Queda de cabelo por hormonioterapia para câncer de mama

A queda de cabelo é um efeito esperado, porém temido por grande parte dos pacientes em tratamento contra o câncer. Além da quimioterapia, outros fatores também podem estar envolvidos, como no caso da queda de cabelo por hormonioterapia para câncer de mama.

Tratamento hormonal no câncer de mama

Os hormônios sexuais estão associados ao desenvolvimento do câncer de mama e ovário.
Isso é especialmente válido para pacientes que possuem receptores para estrógeno (ER+) ou progesterona (PR+) nas células tumorais.
Esses pacientes, que totalizam 2/3 dos casos de cânceres de mama, se beneficiam da terapia hormonal.
A hormonioterapia é utilizada após o tratamento inicial do câncer de mama com o intuito de prevenir sua recorrência.
Além disso, ela também pode ser usada para diminuir o crescimento do tumor ou retardar sua progressão em casos metastáticos.
Outra possibilidade menos comum é a hormonioterapia profilática, ou seja, para prevenir o câncer em pacientes de alto risco.
Seja qual for sua indicação, no entanto, há sempre a chance de ocorrer queda de cabelo por hormonioterapia.

Como funcionam os medicamentos da terapia hormonal?

Existem 3 grupos principais de anti-estrogênios:

  • SERMs (Selective Estrogen Receptor Modulators) ou MSREs (Moduladores seletivos de receptores de estrógeno): tamoxifeno (Novaldex), raloxifeno (Evista);
  • Inibidores de aromatase (IA): anastrozol (Arimidex) , letrozol (Femara, Lezieu), exemestano (Aromasin);
  • Fulvestranto (Faslodex).

Os MSREs são os medicamentos mais utilizados para terapia hormonal. Eles atuam bloqueando a ligação do estrógeno ao receptor da célula mamária, impedindo sua ação.
Já o grupo do anastrozol inibe a enzima aromatase, responsável pela conversão de hormônios masculinos em estrógenos.
O bloqueio da aromatase acaba acarretando a diminuição da formação do estradiol e estrona a partir da testosterona e da androstenediona, respectivamente.
Por fim, o Fulvestranto age diminuindo a quantidade de receptores hormonais existentes nas células mamárias.

Estudos científicos sobre queda de cabelo por hormonioterapia para câncer de mama

Medicamentos podem estimular o crescimento capilar, provocar mudanças na cor e formato dos fios ou causar queda de cabelo.
Dados da literatura médica estimam taxas de queda de cabelo por hormonioterapia de 3% com tamoxifeno e 5% com letrozol.
Nesse sentido, um estudo realizado com 851 mulheres que sobreviveram ao câncer de mama mostrou haver até 2,5 mais chances de haver queda capilar entre as pacientes em tratamento hormonal.
Além disso, estudos científicos já indicaram que a terapia hormonal também pode causar afinamento, descoloração dos fios e alopecia.
A alopecia por hormonioterapia pós-câncer de mama foi abordada em uma publicação da revista científica JAMA em 2018.
O estudo envolveu 112 mulheres com diagnósticos de câncer de mama e alopecia associada à terapia hormonal.
Do total de pacientes investigadas, 75 mulheres (67%) apresentaram piora com inibidores de aromatase e 37 (33%) com o tamoxifeno.
O padrão encontrado na alopecia nessas pacientes foi descrito como semelhante ao observado na alopecia androgenética.

Como explicar a piora da alopecia e da queda de cabelo por hormonioterapia para câncer de mama?

Tanto o tamoxifeno quanto o anastrozol são medicamentos que levam a uma menor atividade dos estrogênios no organismo.
O tamoxifeno, por exemplo, compete pelo receptor estrogênico, diminuindo a ligação e ação do estrógeno nas células.
Por sua vez, o anastrozol e outros inibidores de aromatase diminuem a conversão de andrógenos nos estrogênios.
Nos cabelos, a diminuição do estímulo estrogênio induz os fios a entrarem na fase de queda, chamada telógena.
Dessa forma, esses remédios induzem o aumento da queda observado durante a terapia hormonal pós-câncer de mama.

Afinamento dos cabelo: alopecia androgenética

Além disso, o desequilíbrio hormonal entre androgênios e estrogênios provocado por esses medicamentos favorece a progressão da alopecia androgenética.
Isso porque ao reduzir a conversão de andrógenos pela aromatase, o anastrozol aumenta o nível dos androgênios.
Por sua vez, remédios como o tamoxifeno diminuem a ação do estrógeno provocando um estado de relativa androgenia.
Assim, acredita-se que essas medicações podem contribuir para um estado de androgenia absoluta ou relativa, o que favoreceria o aparecimento e progressão da calvície em pacientes predispostos.

Queda de cabelo por hormonioterapia para câncer de mama: o que fazer?

A perda de cabelos pode se tornar um evento estressante para pessoas que estão em um processo de luta pela vida.
Por isso, é importante cuidar de todos os aspectos que possam interferir na qualidade de vida desses pacientes.
Dessa forma, é preciso ficar atento à possibilidade de ocorrer queda de cabelo por hormonioterapia usada para tratamento de manutenção no câncer de mama.
Ainda mais porque tanto a queda quanto a alopecia provocada por esses medicamentos podem ser prevenidas e tratadas de forma segura, sem uso de hormônios ou medicações que possam interferir no balanço hormonal.
Para saber mais sobre como fazer a prevenção e o tratamento dessas condições, faça-nos uma visita.

A Clínica Doppio, além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Queda de cabelo por Ozempic e outros inibidores de apetite
A possibilidade de haver queda de cabelo por Ozempic é uma das preocupações das pessoas... (Leia mais)
Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)
Finasterida ou minoxidil: qual é a diferença?
Parte dos pacientes com problemas capilares ficam em dúvida se devem usar finasterida ou minoxidil.... (Leia mais)

26 Responses

    1. Olá, Fadua

      Para saber o que está deixando seus cabelos fracos e provocando a queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/causas-de-queda-de-cabelo-feminino/) é preciso passar por um exame tricológico (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/).
      Assim, sugiro que procure um médico especialista para exame completo dos seus fios de cabelo, couro cabeludo e da sua saúde geral.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    2. Faço uso de Anastrozol e meus cabelos estão caindo muito,sou de Nova Friburgo RJ, gostaria muito de saber o que fazer.obgada.

      1. Olá, Liete

        Como esse medicamento é importante para o seu tratamento, ele deve ser mantido.
        Existem muitas outras causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/causas-de-queda-de-cabelo-feminino/) que precisam ser investigadas e tratadas.
        Portanto, é preciso passar por avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, para determinar os motivos da sua queda de cabelo.
        Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
        Estamos à disposição para ajudá-la.

  1. Estou tomando o medicamento anastrozol e meus cabelos estão caindo muito. Por favor preciso de ajuda. Ou mesmo de orientação sobre o assunto a quem posso recorrer?

    1. Olá, Edith

      Existem muitas causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/queda-de-cabelo-em-mulheres/), incluindo o anastrozol.
      Entretanto, não é possível determinar se esse é o motivo único da sua queda sem uma avaliação completa, com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    2. Em 2014 operei um câncer de mama(carcinoma) e desde então comecei a fazer uso do medicamento ANASTROZOL 1mg. Problema é que estou com queda de cabelo e acho que seja do remédio pois faz muito tempo que uso. Sou de Porto Alegre/RS qual a especialidade do médico que devo procurar para tratar meu cabelo?

      1. Olá, Maria da Glória

        Sugiro que procure um dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, para tratar seu cabelo.

  2. Tomo Letrozol desde 2019 e gostaria de saber se posso fazer escova progressiva, pois meus cabelos estão caindo muito, mas caia mesmo antes de tomar Letrozol.

  3. Boa tarde faço uso de Femmara 2.5 a 4 meses,percebi que meu cabelo está caindo muito .o que fazer? Se nao posso interronper a hormonioterapia. Ja que nao precisei fazer quimio.

    1. Olá, Mariiana

      Existem muitas causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/causas-de-queda-de-cabelo-feminino/), além da hormonioterapia que precisam ser investigadas.
      Por isso, sugiro que procure um médico especialista para uma avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
      Assim é possível esclarecer o que está ocasionando a queda.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

    1. Olá, Maria Cristina

      Não há contraindicação de se fazer procedimentos capilares como luzes ou outra química capilar em quem está em uso de tamoxifeno.

  4. assim como todos comentarios acima.Estou em uso anastrazol sim no topo e nas laterais os fios ralos ..A pergunta e a queda e definitiva ou tao logo termine o prazo uso medicacao os fios voltam a melhorar.Obrigado.Eu uso shampoo dercos anti queda ..

    1. Olá, Jossonia

      A participação do anastrozol na queda deve terminar quando o medicamento for suspenso, mas isso não quer dizer necessariamente que a queda termine, pois existem muitas causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/causas-de-queda-de-cabelo-feminino/) /) e diversos motivos para seu cabelo estar ficando fino e ralo (https://clinicadoppio.com.br/afinamento-capilar-causas-e-tratamento/).
      Entretanto, não é possível determinar o motivo da sua queda sem antes passar por uma avaliação médica especializada.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é que se pode esclarecer o que está ocasionando a queda.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.

      1. Meu cabelo nunca caiu e durante a quimioterapia e radiação caiu desesperadamente , nasceu tudo lindo, porém ao começar fazer uso de anastrazol estou ficando quase careca , é mais triste que o próprio câncer . Mas acho que sei mais ou menos o que pode parar essa queda de cabelo.

    2. olá, estava usando tamoxifeno e tive muita queda de cabelo, parei de usar e já diminuiu muito a queda, médico trocou por Letrozol e gostaria de saber se há algum tratamento capilar que diminua a queda durante o tratamento ou não tem nada a fazer, já fiz exames e está tudo normal, a queda deve ser por causa do medicamento tanto que diminuiu muito qdo parei de tomá lo. Tomei pantogar, minoxodil e não resolve nada.
      Obrigada.

      1. Olá, Lúcia

        Sim, existem tratamentos para evitar a queda de cabelo durante uso de medicamentos para hormonioterapia do câncer de mama.
        A indicação de medicamentos e outras formas de tratamento dependem de uma prévia avaliação médica completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue.
        Portanto, sugiro que agende uma consulta para que possamos discutir possibilidades terapêuticas.
        Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
        Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *