reposição de massa capilar

Reposição de massa capilar: mitos e verdades

O tema reposição de massa capilar é muito procurado por pessoas que desejam ter fios mais volumosos, fortes e bonitos.
Apesar de haver muita informação sobre o assunto, no entanto, nem sempre as dicas funcionam.
Os cuidados capilares são cheios de mitos que precisam ser esclarecidos para se ter resultados mais satisfatórios.

O que é massa capilar?

A massa capilar é o nome usado para se referir ao conteúdo do fio de cabelo, ou seja, a matéria do qual ele é formado.
Pensando na composição da sua estrutura, a massa do cabelo é formada majoritariamente por proteínas, sendo a queratina o seu principal componente.
A disposição da queratina no fio de cabelo se faz em diferentes camadas, sendo elas, de fora para dentro:
  • cutícula: parte externa do fio, responsável pelo seu brilho e textura;
  • córtex: compõe a maior parte da massa interna do fio, dando força e calibre à haste capilar;
  • medula: núcleo do fio, nem sempre presente.
A manutenção da integridade dessas camadas da haste capilar garante a força, beleza e saúde dos fios.
Por outro lado, quando alteradas, o fio se torna mais suscetível aos danos que podem comprometer a massa do cabelo.
Exemplos de fatores que podem danificar a cutícula e expor o córtex à perda de massa capilar são os procedimentos químicos, chapinha e radiação solar.

6 mitos e verdades sobre a reposição de massa capilar

Todos almejam ter um cabelo bonito e saudável.
Então, procedimentos que visam reparar fios danificados e melhorar seu aspecto acabam atraindo muito a atenção.
Por isso, há tanta busca e comentários sobre a reposição de massa capilar na internet e na mídia.
O problema é que boa parte das informações sobre o assunto não tem embasamento científico e levam a conceitos equivocados sobre a saúde capilar.
Entender o que é mito ou verdade sobre a reposição de massa capilar auxilia em escolhas acertadas sobre como cuidar dos cabelos.

1. Máscaras e condicionadores repõem a massa capilar – mito

O principal mito, amplamente difundido, sobre reposição de massa capilar é que cosméticos de uso domiciliar, como shampoo, condicionador ou máscaras capilares, têm potencial para reforçar a estrutura dos fios.
Apesar de muito úteis para hidratação e preservação dos cabelos, os agentes condicionantes não são capazes de incorporar proteínas ou nutrientes ao interior das fibras capilares.
Condicionadores e máscaras capilares são produtos que recobrem e lubrificam a superfície do fio, contribuindo para manter o cabelo mais hidratado, maleável e sedoso.
Os agentes condicionantes também ajudam a selar a cutícula e diminuir a exposição do córtex à ação de agentes agressores externos.
Dessa forma, eles são fundamentais para se ter cabelos saudáveis e com menor perca de massa capilar, além de ajudar a disfarçar os danos mais profundos.
No entanto, é importante saber que condicionadores, máscaras e outros produtos de uso domésticos não fazem reposição de massa capilar.

2. A cauterização promove a reposição de massa capilar – verdade

A técnica de cauterização capilar realizada em salões de beleza com um bom profissional pode, de certa forma, ajudar a repor a massa capilar.
Pelo menos, isso é o que indica um trabalho científico publicado na revista Biotechonology Reports.
No estudo, os pesquisadores conseguiram demonstrar que houve incorporação de queratina na estrutura do fio após o procedimento.
Além disso, a deposição de queratina k31 levou a um aumento de até 49% do calibre dos fios quimicamente tratados e previamente danificados.
Além da reposição de massa capilar com queratina, constatou-se que o tratamento promoveu mais maciez, volume e força aos fios.
Esses possíveis benefícios da cauterização podem induzir a crer que essa é uma técnica ideal para fortalecer os fios e melhorar o aspecto do cabelo.
Apesar de benéfica, é preciso se ter cuidado, principalmente com o método de reposição de massa capilar caseiro, pois se mal indicado, ele pode promover o enrijecimento excessivo do fio, tornando-o duro, sem movimento e mais propenso à quebra.

3. A alimentação influencia na saúde e massa do cabelo – verdade

Uma boa alimentação é a principal forma de fazer a reposição de massa capilar e manter os cabelos saudáveis.
A ingestão adequada de nutrientes como proteínas, vitaminas e minerais dá condições para o crescimento e fortalecimento capilar.
Nesse sentido, o uso de suplementos alimentares pode também ajudar a manter o fornecimento regular de nutrientes para o cabelo.
Entretanto, é preciso ter cuidado ao usar suplementos pois o excesso de vitaminas e minerais faz mal ao cabelo.
Por isso, é importante se fazer uma avaliação especializada com exames de sangue antes do uso de qualquer complexo vitamínico.

4. Hábitos de vida não interferem na saúde capilar – mito

Nem sempre as pessoas associam seus hábitos à saúde dos cabelos, mas existe uma relação direta entre esses fatores.
O estresse, por exemplo, pode acelerar o aparecimento de cabelos brancos, agravar inflamações no couro cabeludo e causar queda de cabelo.
Parte desses efeitos se deve ao aumento dos níveis do hormônio cortisol e da formação de radicais livres.
O resultado é o envelhecimento celular, que deixa os cabelos mais fracos e brancos.
Outro hábito que interfere na qualidade dos fios é o tabagismo.
Além de gerar radicais livres, o cigarro também prejudica a microcirculação sanguínea, comprometendo o transporte adequado de oxigênio e nutrientes às células.

5. Ter cuidados com procedimentos químicos é essencial – verdade

Diversos estudos científicos apontam os procedimentos químicos, como alisamento, descoloração e tintura, como os principais responsáveis pela perda de massa capilar.
Técnicas que visam modificar o formato ou a cor definitiva do cabelo precisam alterar a estrutura do fio.
O problema é que esse processo tem um preço: a quase inevitável perda de massa capilar.
A química usada em procedimentos como luzes, tinturas, relaxamento ou permanente é muito forte para os fios.
Por isso, os danos costumam ser profundos e permanentes.
Uma vez danificado, o fio não se recompõe mais, mesmo com procedimentos de reposição de massa capilar como a cauterização.
A cauterização deve ser vista como como uma operação tapa buracos e não como um recapeamento. Trata-se de um remendo temporário, não uma reforma.
Portanto, a melhor forma de evitar a perda de massa capilar é cuidar do cabelo, respeitando suas característicos e necessidades.
Caso os tratamentos químicos sejam imprescindíveis, deve-se optar pela escolha de profissionais experientes e produtos de marcas conhecidas.

6. Estudos são promissores quanto à reposição de massa capilar – verdade

Novas pesquisas estão sendo realizadas para buscar substâncias de uso tópico que ajudam a preservar a massa capilar.
Uma dessas pesquisas, por exemplo, aborda os benefícios de se usar partículas à base de queratina como possíveis componentes de protetores térmicos.
O objetivo dessa linha de pesquisas é recobrir o fio com uma capa protetora composta de proteínas para que o cabelo possa suportar temperaturas extremas como as das chapinhas, que podem atingir valores acima de 200°C.
Como se sabe, o uso de pranchas e modeladores provocam a destruição da cutícula, perda de massa capilar e fraturas da haste do fio.
Já com a prévia aplicação do protetor térmico com queratina, os pesquisadores notaram uma melhora de 40% nas propriedades mecânicas dos cabelos tratados em relação àqueles que não receberam o composto.
A ciência é, portanto, uma aliada da saúde capilar tanto na busca por novas formulações eficientes como para orientar condutas que são mais seguras e eficientes.

Reposição da massa capilar: como fazer?

A queratina compõe cerca de 85% da massa capilar.
Essa proteína é responsável, dentre outros, pela resistência, flexibilidade, durabilidade e funcionalidade do fio.
Portanto, garantir um adequado aporte de proteínas e outros nutrientes é a forma mais simples de se fazer a reposição de massa capilar.
Por outro lado, diversos hábitos de vida e cuidados capilares podem alterar a estrutura do fio.
Os mais prejudiciais e infelizmente também mais comuns são os tratamentos químicos e uso de aparelhos térmicos.
Algumas técnicas, como de alisamento e descoloração (que precede o tingimento), utilizam agentes oxidantes que podem danificar a queratina e o fio de cabelo.
Como resultado há uma diminuição das propriedades das fibras capilares, compromete a saúde e estética dos fios que ficam menos encorpados, opacos e fracos.
Por outro lado, com os cuidados adequados, é possível ter cabelos saudáveis e bonitos.
Quer saber como? Faça-nos uma visita!
A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias