terapia de reposição hormonal para queda de cabelo

Queda de cabelo na menopausa e terapia de reposição hormonal

A Terapia de Reposição Hormonal (TRH) é feita para combater sintomas do climatério e da menopausa. Como a queda de cabelo pode se acentuar nessa fase, é natural que surja a dúvida sobre a indicação de terapia de reposição hormonal para queda de cabelo.

Por que pode haver aumento da queda de cabelo na menopausa?

A menopausa se inicia geralmente em mulheres entre 45 e 55 anos.

Essa fase marca o fim da menstruação e, consequentemente, da idade reprodutiva.

A passagem para a menopausa não costuma ser feita de forma abrupta. As mudanças vão ocorrendo gradativamente em um período variável.

Esse período, chamado climatério, pode anteceder a menopausa em alguns anos.

As principais alterações observadas na menopausa estão associadas à queda significativa dos níveis de hormônios sexuais femininos.

Tanto o estrógeno quanto a progesterona, principais hormônios femininos, têm sua produção reduzida pelo ovário nesse período.

A redução dos hormônios femininos altera o equilíbrio entre hormônios femininos e masculinos, chamados de andrógenos.

Em pessoas geneticamente predispostas, os andrógenos fazem com que os fios de cabelo reduzam de tamanho e se tornem mais finos. Esse processo, chamado de miniaturização, é o principal responsável pela perda de cabelo em mulheres na menopausa.

De fato, aproximadamente 40% das mulheres apresentam algum nível de alopecia na menopausa.

A queda dos hormônios femininos também pode interferir no ciclo de vida dos fios.

Esse efeito fica bem evidente durante a gestação.

Influência dos hormônios femininos no cabelos

Quando a mulher engravida, os níveis de progesterona e estrógeno aumentam exponencialmente.

Acredita-se que a elevação desses hormônios seja a principal responsável pelo prolongamento da fase de crescimento capilar, chamada anágena.

Por isso, é comum notar redução da queda de cabelos na gestação. Aliás, essa costuma ser a fase em que as mulheres tem a sensação de que os cabelos estão mais cheios e viçosos.

Em parte, esse efeito também se deve ao ganho de calibre dos fios provocado pelas mudanças hormonais.

Logo após o parto, no entanto, os níveis de progesterona e estrógeno caem abruptamente.

Assim, todos fios que estavam em fase de crescimento por conta desses hormônios entram rapidamente na fase de queda.

Esse é o chamado eflúvio telógeno pós-parto, fenômeno normal e, portanto, esperado para essa fase.

A melhora dos cabelos na gestação com queda posterior ilustra bem a influência dos hormônios femininos no cabelo.

Outro caso que evidencia a participação desses hormônios no cabelo foi descrito em 2016.

Trata-se de uma paciente transgênero que, sob orientação médica, iniciou terapia hormonal para reduzir os níveis de testosterona e adquirir caracteres femininos.

A paciente em questão apresentava rarefação capilar de padrão masculino, que foi parcialmente revertida com a terapia hormonal.

Baseado nas mudanças capilares observadas na gestação e nesse relato de caso, é possível imaginar que as alterações hormonais da menopausa também possam interferir na saúde capilar.

Mas seria o caso de fazer reposição hormonal para queda de cabelo ou alopecia feminina na menopausa?

Indicações de terapia de reposição hormonal

A terapia de reposição hormonal é indicada para mulheres que têm sintomas severos em decorrência das transformações da menopausa.

Apesar de parecer que estão apenas sendo repostos hormônios que vinham diminuindo, a verdade não é bem essa.

A TRH aumenta o risco de diversos eventos danosos à saúde feminina, muitos deles fatais.

Entre os efeitos indesejados associados à TRH, encontram-se:

  • sensibilidade e dor nas mamas;
  • náusea e inchaço;
  • irritabilidade;
  • dores de cabeça recorrentes;
  • maior risco de desenvolver doenças cardíacas e derrame, com morte;
  • riscos aumentados de câncer de mama e útero.

Devido à gravidade dos efeitos da reposição hormonal, as indicações de sua prescrição têm se tornado cada vez mais restritas.

Segundo o Consenso Brasileiro de Terapia Hormonal da Menopausa de 2014, a TRH está indicada nos casos de:

  • osteoporose em mulheres jovens, com risco aumentado de fraturas;
  • ondas de calor que comprometam significativamente a qualidade de vida. Válido somente para mulheres abaixo de 60 anos e com menos de 10 anos de menopausa.

Além disso, em casos de atrofia da vagina com dispareunia, ou seja, dor durante ato sexual, a terapia com estrogênio tópico local também pode ser considerada.

É recomendado fazer terapia de reposição hormonal para queda de cabelo?

Definitivamente não é indicado se fazer terapia de reposição hormonal para queda de cabelo nas mulheres em menopausa.

Primeiro, porque não há comprovação científica de que repor hormônios contribui no tratamento da queda de cabelo ou calvície feminina.

Além disso, claro, o mais importante é que os riscos superam muito benefícios que, no caso, nem são comprovados.

Sendo assim, não se deve fazer qualquer tipo de reposição hormonal para queda de cabelo na menopausa.

Mas isso não quer dizer que não há nada que possa ser feito.

Quais cuidados adotar para reduzir a queda de cabelo na menopausa?

Apesar da terapia de reposição hormonal para queda de cabelo na menopausa não ser indicada, outras condutas podem ser adotadas.

Algumas delas são medidas simples e úteis.

Alimentação

A diminuição do estrogênio na menopausa torna a mulher mais suscetível a fraturas, anemia e ganho de peso, tornando a alimentação uma aliada importante.

Inclua na dieta frutas e vegetais frescos, grãos integrais, alimentos ricos em cálcio, em ferro e em fibras.

Suplementos naturais

Alguns alimentos como produtos de soja, frutas secas, castanhas e linhaça ajudam a melhorar os níveis de estrogênio após a menopausa.

Controle do estresse

As mudanças hormonais favorecem as alterações de humor, ansiedade e depressão.

Assim, é importante desenvolver seus próprios métodos de controle do estresse, como exercícios físicos como yoga, pilates e meditação.

Avaliação médica especializada

A terapia de reposição hormonal deve ser avaliada por um médico ginecologista ou endocrinologista após considerar todo o histórico e sintomas relatados pela paciente.

Por sua vez, a queda de cabelo ou qualquer outra alteração capilar na menopausa devem ser avaliadas o mais breve possível por um médico especialista em cabelos.

A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

 

TÍTULO SEO
IMAGENS SEO
IMAGEM 1
terapia de reposição hormonal para queda de cabelo
IMAGEM 2
LINKS SEO
TEXTO SEO

reposição hormonal menopausa queda de cabelo alopecia calvície climatério mulher madura terceira idade após 50 anos de idade progesterona estrógeno TRH terapia de reposição hormonal testosterona hormônios femininos queda de hormônios indicações cabelo começou a cair após a menopausa

WORDS SEO

Atendimento

  • Avenida Lavandisca, 777 - Moema, São Paulo, SP. CEP: 04515-011
  • Terça à Sexta: 09hs às 19hs.
    Sábado: 09h às 18hs
  • +55 (11) 3853-9175
Categorias

2 respostas

  1. Eu adorei este artigo, me ajudou muito, pois entrei na menopausa com 43 anos (agora estou com 45,9m), não sinto nada dessas coisas que tantas falam e que temia, porém sobre os cabelos é tudo que modificou. Sempre tive cabelos finíssimos e em pequena quantidade, nunca tive o tão sonhado cabelos longos (salvo quando coloquei aplique), , agora quando acentou a quebra dos fios e o não crescimento de novos, procurei por uma dermatologista que me acompanha até hj, mas não surte efeito nenhum, não faço reposição hormonal, de acordo com meus outros médicos está tudo ótimo com minha saúde, mas por precaução faço uso de complexo vitamínico, colágeno, , omega 3 e cálcio, além de venlafaxina (ansiolítico), não tomo refrigerantes e tento comer sempre bem, tenho 1.65 e 56 kg, Devem está pensando nossa então porque não é feliz , e eu digo , a minha vida inteira quis entender o porquê dos meus cabelos sempre ser do tipo de bebês, ralos e finos, a única química é só tintura de 2 em 2 meses, nem escova faço.
    Nossa acho que escrevi muito né, mas será que podem me dizer alguma coisa que posso fazer? *atualmente (1ano)tomo finasterida que a médica dermatologista passou, ,

    1. Olá, Cristiana

      Obrigado pelo seu relato. Ele é muito ilustrativo para uma grande quantidade de mulheres que têm os mesmo sintomas que o seu.
      Existem muitas causas para queda de cabelo (https://clinicadoppio.com.br/queda-de-cabelo-em-mulheres/) e diversos motivos para seu cabelo estar ficando fino e ralo (https://clinicadoppio.com.br/alopecia-tipos/).
      Entretanto, não é possível determinar o que leva seus cabelos a serem assim sem antes passar por uma avaliação médica especializada.
      Somente após avaliação completa (https://clinicadoppio.com.br/diagnostico-e-exames-para-queda-de-cabelo/), com análise do fio de cabelo, couro cabeludo e exames de sangue, é que se pode esclarecer o que está acontecendo com seus cabelos.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *