Tipos de fio de cabelo: quer conhecer o seu?

Saber reconhecer os diferentes tipos de fio de cabelo é fundamental para entender as particularidades e cuidados de cada um deles.

Quais os principais tipos de cabelo?

Os estudos científicos classicamente dividem os cabelos em 3 tipos: asiático, africano e europeu ou caucasiano.

Essa classificação é baseada na origem étnica do cabelo, tendo cada tipo suas características próprias.

O cabelo asiático, por exemplo, é o mais liso, mais grosso, com mais brilho e com maior crescimento.

Já o cabelo afro é o com fios mais finos, enrolados, ressecados, quebradiços e de menor crescimento.

Por sua vez, o cabelo europeu costuma ter formato e características intermediárias entre os 2 grupos anteriores.

Apesar de importante, essa classificação étnica dos cabelos é muito abrangente, englobando tipos de fio de cabelo muito diferentes dentro de um mesmo grupo.

Além disso, ela não contempla variações como as observadas em cabelos miscigenados como os dos brasileiros.

Classificação dos diferentes tipos de fio de cabelo

Levando-se em consideração a miscigenação não só do povo brasileiro, mas também de outros lugares do mundo, outras escalas com diferentes propostas têm sido apresentadas.

A ideia delas é facilitar o reconhecimento visual dos diferentes tipos de fios de cabelo.

Algumas escalas desenvolvidas por pesquisadores tentaram agrupar todos os diferentes tipos de fio de cabelo em 6 e 8 grupos.

Apesar da importante contribuição científica delas, no entanto, do ponto de vista prático, a divisão mostra-se pouco confiável.

Um estudo para validar a escala de 8 grupos, por exemplo, mostrou dificuldade dos avaliadores em classificar visualmente os fios.

Levando-se em consideração apenas a análise a olho nu dos cabelos, houve variações e inconsistências importantes na classificação dos fios de um mesmo voluntário.

Com isso, a conclusão do estudo foi de que sem aparelhos digitais essa avaliação mostrou-se ineficaz.

Quais os principais tipos de fio de cabelo no Brasil?

O Brasil é um país miscigenado, formado por muitas raças e origens étnicas.

Um dos aspectos da diversidade física do povo brasileiro é justamente a variedade de tipos de fio de cabelo.

A classificação mais usada por profissionais da área capilar no Brasil leva em conta o formato e espessura do fio, além de alguns outros parâmetros secundários.

Apesar de não ser uma escala validada cientificamente, do ponto de vista prático, ela é bem útil.

Nessa escala, os tipos de fio de cabelo são agrupados em 4 categorias principais:

  1. liso;
  2. ondulado;
  3. cacheado;
  4. crespo.

Ainda dentro desses grupos existem subgrupos de acordo com a densidade, oleosidade, textura e outros atributos dos fios.

Os subgrupos são nomeados de A, B e C em cada categoria, começando sempre do fio mais liso para o mais crespo.

Cabelo liso

Tipo de fio de cabelo sem ondulações.

Tende a ser mais oleoso que os demais pela facilidade do sebum em se espalhar pela extensão do fio.

Os fios de cabelo liso podem ser:

  • 1A: fio fino, com aspecto escorrido e oleoso, dificultando inclusive fazer penteados;
  • 1B: fio também oleoso, porém mais encorpado. Trata-se de um cabelo mais volumoso, maleável, permitindo penteados;
  • 1C: fio com textura mais grossa, mas com níveis de oleosidade semelhante aos demais. Mais difícil de ajeitar ou modelar.

Cuidados com o cabelo liso

Os três subtipos de fios de cabelos lisos demandam cuidados específicos.

O primeiro deles é com relação à frequência de lavagem.

Como geralmente se trata de um cabelo mais oleoso, recomenda-se lavar os cabelos lisos diariamente ou a cada 2 dias.

Essa frequência é especialmente recomendada para pessoas com queda de cabelo e sintomas no couro cabeludo como coceira, dor ou caspa.

Os produtos mais indicados para pessoas com fios lisos são os xampus para cabelos oleosos, além de condicionadores instantâneos, usados a cada lavagem.

Máscaras capilares, leave-in e produtos de hidratação profunda devem ser evitados, especialmente por pessoas com cabelos finos e ralos.

Além de aumentar a sensação de oleosidade, eles costumam deixar os cabelos com aspecto mais pesado, evidenciando-se ainda mais a falta de volume capilar.

Cabelo ondulado

Esse tipo de cabelo costuma ter a raiz mais lisa e fios em formato de “S”, com ondas de diferentes angulações.

Em relação aos cabelos lisos, os cabelos ondulados aparentam ter mais volume e frizz.

São ainda mais maleáveis, permitindo melhor modelagem.

Esse tipo de fio de cabelo também apresenta maior facilidade tanto para alisar quanto para valorizar os cachos.

Os subtipos de fios desse grupo incluem:

  • 2A: fibra capilar mais fina e fácil de alisar. Os cabelos costumam ser mais armados, porém sem tanta definição. As ondulações são mais leves e começam no comprimento;
  • 2B: fios que apresentam o formato em S mais bem definido, resultando em maior dificuldade para alisar e mais frizz;
  • 2C: tipo de cabelo no qual as ondulações começam a se formar mais perto da raiz, resultando em ondas mais soltas e intensas.

Cuidados com o cabelo ondulado

Dentre os diferentes tipos de fio de cabelo, o cabelo ondulado é aquele com maior variação de oleosidade.

Por isso, a rotina de limpeza e hidratação deve ser de acordo com os níveis de oleosidade apresentado pelos fios.

Nos cabelos ondulados, o segredo é a finalização.

Por se tratar de fios mais fáceis de moldar, o uso de finalizadores como leave-in ou anti-frizz podem garantir ondulações mais definidas e controle dos fios rebeldes.

Pentes largos de madeira também ajudam desembaraçar as pontas e alinhar as ondas, sem aumentar tanto o frizz.

Cabelo cacheado

Dentre os tipos de fio de cabelo, os cacheados são aqueles em que os cachos são bem definidos e simétricos.

Em geral, possuem aparência encorpada e volumosa.

As variações desse tipo incluem:

  • 3A: cabelos com cachos naturais largos e regulares. De tão bem definidos, parecem moldados devido à boa definição. São fios com brilho, mas sem tanta oleosidade. Apesar de enrolados, costumam ficar bem regulares quando alisados;
  • 3B: cabelos com cachos mais estreitos, regulares e definidos. Tende a ser um fio mais seco e a responder pior aos processos de alisamento;
  • 3C: cabelos com caracóis muito estreitos e fechados, com uma haste mais delicada e fina.

Cuidados com os cabelos cacheados

Os cabelos encaracolados exigem cuidados para controlar o frizz e garantir uma boa hidratação.

Por serem mais secos, eles demandam o uso de produtos hidratantes desde a lavagem até a finalização.

Nesse tipo de fio, deve-se dar preferência a xampus de limpeza suave como os sem sulfato para não ressecar mais os cabelos.

Pode ainda ser necessário se recorrer a xampus hidratantes, máscaras, finalizadores e leave-in à base de manteigas e óleos para dar brilho, modelar os cachos e controlar o frizz.

É também importante escolher fórmula leves para não tirar a maleabilidade dos cachos e deixá-los sem viço.

Quando for usar secador, a dica é usar as mãos para amassar e definir os cachos ou acoplar o bico difusor na ponta do aparelho.

Cabelo crespo

Os cabelos crespos, também chamados de cabelo afro, são os mais naturalmente ressecados dentre os diferentes tipos de fio de cabelo.

Devido a sua curvatura e formato achatado, o fio crespo tem dificuldades em distribuir a oleosidade natural pela haste capilar.

Com isso, ele demanda cuidados especiais como uma boa hidratação para ficarem brilhosos e saudáveis.

Os subtipos de cabelo afro são:

  • 4A: cabelos com caracóis mais estreitos, sendo a aparência semelhante a pequenas molinhas, seja com o cabelo mais curto ou comprido;
  • 4B: apresentam mechas menos definidas, assumindo o formato da letra Z;
  • 4C: a estrutura é semelhante a do tipo anterior, no entanto, com algumas mechas ainda menos definidas.

Cuidados com o cabelo crespo

Os cabelos crespos são mais secos.

Como fios mais secos são mais propensos a danos e quebra, eles exigem mais cautela nos cuidados do cronograma capilar.

O primeiro deles é procurar não lavar os fios diariamente.

O desgaste provocado pelo ato de lavar e secar os cabelos aumentam sua fragilidade, diminuindo seu brilho e viço.

O shampoo sem sulfato e à base de óleos vegetais é uma ótima pedida para esse tipo de cabelo.

Condicionadores e cremes com petrolatos ou silicones à base de petróleo devem ser evitados.

As mãos devem ser usadas preferencialmente na finalização, podendo-se ainda usar pentes do tipo jacaré ou com dentes bem largos.

Durante a finalização, recomenda-se hidratar bem os fios utilizando leave-in ou óleos vegetais, como de coco, jojoba ou argan.

Como cuidar dos diferentes tipos de fio de cabelo?

Entender as diferenças entre os diversos tipos de fio de cabelo possibilita extrair o melhor de cada um deles, respeitando suas características.

Além disso, reconhecer qual o seu tipo de fio permite conhecer quais os cuidados necessários para torná-lo mais saudável e viçoso.

Os diferentes tipos de fio de cabelo definem aspectos importantes do cronograma capilar, com grande variação entre eles.

Assim, por exemplo, eles definem a frequência de lavagem, o tipo de shampoo e condicionadores, pentes, finalizadores e cremes hidratantes.

Ainda que existam desafios e limitações desse tipo de classificação, ela pode ser útil para ajudar no planejamento da rotina de cuidados mais apropriada aos diferentes tipos de fio de cabelo.

A ajuda de profissionais da área capilar podem contribuir nesse aprendizado e na tomada de decisões.

A consulta com um médico especialista em cabelos é especialmente válida nos casos de queda ou afinamento dos fios assim como sintomas no couro cabeludo como descamação, sensibilidade, vermelhidão e coceira.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Shampoo antirresíduos: composição, ação e indicações
O shampoo antirresíduos ou de limpeza profunda pode ser uma boa aquisição para a rotina... (Leia mais)
Triconodose: como evitar?
A triconodose é uma situação literalmente embaraçante. Além de prejudicar a saúde capilar, essa condição... (Leia mais)
Terapeuta capilar, tricologista e médico especialista: qual a diferença?
Existem diversos termos para denominar os profissionais que lidam com problemas no cabelo ou couro... (Leia mais)

Deixe um comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *