Fatores ambientais relacionados à queda de cabelos

Quando uma pessoa começa a perceber que os cabelos estão caindo muito, é natural que ela procure causas internas para justificar o problema. Mas seria possível queda de cabelo por poluição?

Apesar da queda de cabelos poder ser causada por fatores genéticos ou outras diversas condições do próprio organismo, algumas vezes agentes ambientais externos podem contribuir para o comprometimento da saúde capilar e aumento da queda.

Queda de cabelo por poluição

O ar poluído carreia uma série de substâncias tóxicas decorrentes da industrialização e urbanização.

Esses compostos são associados a diversas doenças e problemas de saúde.

Dentre os principais poluentes encontrados no ar atmosférico encontram-se:

  • Monóxido de carbono (CO): formado pela queima incompleta de combustíveis de veículos automotores. Este gás tem alta afinidade pela hemoglobina, proteína responsável pelo transporte de oxigênio no sangue. Assim, o CO diminui a oxigenação dos tecidos do corpo;
  • Dióxido de enxofre: atividades para geração de energia, aquecimento doméstico e uso veicular são as principais fontes de emissão desse gás. Quando chove, ele reage com a água formando chuva ácida;
  • Dióxido de nitrogênio: proveniente de incêndios florestais, queima de combustível por carros ou em fornos industriais. Também pode participar da formação da chuva ácida. Junto com o material particulado, confere o tom marrom do ar de cidades como São Paulo;
  • Material particulado: resíduos sólidos de dimensões tão reduzidas que são capazes de permanecerem suspensos no ar. Decorrentes da queima de combustíveis fósseis, obras e pavimentação de vias;
  • Aldeídos: formaldeído e acetaldeído, emitidos na queima de combustíveis, como o álcool e metanol. Também conhecido como formol, o formaldeído é reconhecidamente cancerígeno em humanos.

Há poucos estudos científicos sobre a queda de cabelo por poluição.

O mecanismo proposto par a queda seria através da formação de radicais livres e substâncias pró-inflamatórias.

Tanto a inflamação quanto o estresse oxidativo provocado pelos radicais livres são fatores cada vez mais associados aos processos de aumento da queda de cabelos e desenvolvimento da calvície.

Assim, talvez em breve comecem a serem feitas mais pesquisas sobre a queda de cabelo por poluição.

Cigarro

A nicotina, o monóxido de carbono e o formaldeído são algumas das diversas substâncias presentes no cigarro, ou na sua fumaça, com possibilidade de provocar danos aos cabelos.

Um estudo realizado em 2007, com 700 asiáticos, revelou uma associação significativa entre a alopecia androgenética, ou calvície, e o hábito de fumar 20 ou mais cigarros ao dia, independente de outros fatores.

Um dos possíveis mecanismos de danos aos cabelos seria a redução da circulação sanguínea dos folículos capilares provocada pelo cigarro. A diminuição da irrigação sanguínea do couro cabeludo leva a déficits de nutrientes e oxigênio aos fios, comprometendo seu desenvolvimento e crescimento.

Além disso, acredita-se que, assim como na poluição, as toxinas do cigarro contribuem para o envelhecimento das células do folículo capilar por radicais livres, processo que leva ao aumento da queda e da progressão da calvície.

Exposição solar

A radiação solar não estar relacionada diretamente à calvície

Entretanto, a exposição prolongada ao Sol pode danificar a estrutura do fio, tornando-o mais ressecado, frágil e quebradiço.

Agentes químicos

O cloro presente em piscinas também pode modificar as fibras dos fios de cabelo.

A exposição prolongada ao cloro pode alterar propriedades como cor, hidratação e a própria estruturada haste capilar.

Com isso, o cloro favorece o ressecamento, descoloração e quebra dos fios.

Queda de cabelo por poluição e outros fatores ambientais: o que fazer?

As escolhas pessoais e os hábitos de vida podem fazer com que as pessoas tenham diferentes graus de exposição a poluentes e agentes tóxicos capazes de danificar e até mesmo comprometer os cabelos e a saúde em geral.

Assim como a poluição e outros fatores ambientais podem prejudicar os cabelos, há também várias outras condições de saúde que podem estar envolvidas.

A melhor maneira de garantir a saúde capilar é reconhecer e combater todas as possíveis causas da queda de cabelos.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Umectação capilar noturna: dormir com óleo no cabelo faz mal?
Alguns sites e blogs da internet vem sugerindo dormir com óleo no cabelo para fazer... (Leia mais)
Remédio para cabelo branco: o que funciona?
A busca por um remédio para cabelo branco é grande. Embora o aparecimento de fios... (Leia mais)
É bom usar Adeforte para cabelo?
Alguns sites e blogs da internet vêm incentivando as pessoas a utilizarem o Adeforte para... (Leia mais)

2 Responses

  1. Gostaria de saber como tomar o comprimido pois tive o covid19 e me deixou secuelas como,queda de cabelo e uma alergia. Eu já faço o uso a 5 meses.Tomo um por dia.Posso aumentar a dosagem?

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *