transplante capilar implante de cabelos

Transplante capilar: restauração capilar cirúrgica

O transplante capilar é um procedimento cirúrgico em que o médico transfere folículos de uma área do couro cabeludo para outra.

Esse procedimento costuma ser mais indicado para casos de alopecia androgenética.

Alopecia androgenética

A alopecia androgenética, ou calvície hereditária, afeta tanto homens quanto mulheres.

Nessa condição, ocorre rarefação capilar  por um processo chamado miniaturização.

A miniaturização é o afinamento e encurtamento progressivos dos cabelos por ação de hormônios masculinos em pessoas predispostas geneticamente.

O principal hormônio envolvido no processo é a diidrotestosterona (DHT), produto da conversão da testosterona pela enzima 5-alfa redutase.

A evolução da alopecia androgenética pode resultar em áreas do couro cabeludo completamente calvas.

Transplante capilar

A alopecia androgênica geralmente afeta a parte superior do couro cabeludo, principalmente em homens.

Isso ocorre porque os cabelos dessa área são geneticamente mais susceptíveis à ação hormonal.

Por sua vez, os cabelos localizados nas regiões laterais e posterior são mais resistentes, sendo, portanto, mais preservados.

Essa região é chamada doadora, por ser de onde se retiram os fios a serem transplantados nas áreas calvas.

Os cabelos transferidos dessas áreas costumam manter suas características no local em que são transplantados.

Assim, geralmente permanecem da mesma forma para o resto da vida.

Técnicas de transplante

As técnicas de transplante têm evoluído substancialmente nas últimas décadas.

Técnicas antigas como retalhos cutâneos de couro cabeludo ou enxertos com punch se tornaram obsoletas.

Essas técnicas costumavam produzir resultados não naturais, com grandes cicatrizes ou aparência de cabelo de boneca.

Atualmente duas técnicas têm sido mais utilizadas.

FUT: Follicular unit transplantation – transplante de unidade folicular

Técnica tradicional que consiste na retirada de uma faixa de couro cabeludo da região da área doadora, geralmente nuca ou laterais. Dessa faixa são extraídos os folículos a serem transplantados.

Tem como vantagem permitir a retirada de grande quantidade de unidades foliculares e desvantagem de deixar uma cicatriz linear na área doadora.

FUE: Follicular unit extraction – extração de unidade folicular

Essa técnica tem ganhado mais atenção recentemente por permitir a extração dos folículos individualmente, sem necessidade de se fazer grandes cortes e portanto, sem deixar uma cicatriz linear inestética.

Ao contrário, por se tratar de uma retirada individual, o que se observa são múltiplas e pequenas cicatrizes esparsas nas áreas doadoras, muitas vezes imperceptíveis, desde que realizadas por um profissional experiente.

Outro motivo que tem tornado essa técnica muito comentada é a possibilidade do uso de um robô para fazer a retirada dos fios.

Esse robô, chamado Artas, é capaz de escolher e extrai unidades foliculares a serem transplantadas.

Entretanto, mesmo sendo uma tecnologia interessante, ele não substitui o cirurgião. Além de comandar o robô na retirada dos folículos, o cirurgião continua sendo o único capaz de fazer o implante dos fios na área calva, já que o robô só escolhe e retira, mas não implanta os fios.

Quanto custa um transplante capilar?

O sucesso de um transplante capilar é muito dependente da habilidade e técnica cirúrgica do profissional médico e sua equipe.

Assim como o resultado final varia dependendo da habilidade do cirurgião, com o custo também ocorre o mesmo.

O preço do transplante capilar depende de diversos fatores como: as credenciais e experiência do cirurgião, tipo de procedimento e número de fios transplantados.

Pós-operatório do transplante capilar

Apesar dos fios transplantados crescerem normalmente, o cabelo ao redor da área do transplante continua suscetível ao afinamento e queda.

Essa é a razão pela qual é essencial fazer um tratamento preventivo antes e após o transplante cirúrgico.

Esse mesmo tratamento, inclusive pode recuperar seus cabelos antes de submeter à cirurgia.

Qual a melhor solução para a calvície?

Hoje em dia o transplante capilar não é a única solução para a calvície.

A escolha da correta combinação de tratamentos pode não somente prevenir quanto recuperar cabelos ralos.

Desde que bem indicado e feito de forma otimizada, o tratamento clínico pode proporcionar resultados bem satisfatórios.

Dependendo do caso, inclusive, bem mais naturais do que o dos implantes capilares.

Transplante capilar: onde fazer?

A Clínica Doppio é uma clínica médica com estrutura especializada em cabelo, mas não realiza transplantes capilares.

Oferecemos opções de tratamentos não invasivos que, em muitos casos, podem ser mais efetivos que o implante.

Assim, antes de se submeter ao implante, é preciso avaliar se há possibilidade de recuperar seus cabelos através do tratamento clínico.

Para isso, é recomendável que se faça uma avaliação com o médico especialista.

Somente após essa avaliação é possível determinar qual a opção certa de tratamento.

No caso de necessidade de tratamento complementar, o médico especialista indicará se e quando é o momento ideal para o transplante capilar.

Além disso, ele fará o encaminhamento para que um cirurgião de referência realize o procedimento a fim de atingir o resultado mais natural e satisfatório possível.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Atendimento

Categorias

2 respostas

    1. Olá, Nilton

      Apesar da aprovação da lei da telemedicina, no caso do cabelo ainda não é possível se fazer diagnóstico e sugerir propostas de tratamento à distância.
      Existem diversos aspectos que dependem do exame físico e que devem ser avaliados pelo médico antes de se decidir pelo melhor tratamento.
      Portanto, sugiro que procure um médico especialista para maiores esclarecimentos.
      Caso queira mais informações, entre em contato conosco pelo número (11) 38539175.
      Estamos à disposição para ajudá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo protegido.