Tratamento com Andropill funciona?

A cada dia surgem mais propostas de tratamento capilar. O Andropill é uma delas.

O que é o Andropill?

O Andropill é um composto natural da Bedlam Pharma do Brasil.

O principal componente do produto é o óleo de semente de abóbora.

Esse óleo tem em sua composição nutrientes como a vitamina E, complexo B, além de minerais como zinco, magnésio e potássio.

Mas para que serve o Andropill?

O próprio nome do produto sugere seu público alvo.

O radical andro, do grego andrós, significa masculino.

Assim, o Andropill seria uma pílula direcionada aos homens.

Uma das principais queixas masculinas é alopecia androgenética, ou seja, a calvície hereditária.

Ela afeta cerca de 85% dos homens.

Por isso, não é de se estranhar o aparecimento de diversos produtos voltados ao mercado masculino.

De acordo com o fabricante, além da alopecia androgenética, o Andropill teria outras indicações como:

  • prevenção do câncer de próstata;
  • hiperplasia prostática;
  • alívio dos sintomas de artrite reumatoide;
  • combate de parasitas intestinais;
  • tratamento de problemas no trato urinário;
  • prevenção de cálculos renais;
  • melhora dos níveis de colesterol.

Quem pode tomar Andropill?

Na embalagem consta que o tratamento com Andropill é indicado para pessoas maiores de 19 anos com alopecia androgenética ou hiperplasia prostática.
No entanto, também consta um aviso para que determinados grupos só tomem o composto natural com prescrição médica. É o caso, por exemplo, das crianças, idosos, portadores de enfermidades (diabetes, hipertensão e outras), gestantes e lactantes.

Como tomar Andropill?

Segundo informações contidas no produto, a recomendação de uso é de uma cápsula ao dia.

O período mínimo sugerido pelo fabricante para se alcançar os resultados propostos seria de seis meses.

Mecanismo de ação

Um dos efeitos creditados à semente de abóbora, presente no Andropill, é sua ação antioxidante.

Antioxidantes são substâncias capazes de prevenir o envelhecimento celular por radicais livres.

Esse processo participa tanto do aparecimento de cabelos brancos como  na queda de cabelo e na progressão da calvície.

Outra ação proposta para o Andropill seria reduzir a formação de dihidrotestosterona (DHT), principal hormônio associado à calvície masculina.

O DHT se forma a partir da conversão do hormônio testosterona pela enzima 5a-redutase. 

Ao abaixar a quantidade de DHT, o Andropill diminuiria a atrofia dos folículos pilosos, retardando a perda do cabelo.

Quais os prós e contras desse produto?

Por ser composto natural, é menos provável se ter efeitos colaterais com o uso do Adropill.
Além disso, as vitaminas e minerais contidos em sua fórmula o tornam uma fonte suplementar de nutrientes.
Outro ponto a se destacar é o poder antioxidante dos seus ativos.
Parte dos ingredientes do produto ajuda no combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular, inclusive do cabelo.
No entanto, a maior desvantagem do Andropill é não ser um medicamento. Aliás, isso consta na embalagem do produto.
Seu registro na ANVISA é como alimento.
Portanto, ele não tem ação terapêutica comprovada e não pode ser considerado um tratamento para queda de cabelo ou calvície. 
Para ser considerado um remédio, seria preciso ter seus efeitos comprovados por estudos científicos independentes, o que não foi feito.
Ou seja, os resultados do Andropill não foram validados em pesquisas sem a participação ou financiamento da empresa fabricante.
Por isso, há um certo cuidado com relação às expectativas em relação aos resultados do produto, principalmente entre especialistas.

Como definir o tratamento para calvície?

O principal problema do uso do Andropill para tratar a alopecia androgenética não se refere aos seus resultados específicos, mas as suas consequências.
Como se trata de um composto natural, ele acaba tendo maior procura por adeptos à automedicação.
Quando usado como tratamento único, no entanto, acaba retardando a busca do paciente por opções com princípios terapêuticos cientificamente comprovados.
A calvície é uma condição progressiva, ou seja, que avança conforme o tempo.
Quanto mais evolui, menores são as chances de responder ao tratamento clínico ou medicamentoso.
Portanto, o diagnóstico precoce e início do tratamento adequado são determinantes nas chances de recuperar os cabelos.
Por sua vez, o uso de suplementos ou métodos alternativos posterga o tratamento correto, diminuindo gradativamente as chances de reversão do quadro.
Dessa forma, apesar do uso do Andropill não prejudicar a saúde do paciente, ele pode prejudicar o tratamento da calvície.
Assim, antes de procurar por alternativas caseiras ou de fácil acesso para tratar a queda de cabelo, converse com um médico especialista.
Ele pode apresentar formas de associar modalidades terapêuticas que se encaixem  melhor ao seu perfil e a sua problemática capilar.
A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.
Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.
blank

Dr. Nilton de Ávila Reis

CRM: 115852/SP | RQE 32621


Posts Relacionados

Lúpus e cabelo: qual a relação?
A queda de cabelo por lúpus é uma queixa frequente dos portadores da doença. Ao... (Leia mais)
Miniaturização do cabelo: entendendo a calvície
Muitas pessoas ficam confusas ao perceber seus cabelos diminuindo. O que boa parte delas não... (Leia mais)
O que fazer para manter o cabelo da gravidez?
Existem muitas dúvidas sobre o comportamento do cabelo após gravidez. A mais frequente delas é... (Leia mais)

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *