Chás e extratos de plantas para queda de cabelo

Chás e extratos de plantas para queda de cabelo

Remédios à base de plantas para queda de cabelo são muito populares, sendo sempre lembrados como possíveis tratamentos alternativos.

Por serem naturais, eles passam a impressão de que podem tratar sem causar grandes danos ao organismo.

Mas será que existe alguma evidência científica de que extratos de plantas podem ajudar no crescimento capilar ou na queda de cabelos?

Saw Palmetto

O Saw palmetto, Serenoa repens ou Serenoa serrulata, talvez seja a mais conhecida das plantas para queda de cabelo.

Entre os possíveis efeitos atribuídos ao Saw palmetto estão a diminuição da progressão da calvície e estímulo ao crescimento capilar.

O mecanismo pelo qual ele agiria seria pela inibição da enzima 5-alfa-redutase, responsável pela conversão da testosterona em diidrotestosterona (DHT).

O DHT é o principal hormônio responsável pela progressão da calvície.

Esse efeito foi sugerido por um estudo realizado em 1984 e publicado na revista Journal of Steroid Biochemistry.

Nesse estudo, o extrato de Serenoa repens foi capaz de inibir a 5-alfa-redutase em culturas de células humanas.

No entanto, estudos posteriores não conseguiram comprovar possíveis benefícios clínicos do Saw palmetto para os cabelos.

Até o momento, a única medicação capaz de inibir a 5-alfa-redutase e que é aprovada pela ANVISA para tratamento da calvície é a finasterida.

Extrato de cavalinha

De nome científico Equisetum arvense, o extrato de cavalinha é uma das plantas para queda de cabelo presentes em nutricêuticos como o Nourkrin e Viviscal.

Os supostos benefícios do extrato de cavalinha para os cabelos estão associados a sua ação antioxidante, melhora da circulação e irrigação do couro cabeludo.

Além disso, ele contém altas quantidades de enxofre, importante para o desenvolvimento e crescimento capilar.

Apesar desses possíveis benefícios para os cabelos, não há comprovação de que o extrato de cavalinha possa ajudar na queda.

Ginkgo biloba

O Gingko biloba é composto natural muito usado para melhorar a circulação sanguínea.

Ele é um dos extratos de plantas para queda de cabelo mais frequentemente presentes em remédios manipulados.

Assim como o extrato de cavalinha, ele supostamente melhoraria a irrigação e nutrição dos folículos capilares.

No entanto, esse efeito nunca foi comprovado.

Não há estudos conclusivos mostrando benefícios do Ginkgo biloba para os cabelos.

Ginseng

Essa planta é usada há muito tempo no oriente como estimulante natural do metabolismo e da circulação.

Por suas propriedades, acreditava-se que ele poderia fortalecer e estimular o crescimento dos cabelos.

No entanto, não há respaldo científico sobre sua ação sobre a queda de cabelos.

Urtiga

Conhecida pelo nome científico de Urtica dioica, a urtiga tem um longo histórico de usos na medicina.

Desde o período medieval, ela vem sendo usada como diurético e para tratar dores articulares.

Além de possíveis efeitos anti-inflamatórios, também se acreditou que a urtiga pudesse bloquear a conversão da testosterona em DHT.

Dessa forma, ela seria uma das plantas para queda de cabelo e calvície.

Entretanto, seus possíveis benefícios para os cabelos não se sustentaram cientificamente.

Chá verde

O chá verde, ou Camellia sinensis, é uma planta muito conhecida por seus efeitos medicinais.

Parte de sua ação se deve a substâncias chamadas catequinas, da família dos polifenóis.

Há várias teorias sobre os efeitos protetores do chá verde para a queda de cabelo e calvície.

Uma das possibilidades levantadas foi a das catequinas inibirem a conversão do DHT pela inibição da 5-alfa-redutase.

Estudos científicos, no entanto, descartaram essa teoria.

Outra hipótese seria de que as atividades anti-inflamatórias do chá verde atuassem na prevenção da queda.

Nesse sentido, um estudo realizado com ratos mostrou interrupção da queda em todos os animais que tomaram chá verde. Em alguns deles, inclusive, foi observado crescimento de novos pelos.

A explicação para tal resultado foi atribuída as propriedades medicinais dos polifenóis do chá verde.

Além de anti-inflamatório, essas substâncias também são antioxidantes, o que confere a elas a capacidade de combater o estresse.

O estresse prejudica o crescimento do cabelo, contribui para a queda e progressão da calvície.

Mesmo com resultados positivos em animais de laboratório, em humanos a história é diferente.

Isso porque a quantidade de chá verde necessária para que humanos atingissem os efeitos obtidos com os ratos é impraticável.

Além disso, o consumo de chá verde é implicado em problemas de saúde como a toxicidade hepática.

Foram relatados casos de hepatite associada ao consumo do chá e também de danos ao fígado associados ao chá verde presente no nutricêutico Inneov Masa Capilar.

Uso de plantas para queda de cabelo

A queda de cabelo é um assunto que deve ser visto com cautela, uma vez que a queda pode ser indicativo de algum problema de saúde.

O uso de ervas, chás e plantas para queda de cabelo além de não ter comprovação científica, pode agravar o quadro por atrasar o diagnóstico e tratamento corretos.

Assim, antes de iniciar qualquer chá de ervas para queda de cabelo, é recomendado que se procure auxílio de um médico especialista.

A Clínica Doppio além de possuir uma estrutura apropriada para avaliação e tratamento de queda de cabelos e calvície, conta ainda com um médico especialista em cabelos e profissionais preparados para ajudar com seu problema.

Faça uma avaliação e obtenha as informações e cuidados para o seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *