Queda de cabelo por estresse

Admite-se que estresse esteja relacionado a diversas doenças, mas pode haver queda de cabelo por estresse?

É comum ficarmos estressados de vez em quando. Mas o que acontece quando o estresse se torna constante em nossas vidas ou quando passamos por situações altamente estressantes como divórcio, desemprego ou morte de um ente querido?

Estudos científicos têm evidenciado o efeito maléfico do estresse, sobretudo o ligado ao trabalho, no comprometimento de vários aspectos relacionados à saúde, inclusive alguns deles levando a um aumento do risco de morte.

Causas associadas à queda de cabelo por estresse

Um dos sintomas de estresse excessivo pode ser a acentuação da queda dos cabelos.

Quando uma pessoa passa por situações estressantes prolongadas ou intensas, o corpo libera substâncias e hormônios que sinalizam para que os folículos capilares entrem em fase de queda, chamada fase telógena, de forma acentuada e precoce.

Esse processo, conhecido como eflúvio telógeno, costuma ser temporário, com recuperação dos fios após controle dos fatores desencadeantes.

Entretanto, quando o estresse se mantém por períodos prolongados, essa situação pode se tornar crônica, levando à rarefação dos cabelos.

Além do efeito direto no comprometimento capilar, outros aspectos contribuem para agravar o quadro de queda de cabelo por estresse.

Uma rotina estressante geralmente é acompanhada por práticas não saudáveis, como de dietas não balanceadas, falta de exercícios físicos e aumento do consumo de cigarros.

Dieta

Trabalhos com jornadas ou ambientes estressantes tendem a afetar os horários e a qualidade das refeições. Assim, torna-se mais comum fazer refeições mais espaçadas, mais rápidas como “fast food” e menos saudáveis  ou “junk food”.

Dietas não balanceadas, principalmente se mantidas por longos períodos, tendem a gerar deficiências nutricionais que impactam na saúde do indivíduo e no crescimento dos cabelos.

Dessa forma, a alimentação ruim pode agravar a queda de cabelo por estresse.

Sedentarismo 

A jornada extensa de trabalho ou o desgaste provocado pela profissão muitas vezes inviabilizam a prática frequente de atividades físicas.

O exercício físico regular contribui para a manutenção da saúde do organismo, promovendo melhora da circulação e da nutrição dos diversos tecidos, inclusive do couro cabeludo.

Por isso, a falta de exercícios físicos periódicos contribui para a queda de cabelo por estresse.

Cigarro 

Os riscos para a saúde provocados pelo tabagismo são bem documentados, variando desde doenças do coração até câncer de pulmão.

Assim, é de se esperar que o cigarro também afete os cabelos de forma negativa.

Estudos têm mostrado que o tabagismo está relacionado não somente ao aumento da queda, mas também à calvície.

Os mecanismos da queda relacionados ao cigarro são multifatoriais. envolvendo desde danos ao DNA das células da raiz do cabelo até o comprometimento da microcirculação e, portanto, da nutrição dos fios de cabelo.

Como os fumantes tendem a fumar mais quando estão estressados, eles podem ter ampliado os danos provocados por esse hábito.

Assim,  o cigarro se relaciona diretamente à queda de cabelo por estresse.

Dermatite seborreica

A inflamação do couro cabeludo, percebida pela coceira ou caspa, também costuma piorar com o estresse e agravar a queda.

O estresse interfere na modulação das respostas inflamatória e imune do organismo, podendo provocar exacerbação de certas condições como a dermatite seborréica.

O mecanismo do aumento da queda de cabelos por estresse e quadros inflamatórios do couro cabeludo é o encurtamento da fase de crescimento do fio, com evolução precoce para a fase de queda, fenômeno chamado eflúvio telógeno.

 

Calvície

Estudos científicos têm sugerido a participação do estresse e de agentes relacionados, como o cigarro, no desenvolvimento de alopecia androgenética.

Nesses casos, o estresse atuaria acelerando o aparecimento e a evolução do quadro em pessoas com tendência genética à calvície.

Alopecia areata

A alopecia areata é uma doença autoimune em que há queda repentina de tufos de cabelos.

A queda leva ao aparecimento de falhas circulares no couro cabeludo. Em casos mais graves, pode ocorrer queda de todo o cabelo e até de todo pelo do corpo.

Por interferir na modulação da resposta imune, o estresse é tido como um dos responsáveis pelo aparecimento, manutenção e piora de diversas doenças inflamatórias e autoimunes, dentre elas a alopecia areata.

Apesar dos mecanismos desencadeantes da alopecia areata ainda não serem esclarecidos, acredita-se que o estresse pode ter participação no processo.

Além disso, situações estressantes parecem interferir em aspectos da evolução, como aparecimento de novas lesões e piora das existentes.

Por isso, é muito comum que médicos digam aos pacientes que a alopecia areata é uma queda de cabelo por estresse.

Ainda que seja um quadro abrupto e muitas vezes intenso, o tratamento da alopecia areata costuma ser eficiente, com remissão espontânea em boa parte dos casos.

Medidas de controle do estresse devem ser buscadas, afim de se obter resultados mais satisfatórios e melhor controle da doença.

Como lidar com o estresse e queda de cabelo

Sempre que possível, é importante resolver o assunto que está gerando o estresse ou aprender como lidar com o fator estressante, para que ele cause o menor impacto possível.

Atitudes como estabelecer um tempo da sua rotina para hobbies que você gosta, a prática de exercícios físicos regulares, atividades ao ar livre ou encontro com amigos, junto à adoção de hábitos de vida saudáveis podem contribuir para minimizar os efeitos do estresse no seu cotidiano.

Em situações de estresse mais severo, como divórcio, morte de ente querido ou traumas psicológicos, a ajuda de outros profissionais como terapeutas ou psiquiatras pode ser necessária.

Queda de cabelo por estresse: o que fazer?

Assim como o estresse pode levar ao comprometimento capilar, a queda excessiva de cabelos também costuma gerar ansiedade.

Mas não deixe que os cabelos sejam motivo para seu estresse.

A calvície assim como a queda de cabelo por estresse podem ser controladas, com resultados mais satisfatórios quanto antes forem detectadas.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento da queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)
Finasterida ou minoxidil: qual é a diferença?
Parte dos pacientes com problemas capilares ficam em dúvida se devem usar finasterida ou minoxidil.... (Leia mais)
Erros ao usar minoxidil: por que ele não funciona?
O minoxidil é um remédio comprovadamente eficiente para tratar a alopecia. Mas existem alguns erros... (Leia mais)

13 Responses

  1. Boa tarde,
    Me chamo Luzilene
    Estou para ficar sem cabelos, pois estou com uma queda enorme, já tomei vitamina, mas a queda não para, estou desesperada

    1. Olá, Luzilene

      Existem diversas causas de queda de cabelo
      Você pode saber mais sobre elas no texto:https://clinicadoppio.com.br/queda-de-cabelo-em-mulheres/
      Para esclarecer quais delas estão realmente contribuindo para sua queda, é preciso passar por uma avaliação médica especializada.
      Somente após avaliação completa, com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é possível determinar os motivos da sua queda de cabelo.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

  2. Boa tarde
    Não tenho entradas grandes, não tenho a coroa, más meu cabelo é pouquíssimo em todo couro cabeludo, na cabeça toda! Tenho transtorno de ansiedade e tomo medicamento! Há uns 3 anos quando comecei a tomar o medicamento pra ansiedade percebi qua a queda de cabelo parou, más não recuperei o que perdi! Tem como reverter? E se essa queda de cabelo foi por causa da Ansiedade.
    Grato

    1. Olá, Daniel

      O estresse mais do que a ansiedade pode estar associado a queda de cabelo e calvície.
      Entretanto, quando a queda de cabelo está relacionada ao estresse associado a transtornos de humor como depressão e ansiedade, normalmente se observa a recuperação total dos cabelos após controle desses transtornos (https://clinicadoppio.com.br/depressao-e-queda-de-cabelo/).
      Caso não se observe a recuperação completa, é preciso que se procure um médico especialista para esclarecer o motivo pelo qual o cabelo não voltou ao normal.
      Somente após análise completa do seu fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue é possível determinar o que está acontecendo e te responder se é possível reverter.
      Se precisar de mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

  3. Boa noite tdo bem.Estou com queda de cabelo e muita ardência couro cabeludo .já fui dermatologista e me receitou pantogar para queda mas a ardencia nao passa .será que tem algum medicamento que ajuda pra passar a ardencia.obrigada.

    1. Olá, Márcia

      A ardência, sensibilidade ou dor do couro cabeludo pode ter diversas causas (https://clinicadoppio.com.br/tricodinia-dor-no-couro-cabeludo-e-queda-de-cabelo/).
      Não é possível determinar o motivo da sua ardência sem antes passar por uma avaliação médica especializada.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do couro cabeludo e talvez até exames de sangue, é possível determinar os motivos da sua ardência.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    1. Olá, Inês

      Infelizmente não temos uma indicação de clínica em Porto Alegre para que você possa se tratar.
      Mas caso tenha oportunidade de vir à São Paulo, teremos toda a satisfação em ajudá-la.

  4. Boa noite, estou com uma queda de cabelo na região da costeleta e vai até atrás da orelha, apenas na lateral, sempre nas bordas do cabelo. Da pra ver que tem fio na região mas é um fio fino que não cresce. O que poderia ser? A uns meses atrás passei por um período de ansiedade

    1. Olá, Gustavo

      Apesar da sua descrição, não é possível fazer o diagnóstico sem uma prévia avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Portanto, sugiro que, quando possível, agende uma consulta.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

  5. Boa Tarde.
    Eu min chamo José Carlos tenho 39 anos.
    Durante a pandemia comecei a notar cabelo no chão da casa.
    E um certo afinamento do cabelo, tenho percebido falhas, cabelo fraco etc.
    Vc pode min ajudar?

    1. Olá, José Carlos

      Para te ajudar eu precisaria examinar seus fios de cabelo, couro cabeludo e talvez até pedir exames de sangue.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *