alergia à tinta de cabelo

Queda capilar por alergia à tintura de cabelo: qual o risco?

Tingir os cabelos faz parte da rotina de boa parcela da população. Assim, é natural que exista uma preocupação constante sobre perigos e riscos desse hábito. A alergia à tinta de cabelo é uma das possibilidades para quem apresenta queda com coceira após tingir os fios.

É seguro pintar o cabelo?

Existe um certo receio das pessoas quanto ao uso de tinturas.

Talvez parte dessa apreensão esteja relacionada aos danos ao fio provocados pelo seu uso.

No entanto, tinturas capilares são rigorosamente testadas para que possam ser usadas regularmente de forma segura.

Órgãos governamentais não liberam o uso de produtos que não conseguem comprovar sua segurança.

No Brasil, por exemplo, essa regulação é feita pela ANVISA (Agência Nacional de Saúde).

Dessa forma, não é esperado que ocorra danos ao couro quando se usa produtos de marcas autorizadas e reconhecidas.

Assim, é fundamental ficar atento à escolha do salão de beleza ou de lojas de referência para adquirir os produtos.

Além disso, no caso de pessoas que optam por tingir os cabelos em casa, é importante seguir corretamente as orientações de uso do produto.

Alergia à tinta de cabelo

Apesar de seguras, as tinturas capilares podem causar alergia em parte das pessoas que fazem colorações.

E isso em nada se relaciona à frequência com que os cabelos são tingidos.

A alergia à tinta de cabelo pode ocorrer mesmo em pessoas que raramente fazem colorações.

Outro erro comum é achar que porque se usa o mesmo produto há muito tempo, ele não possa causar alergia.

Muito pelo contrário, a alergia à tinta de cabelo não ocorre na primeira vez que se tinge os cabelos.

É necessário que ocorra uma prévia exposição ao produto para então haver sensibilização do organismo.

Somente após ficar sensibilizado é que lesões e sintomas da alergia à tinta de cabelo como coceira, descamação ou irritação se tornam manifestos, com tendência a ficarem ainda mais fortes a cada reexposição.

Esse tipo de alergia é conhecido como eczema ou dermatite de contato.

Nesse ponto, torna-se necessário diferenciar a alergia, ou dermatite de contato, da dermatite irritativa.

A dermatite irritativa ocorre quando produtos com substâncias químicas fortes provocam reação inflamatória ao entrar em contato com a pele.

Ao contrário da alergia, a dermatite irritativa não precisa de exposição prévia e, portanto, pode ocorrer desde a primeira vez que se faz coloração nos cabelos.

Também não ficam mais forte a cada reexposição, sendo sua intensidade proporcional à quantidade e ao tempo em que o produto fica em contato com a pele.

Os sintomas podem ser parecidos, podendo ser necessário fazer um teste de contato para diferenciá-las.

O teste de contato é um exame em que são testadas várias substâncias suspeitas de causar alergia.

Além de diferenciar a dermatite de contato da dermatite irritativa, ele ainda possibilita saber quais substâncias estão causando a alergia.

O que causa alergia à tinta de cabelo?

A principal substância envolvida em reações alérgicas relacionadas às tinturas é a parafenilenodiamina (PPD).

Segundo estudos, estima-se que em pessoas com alergia à tinta de cabelos, a PPD seja responsável por 38 a 97% dos casos.

Além de estar presente em parte das tinturas de cabelo, a PPD também é encontrada no pigmento presente em tatuagens de hena.

Em pessoas alérgicas à parafenilenodiamina, essa substância é capaz de provocar o sistema imune, levando ao desencadeamento de uma reação inflamatória alérgica.

Além de atingir o couro cabeludo, a dermatite de contato por tintura de cabelo pode afetar o pescoço, ombros, pálpebras e orelhas.

As manifestações mais frequentes dessa inflamação por tintura são coceira e vermelhidão.

Em casos mais severos, pode haver inchaço e até formação de bolhas e feridas. Há ainda relato de raros casos de urticária desencadeada por tintura de cabelos.

Na pele do couro cabeludo, a inflamação pode causar caspa e queda de cabelos.

Queda de cabelos por alergia à tinta de cabelo

A inflamação da reação alérgica à tintura pode induzir a queda precoce do folículo piloso.

Essa queda ocorre por uma condição conhecida como eflúvio telógeno.

O eflúvio telógeno é um aumento da proporção de fios em fase de queda, ou fase telógena, decorrente de agravos ao organismo ou ao couro cabeludo.

O eflúvio costuma provocar queda temporária dos cabelos, com reposição por fios novos após os agravos serem identificados e afastados.

No caso da alergia à tinta de cabelo, é importante que ela seja reconhecida o quanto antes.

Isso porque além de permitir uma recuperação mais rápida da queda, a identificação evita que ocorra uma nova exposição e uma reação ainda maior ao produto.

Tintura causa queda ou quebra de cabelos?

É comum notar cabelos mais finos, ressecados e sem brilho quando se tinge os cabelos com frequência.

Entretanto, ao contrário do que alguns acreditam, isso não se deve ao efeito da tintura nas raízes dos cabelos.

A aparência de cabelos “sem vida” após fazer coloração se deve a alterações estruturais no fio provocadas pelas tinturas.

Seus danos, portanto, costumam ser restritos e temporários, não afetando os fios que ainda estão por vir.

Assim, não é esperado que essas pessoas venham a apresentar queda de cabelos pelo uso de tintura.

O que costuma ocorrer até com certa frequência é a quebra dos fios, principalmente em pessoas que fazem outros procedimentos capilares ou que tenham condições que afetem os fios como a alopecia androgenética.

Alergia à tinta de cabelo: o que fazer?

De maneira geral, as tinturas de cabelo são seguras, sendo baixa a incidência de alergia.

Segundo estudos, estima-se que a prevalência de alergia de contato pela PPD presente na tintura varie entre 4 a 6% da população.

Apesar de incomum, no caso de haver suspeita de alergia à tinta de cabelo, independentemente da sua intensidade, deve-se interromper o uso do produto.

Se além isso, a reação vier acompanhada de queda de cabelo, é recomendável que se procure por um médico especialista.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias