vitamina do cabelo biotina exame de sangue

Vitamina do cabelo pode provocar erro em exames laboratoriais

A biotina, também conhecida como vitamina do cabelo, tem sido associada a resultados incorretos de exames de sangue.

Entre exames possivelmente afetados pela biotina estão, por exemplo, dosagens de hormônios, vitaminas, teste de gravidez até exames para câncer.

Biotina, a vitamina do cabelo

A biotina é uma vitamina do complexo B descoberta em 1927.

Trata-se de um composto importante no processamento de gorduras e produção de energia pelo corpo.

Também conhecida como vitamina B7 ou H, ela talvez seja a vitamina mais comercialmente lembrada e associada a saúde e qualidade da pele, unhas e cabelos.

Por isso, ela é frequentemente incluída em polivitamínicos e suplementos alimentares voltados para rejuvenescimento, crescimento e fortalecimento de unhas e fios.

A biotina pode ser encontrada naturalmente em diversos alimentos, especialmente fígado, ovos, salmão, carne de porco, batata doce e amêndoas.

Além da alimentação, a vitamina do cabelo também é produzida por bactérias intestinais, o que faz com sua deficiência seja rara.

Segundo a ANVISA, a ingestão diária recomendada de biotina (IDR) é de 30 mcg, ou seja, 0,03 mg ao dia.

Essa também é a quantidade máxima permitida pela ANIVSA para suplementos alimentares polivitamínicos voltados para o cabelo vendidos no país.

No Brasil, a biotina também está disponível de forma isolada no Untral, da Aché; sendo vendida nos Estados Unidos como Biotin.

As doses da vitamina do cabelo desses suplementos variam de 2,5 mg até 10 mg, ou seja, de 2500 à 10.000 mcg.

Isso corresponde a cerca de 100 a 400 vezes a quantidade diária recomendada de 30 mcg/d, presente em suplementos como o Eximia, Pantogar e Anacaps, por exemplo.

Apesar de ser uma quantidade muito acima da dose diária recomendada, ela não parece trazer efeitos colaterais nessas concentrações. Aliás, a dose máxima da biotina não é bem estabelecida. 

Vitamina do cabelo e exames de sangue

Estudos recentes têm demonstrado que a biotina pode interferir no resultado de alguns exames de sangue.

Tanto a ANVISA quanto a agência americana FDA soltaram informes sobre a interferência da vitamina do cabelo em exames de laboratório.

Segundo os estudos, a suplementação dessa vitamina pode levar a resultados incorretos dos seguintes exames:

  • Troponina: enzima presente nas células do músculo do coração, chamado miocárdio. O valor da troponina tende a subir poucas horas após as células do miocárdio morrerem, sendo, portanto, um marcador do infarto. A biotina leva a níveis mais baixos de troponina, podendo atrasar o diagnóstico.
  • Hormônios da tiróide (T3, T3 livre, T4 e T4 livre): a vitamina do cabelo pode causar resultados imprevisíveis, sejam eles mais altos ou mais baixos.
  • Hormônios sexuais: testosterona, estradiol
  • Beta HCG: teste de gravidez
  • Outros hormônios: prolactina, paratormônio (PTH), insulina, TSH, cortisol, FSH, LH
  • Ferritina: exame que indica como estão os estoques de ferro no organismo
  • Dosagem de vitamina D
  • Exames para triagem de câncer como o PSA, utilizado para diagnóstico e seguimento de pacientes com câncer de próstata.

Como a vitamina do cabelo causa erros laboratoriais?

Existem em 2 métodos de análises de exames laboratoriais que podem ser afetados pela biotina.

A primeiro deles é conhecido como ensaio sanduíche.

Nesse tipo de análise, o produto que se quer medir no sangue (seja ele hormônios ou marcadores tumorais, por exemplo) é capturado por reagentes que formam estruturas semelhantes a “sanduíches”. Essas estruturas então se ligam a receptores que medem a quantidade delas no sangue.

A técnica sanduíche é usada para determinar os níveis sanguíneos de TSH, beta HCG, prolactina, PTH, insulina, ferritina e PSA, por exemplo.

Níveis altos da vitamina do cabelo no sangue podem gerar valores mais baixos do que o reais nesses exames.

Isso porque a biotina tem afinidade pelo mesmo receptor do “sanduíche”, competindo com ele.

Como a biotina ocupa parte dos receptores, uma certa quantidade de “sanduíches” não se ligam a eles e, portanto, não são lidos pelas máquinas nos laboratórios, causando erro na leitura deles, no caso para menos.

Já a outra técnica que também sofre influência da vitamina do cabelo é o ensaio competitivo.

Esse método de análise é usado para medição de moléculas pequenas como a vitamina D, hormônios da tireóide (T3, T4), cortisol e testosterona.

Como a biotina também é uma molécula pequena, ela acaba se ligando aos reagentes gerando resultados ou mais altos ou mais baixos do que o esperado.

Como evitar que a biotina interfira no exame de sangue?

O nível de biotina que existe no sangue resultante somente da alimentação e da produção intestinal não interfere nos resultados de exames.

Se não há suplementação oral da vitamina do cabelo, não tem com o que se preocupar.

Entretanto, pessoas que utilizam polivitamínicos ou qualquer suplemento capilar, para unhas ou pele que contenham biotina, devem suspender o suplemento antes de fazer exames de sangue.

A recomendação para que os exames não sejam afetados pela vitamina do cabelo é que ela seja suspensa pelo menos 72 horas, ou seja, 3 dias antes do exame.

Como a biotina é uma vitamina que não se acumula no organismo, acredita-se que esse seja o tempo necessário para que a quantidade extra ingerida nos suplementos seja totalmente eliminada.

Biotina e exames de sangue: orientações finais

A falta de tempo associada às inúmeras atividades e rotina apertada das pessoas têm feito com que a suplementação alimentar seja cada vez mais frequente e necessária.

Inúmeras opções de nutracêuticos e suplementos orais disponíveis possuem biotina na sua composição, principalmente pelo seu apelo comercial de possíveis benefícios para pele, unha e cabelos.

Assim, é preciso que o médico alerte sobre essa possibilidade na hora de orientar o paciente a se preparar para os exames.

A presença da vitamina do cabelo pode comprometer os exames e gerar erros no diagnóstico e tratamento dos pacientes.

Portanto,  fique atento e peça orientações médicas para se preparar corretamente para os exames!

A Clínica Doppio possui uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície. Além disso, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias

2 respostas

  1. Boa tarde Dr.

    Tem uma parte do meu couro cabeludo que é mais alta, mais abaloada , existe alguma técnica ou cirurgia,que deixe o cabeludo nivelado por igual?

    1. Olá, Denize

      Antes de saber se é possível corrigir a saliência do seu couro cabeludo é preciso saber o motivo do desnivelamento.
      Dependendo da causa é possível corrigir.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido.