), Oximetolona (Hemogenim), Oxandrolona (Anavar), Metenolona (Primobolam), Mesterona (Proviron), Boldenona (Equipoise).

As apresentações mais comuns desses produtos são: gel, comprimidos, cápsulas e injeções. A forma de administração pode ser contínua ou em ciclos.

Além desses compostos sintéticos, existem suplementos que contém hormônios esteróides também produzidos pelo corpo. Um desses suplementos é a deidroepiandrosterona (DHEA). O organismo pode converter DHEA em outros hormônios esteróides, incluindo testosterona, estrogênio e cortisol, esse último considerado o hormônio do estresse. Ainda não foi provado se suplementos com DHEA funcionam. Entretanto, dependendo da dose, eles podem causar os mesmos efeitos colaterais dos anabolizantes.

Outra classe de substâncias usadas como suplementos são os chamados anabolizantes naturais. Nessa classe enquadram-se: Tribulus terrestris, Somatodrol, ZMA, ácido D-Aspártico (DAA), Gamma Oryzanol, Maca Peruana, Feno Grego, Testex, Provacyl, Pro Testosterone.

Assim como o DHEA, essas substâncias são usadas para aumentar a performance e a massa muscular dos seus usuários. Entretanto, faltam dados na literatura sobre seu funcionamento e riscos à saúde. Portanto, devem ser evitados.

Consequências do uso de anabolizantes

Além da queda de cabelos e calvície, de uma maneira geral, o uso de anabolizantes e similares pode gerar outros efeitos colaterais como: aumento do colesterol e da pressão arterial, problemas no fígado e coração, agressividade, violência, insônia, dores de cabeça, inchaço e acne.

Nos homens, o uso desses hormônios pode causar redução do testículo, impotência, infertilidade, aparecimento de mamas e aumento do risco de câncer de testículo.

Nas mulheres, pode ocorrer surgimento e aumento de pelos na face e corpo, engrossamento da voz, aumento do clitóris, diminuição dos seios, aumento do apetite e do risco de câncer de mama e endométrio.

Em adolescentes, além de todos os efeitos anteriores, ainda pode haver interrupção precoce do crescimento, com prejuízo da estatura final.

Os adolescentes, inclusive, são particularmente susceptíveis ao uso dessas substâncias, pela necessidade de socialização e busca da identidade.

Saber os possíveis efeitos relacionados aos anabolizantes pode ajudar os pais a reconhecer o uso dessas substâncias pelos seus filhos, possibilitando assim o suporte necessário.

Além dos já citados, outros sinais e sintomas também podem ajudar no reconhecimento, uma vez que mudanças de comportamento podem ser sinais da interrupção do uso de anabolizantes. Alguns indícios podem ser: excesso de cansaço, desânimo, depressão, perda do apetite e queda dos cabelos.

Calvície, queda de cabelo e anabolizantes: o que fazer?

Adultos e adolescentes têm usado anabolizantes para reduzir a gordura corporal, aumentar a massa e força muscular. A justificativa para seu uso é a busca por melhora da performance na prática esportiva ou na aparência física.

Entretanto, os riscos associados ao uso dessas substâncias não devem ser negligenciados, pois muitos são irreversíveis.

A relação entre queda de cabelo e anabolizantes é um desses exemplos.

Se o uso de anabolizantes for interrompido, a queda de cabelo pode ser controlada. A calvície, por outro lado, pode se tornar irreversível dependendo do grau de rarefação capilar provocada pelo anabolizante.

Sendo assim, a queda de cabelos e calvície podem ser sinais do uso de anabolizantes.

Mesmo nesses casos, elas podem ser tratadas, com resultados mais positivos quanto antes forem avaliadas.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)
Riscos e efeitos colaterais da dutasterida para tratamento capilar
Desde a sua aprovação para tratamento da calvície masculina pela ANVISA, aumentou-se o interesse por... (Leia mais)
É bom usar Adeforte para cabelo?
Alguns sites e blogs da internet vêm incentivando as pessoas a utilizarem o Adeforte para... (Leia mais)

20 Responses

  1. Prezados, boa tarde
    Tomei o stanozolol em janeiro desse ano. Início de fevereiro terminei o ciclo e de junho para cá meu cabelo vem caindo de forma assustadora…está ralo, sem cumprimento e não pára de cair.

    1. Olá, Mônica

      Seria interessante fazer uma avaliação completa do seu caso, com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, par determinar os motivos da sua queda de cabelos e rarefação.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  2. Boa noite tomei durateston sexta e na segunda já começou a queda de cabelo será que é do durateston ????

    Observação: descolorir o cabelo final de ano fiz muito merda no cabelo final de ano porém eu puxava ele e não caia porém agora após utilizar durateston tá caindo !?

    1. Olá, Antônio

      Existem algumas possibilidades para o quadro descrito por você.
      Para saber exatamente o que está acontecendo é preciso passar por uma avaliação médica.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é que se pode esclarecer o que está ocasionando a queda.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

    1. Olá, Adriano

      Os anabolizantes são uma classe de substâncias que tem em comum o fato de aumentarem os hormônios andrógenos.
      Portanto, todos devem causar esse efeito no cabelo.

  3. li que a Deca nandrolona se converte .dhn e não Dht sendo menos andrógenico tipo 30 por cento em comparado com a testo pergunto há estudos sobre isso dr?

  4. Vejo muitos informando que o feno grego combate a queda capilar e provando sobre.
    O feno grego ele combate a queda e calvície ou colabora para o aumento dela ? Ele aumenta somente a testosterona livre ou o DHT também ? Isso se tratando do homem.

    1. Olá, Wesley

      A indicação de medicamentos e outras formas de tratamento dependem de uma prévia avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Portanto, sugiro que agende uma consulta para que possamos discutir possibilidades terapêuticas.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

    1. Olá, Eliézer

      Sim, existe uma dose mínima capaz de não provocar a queda ou rarefação do cabelo.
      O problema é que não tem como saber qual é a não ser usando até perder os cabelos.

  5. usei Stanozolol tomei 1 ml por semana só todo tomei 15 ml já fez um ano em dezembro e meu cabelo tá caindo muito e ralo e possível que depois de um ano ainda seja por causa do Stanozolol ??

    1. Olá, Débora

      Para saber exatamente o que está acontecendo é preciso passar por uma avaliação médica.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é que se pode esclarecer o que está ocasionando a queda e deixando ele ralo.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *